Você não pode consertar tudo

Consertar tudo.
Copyright: Alena Ozerova Sozinho, você não pode resolver os problemas do mundo.

Cada pessoa possui uma percepção singular sobre a vida e consciência individual sobre suas responsabilidades. Alguns, no entanto, acabam por assumir as obrigações de outras pessoas por tentarem agradar excessivamente os demais.

O egoísmo e a falta de autoestima fazem com que essas pessoas tentem, sem sucesso, carregar o mundo em suas costas. Muitas vezes, sendo a busca por atenção, na agitação do mundo moderno, onde muitos já não têm tempo para o outro.

Tentar consertar tudo, ajudar a todos e resolver os problemas que aparecem é um risco assumido. A sobrecarga emocional gerada e a probabilidade de falha são muito altas, podendo não trazer os resultados desejados, e causando um profundo sentimento de insatisfação e infelicidade.

Ser solidário com a dor do outro, não é toma-la para si

É importante conseguir diferenciar o ímpeto de ajudar, com o sentimento de assumir as responsabilidades que não lhe pertencem. Isso pode resultar no acomodamento do outro, fazendo com que ele não cresça. É essencial para a evolução, arcar com as próprias escolhas.

Os problemas dos demais não diminuirão simplesmente porque você se preocupa, ou porque você sofre junto a eles. Isso apenas causa desgastes necessários, tornando seu tempo escasso, dificultando que você cuide de suas próprias questões.

É essencial deixar que o próximo cresça em seu próprio ritmo. Talvez, ele possa estar exatamente como e/ou onde gostaria de estar.

O que o excesso de responsabilidades que não são nossas pode nos trazer?

O problema de outra pessoa não irá diminuir apenas pelo fato de você se preocupar com ele. Enquanto isso, os seus problemas vão se acumulando, já que você não estará cuidando de si. Isso pode somatizar em dores físicas e emocionais, como ansiedade, raiva e culpa.

Tudo isso é, normalmente, uma fuga. Fuga para se distanciar dos próprios problemas. Quanto mais tempo gasto com os outro, menor o tempo gasto olhando para dentro de você mesmo. Somos mestres em esconder nosso interior, até mesmo de nós. Isso está impregnado em nossas mentes: tentar ser algo que não se é de verdade. Desejar e dissimular algo inexistente.

Tire um tempo para você

Não perca mais tempo com coisas que você não pode resolver e que não farão grande diferença em sua vida. Permita-se descobrir o que você quer de verdade. Abra espaço para que você seja o protagonista da sua história e tome as rédeas dela.
Cuide apenas daquilo que você tem domínio, sejam suas ações, suas reações, sua maneira de pensar.

A partir do momento que atuar dessa forma, as coisas ruins afastarão naturalmente de você. Você começa a não se culpar tanto pelo que acontece a seu redor. Assim, você estará com seu coração aberto para novas possibilidades. O limite é muito maior do que podemos imaginar, quando nos permitimos nos tornar dono de nossas vidas. Acredite. E permita-se ir além!

Gostou do texto? Reflita um pouco e compartilhe esse artigo com seus amigos em suas redes sociais.

Compartilhe esse post

Sobre o autor

Autor

José Roberto Marques

José Roberto Marques é presidente do IBC, Master Coach Senior e Trainer. Um dos pioneiros em Coaching no Brasil, com mais de 25 anos de experiência em treinamento e desenvolvimento humano. Fundador e também presidente da Editora IBC, possui diversas obras publicadas. É professor convidado da Universidade de Ohio. Como Coach atende CEO’s e líderes de grandes organizações.

Deixe seu comentário

Seja um Coach!

Redes sociais