Análise Fundamentalista – O que é, qual sua importância?

Gráficos

Veja como funciona a Análise Fundamentalista.

A análise fundamentalista é um tipo de avaliação realizada em empresas que tem como objetivo verificar seu valor real. Para isso, considera sua situação financeira, mercadológica, econômica e, em alguns casos, até política.

É um tipo de análise bastante comum de ser feita por pessoas que lidam com ações, seja comprando ou vendendo. Através dos aspectos avaliados é possível tomar decisões sobre adquirir ou vender ações de determinada companhia com mais segurança.

Continue a leitura para entender melhor o que é a análise fundamentalista e a sua importância no mercado financeiro.

Preencha AGORA o formulário para descobrir!

O que é a Análise Fundamentalista?

A análise fundamentalista é baseada na ideia de que se os fundamentos de uma empresa estiverem corretos e o preço da ação estiver abaixo de uma medida de valor, provavelmente será um bom investimento de longo prazo, independentemente das flutuações de preço de curto prazo.

O objetivo é avaliar a situação de uma empresa para verificar se o preço de suas ações está condizente com os resultados que ela pode oferecer. Assim, o investidor consegue tomar decisões sobre seus aportes, aumentando as chances de fazer bons negócios.

Como funciona a Análise Fundamentalista?

A análise fundamentalista tem como objetivo determinar se um ativo deve ser comprado ou vendido, considerando os seus dados públicos. Desse modo, torna-se possível identificar momentos ideais para compra e venda, calcular o valor intrínseco de um ativo e analisar tendências que possam impactar a avaliação de um ativo.

Dependendo de qual é a classe de ativo analisado, são utilizados indicadores fundamentais diferentes. As taxas de juros podem influenciar títulos e moedas, enquanto fatores como vantagem competitiva e índices financeiros podem afetar o valor de uma ação. Essas variáveis ​​fundamentais podem ser segmentadas em fundamentos quantitativos e qualitativos.

Fundamentos quantitativos

São quaisquer ​​medidas variáveis ou que possam ser expressas através de números. Os fundamentos quantitativos são bastante importantes porque permitem a comparação com títulos do mesmo setor ou da mesma classe de ativos.

Alguns exemplos são a relação índice Preço/Lucro, receita e passivo circulante. Todos esses valores quantitativos aparecem nas demonstrações financeiras de uma empresa, o que facilita a análise.

Fundamentos qualitativos

Os fundamentos qualitativos são tudo aquilo que não pode ser medido em números. Eles podem representar, por exemplo, a presença da marca na mídia ou a diretoria de uma empresa. Esses fatores podem ser motivados pela opinião e são mais difíceis de se comparar do que os fundamentos quantitativos, por serem subjetivos.

Análise fundamentalista de ações

Ao analisar o balanço patrimonial, a demonstração de resultados e de fluxo de caixa de uma empresa, os investidores podem chegar ao que seria o valor justo de uma ação. Os analistas utilizam dados de análise de estoque para entender onde essa companhia está posicionada em seu setor, na economia e em relação aos seus concorrentes.

São vários os tipos de índices financeiros que podem ajudar a determinar a avaliação de uma ação, veja quais são os principais.

Índices de preço

Os índices de preços ajudam a entender se o preço de mercado de uma ação está adequado em relação aos seus fundamentos. Além disso, permitem a análise de situações de valorização de uma ação, de modo a verificar se é ou não justificada. Isso pode ser descoberto quando são feitas comparações com a média da indústria e os concorrentes diretos.

São exemplos de índices de preço:

  • Lucro por Ação (LPA) ou EPS, na sigla em inglês para Earnings per Share;
  • Relação Preço sobre Lucro (P/L);
  • PEG (Price Earnings to Growth) ou Índice de Preço sobre Lucro em Crescimento;
  • Índice P/B (preço / valor contábil).

Índices de lucratividade

Os índices de lucratividade permitem compreender a eficiência de uma empresa na geração de lucros a partir de suas operações comerciais. Ter um índice de lucratividade maior em comparação aos concorrentes é uma vantagem competitiva.

Essas proporções fornecem informações úteis quando comparadas com o histórico de uma empresa, seus concorrentes imediatos e as médias do setor.

Exemplos:

  • ROA (Return on Assets) ou Retorno sobre o Ativo;
  • ROE (return on equity) ou Retorno sobre o Patrimônio;
  • Margem de lucro.

Índices de liquidez

Os índices de liquidez são um conjunto de métricas utilizadas para verificar a liquidez de uma empresa, ou seja, sua capacidade de pagar suas dívidas de curto prazo sem a necessidade de se levantar capital.

As companhias com índices baixos de liquidez devem se manter atentas em relação a isso. Por não possuírem uma reserva de caixa, qualquer turbulência no mercado pode significar sérios problemas.

Exemplos:

  • Índice atual, é calculado usando o balanço patrimonial;
  • Índice rápido (quick ratio), calculado através da diferença entre o ativo circulante e o estoque.

Índices de alavancagem

Também conhecidos como índices de endividamento, os índices de alavancagem visam descobrir o quanto das operações de uma empresa são custeadas por empréstimos. Geralmente, quanto menor o índice de alavancagem, menos a companhia depende de empréstimos para tocar suas operações.

No entanto, é importante se atentar ao outro lado da moeda. Empresas com baixos índices de alavancagem podem não ter como aproveitar as mesmas oportunidades de crescimento que as empresas que contam com financiamentos para tal.

Exemplos:

  • Relação dívida / patrimônio;
  • Índice de Cobertura de Juros.

Índices de eficiência

Os índices de eficiência medem a eficiência de uma empresa em relação às suas operações. Empresas eficientes podem agilizar as operações de negócios para melhorar os seus resultados financeiros. Assim, adquirir ações com um alto índice de eficiência pode significar ter bons retornos.

Exemplos:

  • Giro do ativo;
  • Giro de estoque.

Conclusão

Embora tenhamos falado mais a respeito de ações, as técnicas de análise fundamentalista podem ser aplicadas em todos os mercados. O fato de as empresas que estão listadas nas principais bolsas de valores divulgarem seus dados financeiros anualmente, permite que os analistas possam realizar os cálculos e identificar o valor fundamental das ações.

O uso da análise fundamentalista pode fornecer um vasto conjunto de ferramentas para se obter uma visão do mercado, contudo, os indicadores não devem ser analisados isoladamente. Eles devem funcionar como parte de uma análise que considera uma série de variáveis.

Você já conhecia a análise fundamentalista? Deixe seu comentário abaixo e compartilhe o conteúdo com os seus amigos que têm interesse no mercado financeiro!

O artigo é bom, né?

No IBC é assim, não custa nada evoluir e alcançar resultados extraordinários. Se você quer seguir por esse caminho de evolução é só baixar o nosso e-book gratuito,
Tudo sobre Coaching. Preencha o formulário abaixo com seus dados para ler.
José Roberto Marques

Sobre o autor: José Roberto Marques é referência em Desenvolvimento Humano. Dedicou mais de 30 anos a fim de um propósito, o de fazer com que o ser humano seja capaz de atingir o seu Potencial Infinito! Para isso ele fundou o IBC, Instituto que é reconhecido internacionalmente. Professor convidado pela Universidade de Ohio e Palestrante da Brazil Conference, na Universidade de Harvard, JRM é responsável pela formação de mais de 50 mil Coaches através do PSC - Professional And Self Coaching, cujo os métodos são comprovados cientificamente através de estudo publicado pela UERJ . Além disso, é autor de mais de 50 livros publicados.



*Esse conteúdo não é fonte para veículos jornalísticos ou matérias para imprensa, para utilização ou referência por favor entre em contato conosco.

Deixe seu Comentário

IBC - Instituto Brasileiro de Coaching: Av. Prof. Venerando Freitas Borges, 561 - Setor Jaó - Goiânia/ GO - CEP: 74.673-010
CNPJ: 31.328.744/0001-63

This will close in 0 seconds