Perfeccionismo no Trabalho – Um comportamento positivo ou negativo?

Perfeccionismo

Por mais que a ideia de buscar a perfeição pareça positiva, os excessos tendem a ser problemáticos. Confira quais são os problemas no ambiente de trabalho.

Existem profissionais que se dizem perfeccionistas quando perguntados sobre um defeito que possuem em entrevistas de emprego. Trata-se de uma tentativa de agregar mais uma qualidade disfarçada. Entretanto, o perfeccionismo no trabalho pode não ser um comportamento tão positivo assim. Continue lendo para saber mais a respeito.

O que o perfeccionismo significa?

O prefixo ismo está ligado à ideia de vício, daí temos tabagismo, alcoolismo e assim por diante. Então, seguindo essa lógica, podemos dizer que o perfeccionismo é o vício em perfeição. Por mais que a ideia de buscar a perfeição pareça positiva, devemos lembrar que excessos, principalmente se ligado a vícios, não são positivos.

Um profissional perfeccionista poderá desperdiçar horas de trabalho cuidando de detalhes insignificantes de um projeto. Além disso, são grandes as chances de que um indivíduo com esse perfil não saiba lidar bem com críticas e tenha problemas para trabalhar em equipe.

Veja que são atitudes que vão na contramão da busca atual por uma gestão mais horizontal, em que o feedback e o trabalho em equipe ocupam um espaço importante. Considerando tudo isso podemos dizer que o perfeccionismo no trabalho tem mais pontos negativos do que positivos. Entretanto, existem maneiras de transformá-lo em um comportamento positivo e fazer com que resulte em um bom desempenho.

Comece a ter o

Destaque

que você merece!

Preencha os campos abaixo para receber o e-book.

Os problemas do perfeccionismo no trabalho

Observe alguns dos principais problemas do comportamento perfeccionista e veja o quanto pode ser prejudicial, tanto no trabalho quanto na vida pessoal.

Esperar as condições perfeitas para realizar algo – O perfeccionista, muitas vezes, deixa de fazer algo por não ter as condições perfeitas para agir. Isso pode prejudicar grandemente o seu desenvolvimento e comprometer sua produtividade no trabalho.

Problemas com críticas – O perfeccionismo costuma ser motivado por uma grande aversão a críticas. A pessoa se esforça ao máximo para alcançar a perfeição e não ouvir qualquer comentário negativo sobre o seu trabalho. Isso é ruim porque os feedbacks são muito importantes para o crescimento, especialmente dentro de uma empresa.

Desperdiçar tempo com detalhes insignificantes – O perfeccionismo se torna negativo também quando leva o indivíduo a se prender a detalhes insignificantes. Dessa maneira, muitas vezes o objetivo deixa de ser alcançar um bom resultado e se transforma na busca por uma perfeição vazia, que não tem relevância.

Desenvolvimento de medos paralisantes – Como muitos perfeccionistas têm esse comportamento pelo medo do julgamento, eles têm chances de desenvolver medos paralisantes. Deixam de fazer coisas por medo de não serem bem sucedidos e receberem críticas.

Foco apenas no resultado – Ao realizar uma atividade, é importante considerar o resultado. Entretanto, o processo deve ser visto com atenção porque ao longo da jornada é possível aprender muito e, até mesmo, identificar novas formas de executar a tarefa.

7 Dicas para evitar o excesso de perfeccionismo no trabalho

Como tudo na vida, o perfeccionismo tem seu lado bom e ruim. Com boas doses de autoconhecimento e equilíbrio é possível equilibrar esse comportamento e extrair o melhor que ele tem a oferecer. Confira as dicas a seguir e saiba como conseguir isso.

1. Reconheça os momentos em que seu perfeccionismo aflora

A primeira atitude que você deve tomar para controlar o perfeccionismo excessivo é reconhecer os momentos em que ele aflora. Verifique em que tipo de atividade ele se torna mais intenso ou se sente a necessidade de perfeição em tudo. Quanto mais informações obtiver agora, mais facilidade terá para dar os próximos passos.

2. Aceite o que não puder controlar

É muito importante se questionar para diferenciar as coisas que estão ao seu alcance daquelas que não pode controlar. Assim, poderá se dedicar ao que está em suas mãos, claro, de forma equilibrada e sem excessos, e aceitar o que não está. Tenha sempre em mente que, mesmo que não possa controlar tudo, você pode escolher como irá lidar com as experiências e como elas irão te afetar.

3. Entenda que críticas não reduzem quem você é

Se você se incomoda ao receber críticas, ao ponto de deixar de fazer coisas por medo delas, procure repensar o que te leva a isso. Uma crítica, seja à sua aparência ou comportamento, não reduz quem você é. Se for um comentário que percebe que é maldoso, ignore e mantenha o foco na sua essência, que é o que importa.

4. Utilize feedbacks como direcionamentos para crescer

Ainda em relação às críticas, quando elas são feitas com o intuito de te incentivar a melhorar, chamamos de feedbacks. Se alguém, como um colega de trabalho ou mesmo seu chefe, faz um comentário sobre uma atitude sua, relacionado a algo que pode melhorar, acolha essas palavras. Reflita se tem mesmo fundamento e utilize para o seu crescimento.

5. Ressignifique seus padrões de exigência

Um passo essencial para evitar o perfeccionismo desmedido é ressignificar os seus padrões de exigência. Reflita sobre eles e procure compreender que as coisas não precisam estar sempre perfeitas. Busque, sim, sempre dar o seu melhor, mas sem exigir demais de si. Adote padrões realistas para que faça um bom trabalho, mas sem fugir do que é possível.

6. Observe seu diálogo interno

Como é o seu diálogo interno? Geralmente, os perfeccionistas costumam ser extremamente rígidos consigo mesmos, usando palavras duras para se punir. Ao fazer essa observação, aproveite para se questionar se falaria da mesma maneira com um amigo muito querido. Possivelmente a resposta será não, então, por que falar assim consigo mesmo? Acredite, a gentileza fará muito melhor a você do que o excesso de rigor.

7. Entenda que feito é melhor do que perfeito

Falamos ao longo do artigo que, em muitos casos, o perfeccionismo leva uma pessoa a deixar de fazer coisas por não ter as condições perfeitas para tal. Assim, ela perde grandes oportunidades, além de ter seu desempenho profissional comprometido.

Sendo assim, procure adotar como um mantra a frase que diz que feito é melhor do que perfeito. Faça sempre o seu melhor, dentro das suas possibilidades, e irá alcançar resultados extraordinários!

O perfeccionismo excessivo é uma das piores formas de autoabuso e autossabotagem. Portanto, se deseja ter um bom desempenho no trabalho, comece a se dedicar sem exigir de si padrões irreais, pois isso pode mais atrapalhar do que ajudar.

Se este conteúdo te ajudou de alguma maneira, deixe seu comentário abaixo e aproveite para compartilhá-lo em suas redes sociais, passando a reflexão adiante!

Imagem: Por Prostock-studio

E aí, curtiu esse conteúdo?

Saiba que ele é apenas a pontinha do iceberg e você pode desenvolver suas habilidades de liderança muito mais. Baixe agora o ebook Leader Coach e aprenda como extrair o máximo resultado da sua equipe.
Preencha o formulário, é de graça.
José Roberto Marques

Sobre o autor: José Roberto Marques é referência em Desenvolvimento Humano. Dedicou mais de 30 anos a fim de um propósito, o de fazer com que o ser humano seja capaz de atingir o seu Potencial Infinito! Para isso ele fundou o IBC, Instituto que é reconhecido internacionalmente. Professor convidado pela Universidade de Ohio e Palestrante da Brazil Conference, na Universidade de Harvard, JRM é responsável pela formação de mais de 50 mil Coaches através do PSC - Professional And Self Coaching, cujo os métodos são comprovados cientificamente através de estudo publicado pela UERJ . Além disso, é autor de mais de 50 livros publicados.



*Esse conteúdo não é fonte para veículos jornalísticos ou matérias para imprensa, para utilização ou referência por favor entre em contato conosco.

Deixe seu Comentário

IBC - Instituto Brasileiro de Coaching: Av. Prof. Venerando Freitas Borges, 561 - Setor Jaó - Goiânia/ GO - CEP: 74.673-010