Fechar
Para trilhar seu caminho você precisa dar o primeiro passo
Valor do curso: Gratuito
Preencha o formulário e aproveite esta oportunidade incrível
Qual sua profissão atual/área de atuação?*
Administrador / Gestor / Líder
Psicólogo / Psicanalista / Terapeuta
Empresário / Empreendedor / Dono de Empresa
Consultor / Vendedor
Professor / Pedagogo / Treinador / Palestrante
Outros
O que você procura com o coaching?*
Quero multiplicar o Coaching dentro da empresa onde trabalho.
Sou psicólogo ou psicanalista e quero ampliar as possibilidades de trabalho.
Quero usar as técnicas para aplicar na minha carreira e me destacar no mercado.
Busco o autoconhecimento e minha evolução pessoal.
Quero melhorar minha liderança e a performance da minha equipe.
Quero me tornar um Coach e viver disso.

Centrais de Atendimento

Solicite atendimento

Concordo com a Politica de Privacidade Ao concordar com a politica e privacidade você aceita receber e-mails do IBC com conteúdos gratuitos de Coaching, informativos de palestras e cursos do IBC

A importância da autovalorização profissional para a carreira

09/09/17
autovalorização-profissional
A melhor forma de você praticar a autovalorização profissional é com a automotivação. Se valorize!

Você sabia que existem algumas ações de profissionais de diversas áreas que podem prejudicar suas carreiras e até mesmo a sua área profissional como um todo? Por exemplo, você vai realizar um trabalho e decide cobrar um valor muito abaixo do que o mercado da sua área costuma pedir, isso é algo que pode prejudicar bastante sua carreira e área profissional. Além disso, atitudes como essas são o oposto das atitudes que um profissional deve ter para manter ativa sua autovalorização profissional.

Dentro desse contexto, o que seria a autovalorização profissional?

Querida pessoa, esse termo traduz o que pouquíssimas pessoas fazem quando o assunto é carreira profissional, ou seja, a autovalorização profissional nada mais é que a sua capacidade de valorizar para a sociedade e para o mercado de trabalho, todo o seu esforço, dedicação e estudo enquanto profissional de uma determinada área.

Por esse motivo, o exemplo dado acima é o oposto do que um profissional deveria fazer para se valorizar perante o mercado.

Praticar a autovalorização profissional é algo que todos os profissionais deveriam fazer, contudo, nem sempre as pessoas conseguem cumprir com esse papel. E é por saber que nem todo mundo consegue agir da maneira correta, que trago algumas ponderações sobre a não valorização profissional, além de mostrar o quanto a autovalorização pode ser benéfica para os profissionais e para a própria área profissional em geral.

Afinal, essas atitudes que não valorizam a sua profissão, podem gerar problemas grandiosos não só para você, enquanto engenheiro, advogado, publicitário, designer, ou qualquer que seja a sua área de atuação, como também pode gerar resultados extremamente negativos para seus colegas de profissão, acarretando em uma ‘desvalorização em massa’ em relação a sua profissão.

Por isso a autovalorização profissional possui tanta importância. Já imaginou o mercado de trabalho desvalorizando todo tipo de trabalho que é feito dentro da sua profissão? Com certeza essa não é uma boa ideia, não é mesmo?

A autovalorização profissional e a automotivação

Levando em conta que autovalorização profissional é o mesmo que valorizar o seu trabalho e esforço profissional, podemos afirmar que essa prática está intimamente ligada a automotivação. Nesse sentido, o que é automotivação?

Automotivação é você se motivar diariamente em relação a uma tarefa, uma pessoa, um trabalho, um projeto, um relacionamento ou qualquer coisa que seja do seu interesse. Por isso insisto em dizer que a motivação é fundamental para que você consiga praticar a autovalorização profissional.

Se motive diariamente, independentemente dos desafios diários, das crises empresariais e das provocações do mercado de trabalho, a automotivação será uma grande aliada para você que compreende a importância do seu trabalho.

Com isso, você notará que será através da motivação e da valorização do seu tempo, esforço e trabalho, que você começará a praticar a autovalorização profissional. E para guiar seus passos para esse processo, separei algumas dicas, veja abaixo:

Procure se manter alegre!

As dificuldades sempre existirão, contudo, mantenha-se alegre e disposto para encarar as tarefas diárias. Seja em casa ou no trabalho, afinal, sua vida pessoal pode influenciar seus resultados profissionais. Nesse sentido, mesmo nas dificuldades, mantenha-se positivo e alegre, essa atitude pode mudar sua visão diante das dificuldades.

Vença seus medos e acredite em si mesmo!

Se rebaixar como profissional e até mesmo como pessoa não vai te ajudar a conquistar seus sonhos. Por isso, se valorize, acredite em seu potencial, estude e adquira conhecimentos sempre que for preciso.

Não espere as portas se abrirem

Muitos profissionais desmoralizam suas atividades profissionais e se desmotivam por conta da “falta de oportunidade”. O discurso pode variar entre:

  • A crise econômica está acabando com as oportunidades de mercado;
  • As empresas exigem muito dos profissionais da minha área;
  • Minha área não oferece boa remuneração;
  • Eu deveria ter feito outra faculdade.

Mas o que muitos desses profissionais não sabem, é que a principal ferramenta para as portas se abrirem, são eles mesmos. Ou seja, será o esforço, a garra, a vontade de crescer profissionalmente e a dedicação na entrega do produto ou serviço, que vão fazer a diferença para o cliente ou empresa.

Dessa forma, eu lhe digo para não esperar as portas se abrirem, ou muito menos para confiar que as oportunidades vão cair do céu. Levante desse sofá e coloque seus planos em ação. Vá atrás dos seus sonhos!

Autovalorização Profissional: como as empresas podem contribuir?

Ainda que o profissional consiga se manter motivado para se autovalorizar profissionalmente, é interessante que as empresas também façam sua parte. Afinal, o colaborador precisa de alguns incentivos positivos para conseguir manter o foco na produção.

Dessa forma, como uma empresa poderia contribuir para que seus colaboradores se mantenham motivados a se valorizar cada dia mais enquanto profissionais da área em questão? Veja algumas dicas abaixo:

A motivação começa na contratação

O processo seletivo inicia no momento da abertura da vaga, por isso, é importante que a empresa tenha consciência dos requisitos e pré-requisitos que vão ser cobrados na mesma.

Por exemplo, imagine uma empresa que anuncia uma vaga que tenha como pré-requisito saber falar inglês, é preciso ter pós-graduação na área, além de ter disponibilidade para viagens. Você, enquanto candidato preenche todos os requisitos da vaga e é contratado. Porém, depois de quase um ano dentro da empresa, percebe que não fez nenhuma viagem a trabalho e muito menos usou seu inglês. Como você se sente? Um tanto quanto desmotivado, não é mesmo?

Percebe o quanto a empresa deve se atentar as necessidades do seu colaborador desde a contratação?

Ofereça Plano de Carreira

É interessante que as empresas entendam que o plano de carreira não é simplesmente ensinar um colaborador para depois entrega-lo a outras empresas. Isso só acontecerá se a empresa trabalhar somente com essa opção de motivação profissional. 

As organizações devem compreender que o plano de carreira é também um plano para a empresa, afinal, o crescimento do seu profissional será refletido nos resultados da mesma, ou seja, o que chamo de resultados extraordinários aparecerão.  

Um empreendedor deve ter ciência exata que, colaboradores sem vontade de crescer, sem ambição e motivação não trazem resultados para a empresa. Por isso eu digo que investir em conhecimento, treinamento e aperfeiçoamento dos seus colaboradores, dando a eles chance de crescer profissionalmente é uma excelente estratégia para mantê-los motivados e felizes. O que resultará em autovalorização profissional, além de um crescimento para a empresa.

Remuneração Justa

Quando cito a remuneração justa como uma forma de manter os colaboradores motivados, não digo que você enquanto empresário, deva pagar “rios de dinheiro” para deixar seu colaborador feliz. Digo no sentido de valorizar o trabalho do seu colaborador.

Seja justo com ele, pense em toda a dedicação de tempo, de estudo e financeira que foi feita para que ele se tornasse um profissional qualificado. Se a sua empresa precisa de pessoas capacitadas, se o seu produto ou serviço é tão importante, as pessoas que trabalham para você precisam ser reconhecidas por realizarem suas atividades com tanta eficiência e eficácia. Por isso, a remuneração é sim uma forma de auxiliar seu colaborador com a autovalorização profissional.

Muito mais que essas três ideias de como uma empresa pode contribuir para a autovalorização profissional de seus colaboradores, é preciso que ela consiga perceber que existem seres humanos por trás de todos os processos, e que cada profissional precisa ser reconhecidos para que sigam ideais profissionais e pessoais.

Esse artigo foi útil para você? Depois de analisar a importância da autovalorização profissional, comente no espaço abaixo o quanto você se valoriza profissionalmente. Aproveite para curtir e compartilhar essa mensagem com seus amigos nas redes sociais.

Copyright: GaudiLab 

Compartilhe esse post

Sobre o autor

Autor

José Roberto Marques

Deixe seu comentário

Seja um Coach!

Concordo com a Politica de Privacidade Ao concordar com a politica e privacidade você aceita receber e-mails do IBC com conteúdos gratuitos de Coaching, informativos de palestras e cursos do IBC

Redes sociais