Quais os riscos de conformar-se com tudo?

peça de xadrez diferente

Entende quais são os perigos para o desenvolvimento pessoal e profissional no ato de conformar-se sempre

De acordo com o dicionário, o conformismo é o ato de aceitar passivamente situações incômodas sem qualquer tipo de questionamento. Conformar-se com tudo é prejudicial porque significa abrir mão de mudar aquilo que está gerando desconforto. É uma postura que está bastante ligada à desistência da própria satisfação e felicidade.

Quando aceitamos tudo deixamos de lutar por aquilo que acreditamos. Sem luta não há crescimento e nem evolução, apenas a aceitação de tudo o que acontece. E é importante lembrar que o conformismo não é sinônimo de flexibilidade, pois são atitudes bastante diferentes.

Continue lendo para saber mais a respeito do risco de conformar-se com tudo, além de conferir dicas de como mudar essa postura. Vamos lá?

Preencha AGORA o formulário para descobrir!

Conformar-se com tudo: qual a origem dessa atitude?

O conformismo pode ter origens diferentes, variando de acordo com características e experiências pessoais. Saiba mais sobre as mais comuns.

Considerar a outra pessoa mais experiente

A primeira possível origem para uma postura de conformismo ocorre quando um indivíduo acha que deve aceitar o que o outro diz sem questionar por considerá-lo alguém mais experiente. Embora isso pareça correto, devemos lembrar que pessoas experientes também podem se equivocar.

Quando vamos a uma consulta médica, por exemplo, é certo que o profissional tem muito mais conhecimento do que nós sobre os temas abordados. Entretanto, é válido fazer certos questionamentos para entender o motivo para cada indicação. Quando isso é feito respeitando o conhecimento daquele que é mais experiente, apenas como forma de agregar, essa se mostra como uma postura natural e até saudável.

Manter a reputação

Imagine que está tomando um cafezinho com os colegas de trabalho e alguém começa um assunto polêmico. Então, todos vão dando a sua opinião e um confirma o que o outro disse. Contudo, você pensa de forma contrária a todos eles e se cala por não desejar se indispor com ninguém.

Em certas situações é até válido não entrar em discussões vazias, especialmente quando os demais se mostram com pouca abertura ao diálogo. Contudo, fazer isso em toda ocasião, mesmo quando se calar poderá trazer coisas para a sua vida que não gostaria, se torna uma atitude problemática e prejudicial.

Comportamento de cascata

O chamado comportamento de cascata se refere a um fenômeno social em que as pessoas começam a seguir as opiniões da maioria. Elas não se questionam se aquilo faz realmente sentido e apenas concordam, como em um efeito manada.

Falta de autoconfiança

Em se tratando de assuntos totalmente pessoais e que não envolvem terceiros, um indivíduo pode se mostrar conformado com sua realidade por não confiar em sua capacidade de mudança. Afinal, se ele não acredita que pode fazer diferente e ir além, acabará inerte, aceitando tudo o que lhe causa desconforto.

Principais riscos de conformar-se com tudo

Os riscos de conformar-se com tudo são diversos. Podemos começar falando sobre eles citando a quantidade de conquistas que a sociedade perderia. O direito ao voto no Brasil, por exemplo, foi fruto de uma mobilização popular. Se tantas pessoas não tivessem se unido para lutar por isso, certamente esse direito teria levado muitos anos para ser conquistado.

Agora, em se tratando do âmbito pessoal, uma pessoa que se conforma com tudo abre mão de lutar pela sua felicidade. Ela deixa que os demais coloquem suas vontades sempre acima das dela, gerando uma frustração que a longo prazo pode se transformar em problemas sérios, como a depressão e outros tipos de transtorno.

Conformar-se com tudo é abrir mão do próprio poder de escolha, de decidir os caminhos que irá seguir, de aprender com os erros, lutar, conquistar. É por isso que devemos estar sempre atentos para identificar qualquer sinal de conformismo em nosso comportamento. Assim, podemos entender a razão dessa postura e ressignificá-la dentro de nós.

5 Atitudes para sair do conformismo e assumir o controle da própria vida

Veja, a seguir, algumas dicas que te ajudarão a sair do conformismo e assumir de uma vez por todas o controle da sua própria vida. Lembrando que isso não significa que passará a discordar de tudo e de todos e sim que saberá quando é a hora certa de se impor.

1. Saiba diferenciar ser flexível de ser conformado

Em primeiro lugar, é preciso saber diferenciar flexibilidade de comodismo. Ser flexível significa se adaptar ao que não pode mudar, já a acomodação está ligada a aceitar tudo, mesmo aquilo que teria condições de resolver.

É importante ter essa consciência para evitar sair de um lugar de comodismo para entrar em outro de questionamento excessivo. Afinal, existem situações em que a adaptação é a melhor escolha e apenas através do bom senso se torna possível solucionar isso.

2. Entenda que não precisa agradar ninguém para ser aceito

Mais um passo importante para sair do comodismo é entender que você não precisa agradar ninguém para ser aceito. Entenda que as pessoas que estão ao seu lado o fazem exatamente por quem você é. Por isso, não é necessário agradá-las a qualquer custo como forma de recompensa.

3. Reconheça sua força para mudar o que incomoda

Para se sentir estimulado a mudar o que incomoda e se posicionar é preciso reconhecer a força que possui. Então, se costuma duvidar de si mesmo e tem a autoestima baixa, procure entender a origem disso. Comece a reconhecer suas qualidades, suas conquistas, assim, começará a confiar mais em si e no seu potencial.

4. Adapte o que não puder mudar por completo

Nem sempre será possível mudar tudo o que incomoda, mas sempre é possível adaptar, se não externamente, internamente. Observe ao redor, pense fora da caixa e conseguirá encontrar boas saídas em qualquer tipo de situação.

5. Jamais abra mão de um direito que possui

Jamais abra mão de lutar pelos seus direitos, afinal, se os possui é porque é digno deles. Portanto, siga em frente com a certeza de estar fazendo o que é certo. Se possível, se una a outras pessoas com causas semelhantes, tornando-se parte de uma poderosa corrente.

O oposto de coragem em nossa sociedade não é covardia, é conformismo. Portanto, tenha coragem de se mostrar verdadeiramente, expor sua essência e suas ideias, é isso que o torna único!

Este conteúdo fez sentido para você? Passe-o adiante, compartilhando através das suas redes sociais!

Imagem: Por Stepan Kapl

O artigo é bom, né?

No IBC é assim, não custa nada evoluir e alcançar resultados extraordinários. Se você quer seguir por esse caminho de evolução é só baixar o nosso e-book gratuito,
Tudo sobre Coaching. Preencha o formulário abaixo com seus dados para ler.
José Roberto Marques

Sobre o autor: José Roberto Marques é referência em Desenvolvimento Humano. Dedicou mais de 30 anos a fim de um propósito, o de fazer com que o ser humano seja capaz de atingir o seu Potencial Infinito! Para isso ele fundou o IBC, Instituto que é reconhecido internacionalmente. Professor convidado pela Universidade de Ohio e Palestrante da Brazil Conference, na Universidade de Harvard, JRM é responsável pela formação de mais de 50 mil Coaches através do PSC - Professional And Self Coaching, cujo os métodos são comprovados cientificamente através de estudo publicado pela UERJ . Além disso, é autor de mais de 50 livros publicados.





*Esse conteúdo não é fonte para veículos jornalísticos ou matérias para imprensa, para utilização ou referência por favor entre em contato conosco.

Deixe seu Comentário

IBC - Instituto Brasileiro de Coaching: Av. Prof. Venerando Freitas Borges, 561 - Setor Jaó - Goiânia/ GO - CEP: 74.673-010