O que faz um gestor organizacional

© Depositphotos.com / vectomart O gestor organizacional possui responsabilidades diversas, que variam de acordo com a organização em que trabalha e com o departamento ou seção que dirige, mas todas são relacionadas a planejamento, organização e direcionamento.

O gestor organizacional possui responsabilidades diversas, que variam de acordo com a organização em que trabalha e com o departamento ou seção que dirige. Consideremos as funções básicas: planejar, organizar, dirigir e controlar, e também a responsabilidade de avaliar e prover soluções e melhorias aos processos.

Planejamento – estratégico, tático e operacional

O planejamento consiste na definição de metas e objetivos, análise da atual conjuntura e proposição de cenários futuros, além do estabelecimento de planos de ação para atingi-los e da programação das atividades a serem desenvolvidas. Os objetivos podem ser qualificados em níveis, que seguem a estrutura hierárquica da empresa e vão desde os estratégicos aos operacionais. Essa segmentação também está presente no planejamento, se dividindo em estratégico, tático e operacional.

O planejamento estratégico

Tradicionalmente ligado à cúpula da administração, aborda questões de longo prazo, com conteúdo abrangente e universal, tratando a empresa como um todo. Formulam diretrizes estratégicas que os demais níveis da empresa usarão como norteadores de seus planejamentos.

O planejamento tático

É desenvolvido por cada repartição da organização, que foca na consecução dos objetivos departamentais e apresenta resultados no médio prazo.

O planejamento operacional

Trata do imediato, do curto prazo. É estipulado no nível operacional e focaliza cada atividade a ser desempenhada.

A organização

A organização consiste na distribuição das atividades, buscando reuni-las em estruturas lógicas, elegendo pessoas, propiciando condições para realizá-las e gerenciando o empenho individual. A organização também pode ser segmentada de acordo com os níveis: global, departamental e operacional.

A direção

Essa função exige do gestor a capacidade de liderar, de se comunicar de maneira eficaz e de motivar e prover assistência aos colaboradores para que esses realizem as atividades da maneira esperada. Dirigir significa guiar as pessoas, instruindo-as para que executem as tarefas corretamente e alcancem os objetivos. Essa função também está atrelada à hierarquia da organização: os diretores dirigem os gerentes, que dirigem supervisores, que são responsáveis pela orientação dos colaboradores da área operacional.

Tarefa muito importante para as organizações, a direção bem executada deve prover celeridade e objetividade às atividades, evitando que caminhos sejam traçados erroneamente e recursos sejam empregados desnecessariamente.

O controle

Parâmetros de desempenho são estabelecidos previamente e comparados com os desempenhos alcançados. A partir dessa comparação, são formulados relatórios que verificarão a necessidade de ações corretivas ou melhorias nos processos.

O controle assume, dentro das empresas, três significados distintos: função restritiva e coercitiva, que busca inibir desvios comportamentais indesejáveis; regulação automática do sistema e dos processos, que é a manutenção da normalidade das atividades da empresa; e o controle como função administrativa, que está associada ao desenvolvimento dessa ação de maneira abrangente, em todas suas possibilidades.

A avaliação e a retroação

Avaliação e retroação são processos implementados constantemente dentro das empresas. Diante dos resultados alcançados, os gestores responsáveis por cada área realizam uma comparação com o que foi estabelecido como padrão para aquela atividade. Assim, se constatado que o desempenho foi inferior ao esperado, o caso será estudado a fim de identificar as causas da falta de êxito. Ao serem identificadas, sofrerão ações corretivas visando atingir os resultados esperados.

O nível de exigência de cada função do gestor está associado à cultura organizacional em que está inserido. Se a empresa tiver práticas participativas de planejamento, por exemplo, colaboradores subordinados podem contribuir para sua concepção, mas a responsabilidade por gerir essas contribuições será sempre do gestor.

O maior desafio do gestor organizacional é o de administrar os recursos disponíveis na organização – humanos, financeiros, tecnológicos, materiais e de informação, de maneira eficaz e que propicie a consecução dos objetivos estabelecidos.

Gostou desse artigo? Comente e compartilhe em suas redes sociais!

IBC - Instituto Brasileiro de Coaching: Av. Prof. Venerando Freitas Borges, 561 - Setor Jaó - Goiânia/ GO - CEP: 74.673-010