Entrevista de Desligamento: a importância da avaliação de um ex-funcionário

Entrevista de Desligamento: a importância da avaliação de um ex-funcionário
. A Entrevista de desligamento é uma ótima ferramenta para auxiliar as organizações quanto à retenção de talentos.

Ter colaboradores que exerçam suas atividades com excelência, tenham bom relacionamento interpessoal com os demais e busquem crescer junto com a organização em que trabalham são um dos maiores objetivos de qualquer empresa. Ter um alto desligamento de profissionais gera baixa produtividade e garante vantagem competitiva a outras empresas do mercado.

Portanto, descobrir os motivos que resultam nesta alta rotatividade é vital para qualquer negócio. A entrevista de desligamento é uma excelente ferramenta para gerar tal feedback. O método pode ser realizado por meio de conversa informal, pesquisas ou questionários e tem como objetivos:

  • Auxiliar a empresa quanto à construção de um plano de ações;
  • Evidenciar pontos de melhoria dentro da organização;
  • Revelar oportunidades de crescimento;
  • Aumentar a retenção de talentos;
  • Colher informações do profissional desligado acerca da empresa e quais são os sentimentos que o mesmo atribui a ela;
  • Melhorar o clima organizacional;
  • Identificar problemas de liderança;
  • Promover treinamentos diferenciados;
  • Realocar competências;
  • Rever a política salarial;
  • Gerar diferencial competitivo.

Como realizar a Entrevista de Desligamento

Para uma entrevista de desligamento, o departamento de Recursos Humanos deve realizar o processo junto ao gestor do colaborador que será desligado. Realizar a entrevista com base nas técnicas do Coaching é uma ótima forma de garantir resultados mais assertivos, visto que a técnica pode auxiliar a empresa na construção de um plano de liderança eficaz e a identificar pontos de qualidade e melhoria da organização.   

Após serem analisados, os dados são indicados por meio de relatório. É importante frisar que a veracidade de tais dados dependerá da franqueza do profissional desligado, o que pode não ocorrer, visto que o mesmo, por estar saindo da empresa, pode não ser honesto em suas respostas, ou ainda, pode se sentir pressionado ou desmotivado a relatar suas percepções. Ou seja, é importante que a entrevista seja basicamente um bate-papo informal, porém confidencial e em um local pacífico. O mais viável é que a mesma seja realizada pessoalmente, assim, o rapport é criado com maior facilidade.

O primeiro ponto relevante no processo é que a organização evidencie que o colaborador tem o seu apoio e suporte, e isso pode ser feito por meio de outplacement e carta de recomendação. O segundo ponto é garantir que o processo seja intercalado com perguntas padronizadas e outras não, garantindo a extinção de respostas tendenciosas, geração de percepções inesperadas e resultados mais assertivos.

Outro fator muito importante é que o entrevistador cumpra o papel de ouvir. Ele deve ser imparcial, não pode demostrar autoridade e precisa motivar o profissional a responder as perguntas que surgirem. O entrevistador deve procurar saber a percepção do colaborador quanto às práticas da empresa, ou seja, onde a mesma acertou e falhou, se ele gostava da função desempenhada, quais condições de trabalho podem ser melhoradas, imagem que o mesmo tem da organização, entre outras questões.

Uma empresa que se preocupa e valoriza seu capital humano é bem vista por seus profissionais. Saber que a organização possui políticas para garantir o bem-estar e melhorias para seus colaboradores é uma excelente forma de promover o aperfeiçoamento do trabalho da equipe, melhorar o clima organizacional, reter talentos, gerar diferencial competitivo e garantir o sucesso que a empresa deseja.

A sua empresa promove entrevistas de desligamento? Quais foram os resultados obtidos através da prática? Comente e compartilhe o artigo nas redes sociais. 

Imagem: kuzmafoto / Shutterstock

IBC - Instituto Brasileiro de Coaching: Av. Prof. Venerando Freitas Borges, 561 - Setor Jaó - Goiânia/ GO - CEP: 74.673-010