Autodidata: como saber se sou um e desenvolver essa habilidade?

Autodidata

Ser autodidata significa que a pessoa adquire conhecimento sobre determinado assunto de forma autônoma, através de muita pesquisa e prática. Saiba mais!

 

A grande e livre disponibilidade de material e informações mudou a forma como os seres humanos adquirem conhecimento. A curiosidade e a vontade de aprender, são características latentes de pessoas que fogem dos padrões tradicionais de aprendizagem e são nominados como autodidatas.

O autodidatismo refere-se ao processo e desenvolvimento intelectual independente, ou seja, a pessoa tem a capacidade de aprender algo, sem a necessidade de um professor ou mentor. O indivíduo adquire conhecimento sobre determinado assunto de forma autônoma, através de hábitos positivos, esforço, muita pesquisa e prática.

Há pessoas que possuem naturalmente essa predisposição de aprendizagem independente. Entretanto, não se trata de uma habilidade com a qual o indivíduo nasce. Ela pode muito bem ser desenvolvida através de técnicas e ferramentas que mostraremos mais à frente. 

Nesse sentido, desenvolver a habilidade de aprendizagem autodidata traz inúmeras vantagens para o ser humano, por exemplo:

  • Induz à independência pessoal;
  • Fornece maior eficiência para realizar tarefas;
  • Estimula a criatividade;
  • Desenvolve seu potencial total;
  • Gera versatilidade profissional;
  • Promove vantagem competitiva, entre outras.

Ser uma pessoa autodidata não é uma tarefa fácil, exige força de vontade, disciplina, raciocínio e boa memória, porém, não é algo impossível. Conheça a seguir, dicas para você se tornar uma pessoa autodidata:

Invista no seu autoconhecimento

O processo de autoconhecimento permite que você identifique suas qualidades, pontos de melhoria e limitações, a partir daí, você será capaz de definir caminhos mais assertivos para desenvolver o autodidatismo. Existem várias maneiras para que você possa se conhecer melhor.

Uma delas, que tem sido bastante comentada atualmente, é a meditação. Ela instiga que você direcione a sua atenção à sua mente e corpo por um determinado momento. Por exemplo, nós respiramos de forma involuntária e muitas vezes não reparamos nesse processo tão importante para o nosso corpo. A meditação ajuda justamente a tomar consciência sobre a respiração, deixando de ser algo meramente automático. Essa prática nos torna mais conscientes do nosso corpo e isso ajuda no processo de nos conhecermos melhor.

Outras práticas como dançar, cantar, pintar, escrever também auxiliam nesse processo. Em síntese, fazer o que você gosta vai te ajudar bastante no processo de autoconhecimento.  

Crie hábitos que te estimulem a estudar

Para conseguir se tornar uma pessoa autodidata, é essencial que você se livre de hábitos sabotadores e da procrastinação, criando uma rotina para desenvolver sua aprendizagem e cumprindo prazos.

Uma forma de burlar a preguiça é estabelecer metas diárias de estudos, por exemplo. Não precisa exagerar sobre a carga, seja realista! Mas de pouco em pouco todos os dias, o acúmulo de matérias e conhecimentos acumulados serão significativos. Ao perceber o avanço realizado, essa rotina de estudo será ainda mais fácil de ser continuada.

Outro ponto é ter um local de estudo que lhe seja agradável. Uma boa mesa com uma boa iluminação e uma cadeira confortável para sentar podem fazer toda a diferença. Ainda, vale experimentar o que você percebe que te estimula durante este momento.

Há pessoas, por exemplo, que se concentram mais durante determinado período do dia. Outras já conseguem se concentrar ainda mais se estiverem escutando música. Outras já gostam de estudar com leituras em voz alta. Não dá para dizer o que irá funcionar para você, sendo assim, que tal testar alguma dessas dicas que deixamos aqui? Depois nos conte nos comentários o que te estimulou mais a estudar!

Utilize o meio online como ferramenta de aprendizagem

A internet é uma ótima aliada para você conseguir desenvolver o autodidatismo. Através dela, você tem acesso a conteúdos e materiais gratuitos, vídeos, palestras e cursos online.

Se você souber usar a internet para explorar seu lado positivo, com certeza você achará muitos materiais interessantes e que de fato vão acrescentar para o seu crescimento. Ainda, a internet oferece conteúdos em diversas formas para serem consumidos, desde livros digitais gratuitos à vídeos gravados e podcasts. Isso pode te ajudar bastante a variar um pouco o padrão de estudo, que é o de ficar sentado em uma cadeira apenas lendo um material.

Talvez variar o molde como você adquire conteúdos pode te estimular a estudar mais. Mas, cuidado! A internet também pode ser um sinônimo de procrastinação fácil, em razão da facilidade de acesso a redes sociais e conteúdos de entretenimento. 

Estabeleça metas de estudo

Estabeleça metas, objetivos claros e realistas e estude de forma responsável para que você os consiga  alcançar. Uma boa maneira de não deixar suas metas de lado é escrevê-las em vários lugares. 

Por exemplo, deixe-as anotadas em seu papel de parede do celular, na sua agenda pessoal, em um papel colado em algum lugar a sua vista. Faça isso de maneira que você consiga anotar seu progresso. Essa atitude te ajuda a avaliar e mapear o seu progresso. 

Outra questão sobre as metas e objetivos que você estabelecer para si mesmo é a de ser realista. Caso você determine metas e objetivos irreais, o não cumprimento deles pode gerar grande frustração com você mesmo, o que pode te levar a desistir dos estudos e dos seus objetivos.

Administre seu tempo de forma inteligente

Desenvolva um cronograma e tenha compromisso ao segui-lo, tal ação gera eficiência e o ajudará no cumprimento das suas metas. De preferência, estabeleça um cronograma diário de estudo. Mesmo que por dia você tenha apenas 30 minutos, que eles sejam destinados especificamente e somente para isso. 

A quantidade de horas por dia que você tem disponível não significa necessariamente que você não vai conseguir atingir seus objetivos. Pelo contrário, pode ser justamente o empenho que faltava para você conseguir o que deseja. Outro aspecto é que qualquer tempo destinado aos estudos é tempo hábil e valioso que vai somar para o seu crescimento tanto pessoal como profissional. 

O importante mesmo é planejar e executar um cronograma de estudos e se manter fiel ao seu cumprimento!

Desafie-se a sair da sua zona de conforto

Desafie-se constantemente, procure novas informações, inspire-se em outras pessoas, estabeleça novas metas e utilize diferentes ferramentas para te auxiliarem em todo esse processo.

É muito importante se manter em constante movimento, para que você não fique acomodado no lugar em que se encontra. Se você conseguiu atingir uma meta que tinha determinado, parabéns! Mas não pare por aí e estabeleça uma nova meta para substituir a que foi atingida. Não coloque no lugar a mesma meta, comece a se desafiar para que você não fique no mesmo lugar!

Estamos dizendo isso, pois às vezes, acontece uma estabilização do rendimento, sendo que, para evitar isso, o ideal é que você busque novas fontes de conhecimento e novas formas de aprender, mantendo-se sempre dinâmico! Por exemplo, escute um podcast informativo enquanto está no trânsito ou fazendo exercícios físicos.

Busque sempre se conectar com outras pessoas, elas podem ser fonte de inspiração e podem te ensinar algo que você não sabia. Isso ajuda você a se manter motivado e a desenvolver uma visão mais criativa das situações. Muitas vezes, um ensinamento despretensioso, tirado de uma conversa com um amigo, pode te ajudar a solucionar algum problema.

Existem diversas atitudes que você pode tomar para sair da sua zona de conforto, basta que você comece a colocá-las em prática já!

Mantenha-se curioso

Diante de situações diferentes das que você está acostumado a vivenciar, você pode se posicionar de duas maneiras: ignorar o que está acontecendo e seguir sua vida ou procurar entender melhor o que está ocorrendo. Para se manter curioso, você deve escolher a segunda opção. 

Manter-se atualizado das realidades contemporâneas que acontecem ao seu redor é muito importantes para que você consiga se situar no espaço e tempo em que está inserido. Além disso, quem procura entender o que acontece a seu redor, instiga e estimula sua curiosidade.

A curiosidade pode vir a se tornar um valioso aspecto para quem deseja se tornar autodidata, pois são pessoas que possuem sede por conhecimento e estão constantemente em sua busca. 

Desenvolva uma percepção multidisciplinar

Durante o seu desenvolvimento profissional, provavelmente você acessou várias fontes de conhecimentos que podem ter ido desde o ensino médio até à faculdade. No colégio, por exemplo, você deve ter estudado diversos pontos de biologia, mas na faculdade optou por estudar mais a fundo engenharia civil. Será que existe algum ponto em comum entre esses dois assuntos, de áreas tão diferentes?

Um exemplo disso é a engenharia genética que mistura conceitos de engenharia com o de biologia e se trata de uma área do conhecimento multidisciplinar. Conseguir enxergar pontos de aproximação entre conteúdos, aparentemente nada semelhantes, ajuda a assimilar melhor as informações. Além disso, pessoas que possuem visão multidisciplinar estão mais próximas de propor soluções inovadoras, pelo fato de conseguirem enxergar um problema sob uma nova perspectiva, que não fora pensada até então.

Se você não consegue ter uma percepção multidisciplinar das coisas, não tem problema, mas é interessante que comece a se treinar para aproximar diversas áreas do conhecimento. Um sugestão é começar a experimentar coisas novas e que provavelmente não faria, como, por exemplo, entender melhor sobre o processo de composição de músicas. Pode ser que desse novo conhecimento saia um novo método de estudo, por exemplo.

Faça auto avaliações do seu desempenho

Autoavaliar-se é uma maneira muito indicada para se conhecer ainda melhor. Essa avaliação de si próprio exige um momento de reflexão sobre como você está se comportando diante das metas que estabeleceu para sua vida.

Esse momento de reflexão pode trazer valiosas descobertas se você for sincero consigo mesmo. Você será capaz de reconhecer os seus pontos de melhoria, tendo a oportunidade de ajustá-los, bem como os seus pontos fortes, os quais você que pode otimizar e potencializar. 

Além de refletir sobre si mesmo, se você realizar um acompanhamento diário das suas metas, conseguirá com base em dados e indicadores, determinar a evolução que conseguiu desempenhar. Isso será uma fonte de informação valiosa para avaliar se o seu desempenho foi bom ou ruim. 

Se tiver sido pior do que esperava, procure não se desesperar e busque soluções para os problemas que conseguiu identificar, já que ficar frustrado pode te levar a apenas querer ficar inerte e às vezes desistir. Mas não desista, procure conversar com pessoas que confia e desenvolva soluções práticas que representem a sua melhoria de desempenho.

Você se conhece verdadeiramente? Quer conhecer?
Clique aqui e descubra muito mais de você mesmo!

Dedique tempo de estudo a temas que você goste

Quando determinamos metas e objetivos, geralmente elas requerem que abdiquemos de coisas que gostamos de fazer, como, curtir uma noite de balada com os amigos. Entretanto, não é regra que o cumprimento de metas e objetivos precisa ser chato, você pode fazer com que esse processo fique mais interessante. 

Estudar sobre o que se gosta pode deixar sua rotina de estudos mais leve e interessante. Isso vai te ajudar também a desenvolver sua percepção multidisciplinar do mundo. Além disso, isso te ajuda a se manter motivado, uma vez que estará alimentando seu lado curioso. 

Tenha hábitos saudáveis 

As atividades que você realiza fora do horário de estudo também vão te ajudar a ser uma pessoa autodidata. Muitas vezes o stress que é gerado das pressões do seu dia a dia vão se amontoando. É necessário, portanto, que você não deixe isso te abalar, impactando em situações futuras, e busque atingir suas metas. 

É preciso, portanto, aliviar o stress. Existem inúmeros hábitos que você pode adotar para ficar com a mente mais leve. Alguns exemplos são a prática de exercícios físicos, nem que sejam por 30 ou 20 minutos diários; praticar atividades que estimulem a criatividade, como desenhar ou escrever; ler livros que não sejam de assuntos relacionados ao seu trabalho; entre outros.

Ser uma pessoa autodidata é, ao mesmo tempo, ser uma pessoa proativa, já que o autodidata não espera que o conhecimento venha até ele, ou seja, ele vai até o conhecimento, para que, com isso, ele tenha a oportunidade de desenvolver bem o seu intelecto. 

E você, se considera uma pessoa autodidata? Quais atitudes você toma para desenvolver tal habilidade? Deixe aqui seu comentário sobre o que achou deste artigo e lembre-se de compartilhar o artigo nas suas redes sociais!

 

Fontes: 

https://cursosavante.com.br/o-que-e-autodidata-como-saber-se-sou-autodidata/

https://www.stoodi.com.br/blog/2018/09/04/autodidata/

https://canaldoensino.com.br/blog/autodidata-10-dicas-para-desenvolver-essa-habilidade

 

Copyright Sergey Nivens



*Esse conteúdo não é fonte para veículos jornalísticos ou matérias para imprensa, para utilização ou referência por favor entre em contato conosco.

Deixe seu Comentário

IBC - Instituto Brasileiro de Coaching: Av. Prof. Venerando Freitas Borges, 561 - Setor Jaó - Goiânia/ GO - CEP: 74.673-010