Quais as vantagens e desvantagens da Economia Colaborativa?

equipe de empresários reunidos

A Economia Colaborativa prevê que o consumidor pode usufruir de um produto/serviço sem precisar adquiri-lo permanentemente.

O conceito de economia colaborativa, ou economia compartilhada como também é chamada, é o compartilhamento. Mudanças na forma como consumimos fez com que aumentasse significativamente o número de adeptos desse modelo. Trata-se de uma tendência em nível mundial que demonstra que irá crescer e se consolidar.

Continue lendo para entender quais são as vantagens e desvantagens desse modelo econômico.

O que é Economia Colaborativa?

A base da economia colaborativa está na ideia do compartilhamento de produtos e serviços. Seguindo por uma linha mais sustentável, ela prevê que o consumidor pode usufruir de um produto/serviço sem precisar adquiri-lo permanentemente. Por exemplo, uma pessoa que gosta de andar de bicicleta no parque uma vez a cada 15 dias pode alugar o equipamento.

Considerando os dias que a bicicleta vai ficar parada, é mais vantajoso alugá-la. Há pessoas que alugam ferramentas, como furadeira, parafusadeira e outras, para fazer reparos domésticos em vez de comprar esses itens. A ideia é ter acesso a produtos/serviços em um momento de necessidade sem adquiri-los de forma permanente.

O crescimento da economia colaborativa é um reflexo da nossa economia atual. Em um cenário pós-crise econômica foi necessário que as grandes empresas deixassem de ser fornecedoras de produtos/serviços para se tornarem intermediadoras.

A Uber é um grande exemplo disso, embora seja a maior empresa de mobilidade urbana do mundo, não possui nenhum carro. O papel da companhia é intermediar a relação de quem presta serviço (motoristas) e interessados (passageiros).

Comece a ter o

Destaque

que você merece!

Preencha os campos abaixo para receber o e-book.

Vantagens da Economia Colaborativa

Empresas que adotam o modelo de economia colaborativa para seus empreendimentos têm acesso a algumas vantagens. Confira, a seguir, os benefícios dessa abordagem.

Redução de custos

Uma das características de maior destaque desse modelo é o fato de não precisar adquirir permanentemente nenhum produto/serviço. Dessa forma, a companhia pode optar pela terceirização de alguns produtos/serviços imprescindíveis. Imagine uma empresa que precisa de novos notebooks e impressoras. Em vez de adquirir esses equipamentos, é possível alugá-los.

A vantagem do aluguel está no fato de que os itens terão garantia de manutenção pela locadora. Se fosse comprar os equipamentos, a empresa iria desembolsar o valor total deles e ainda os custos de manutenção preventiva. Caso os notebooks comprados apresentem defeito, ficará a cargo da empresa comprar outros. Se forem alugados, haverá pronta reposição.

Melhor produtividade e qualidade

Na economia colaborativa, se destaca quem oferece os melhores produtos/serviços. Dessa forma, é natural que as empresas passem a atuar de maneira mais focada em aumentar a sua produção sem perder a qualidade. A busca pela excelência se torna algo muito mais essencial e relevante no dia a dia da companhia.

Maiores oportunidades de networking

A economia colaborativa oferece muito mais oportunidades de networking para as empresas. As relações entre empresas e colaboradores são diferentes nesse contexto e isso abre possibilidades. Além do mais, sempre é possível trabalhar em conjunto com alguns concorrentes indiretos para obter mais vantagens no mercado.

Sustentabilidade

Uma das principais vantagens da economia colaborativa é ter uma proposta mais sustentável. Como a ideia básica é compartilhar produtos/serviços, há automaticamente uma redução de uso de matérias-primas e desperdício. Para entender melhor, imagine um edifício com 60 apartamentos. Não é necessário que haja uma furadeira em cada um deles.

Para os pequenos reparos, basta que haja uma furadeira que possa ser locada pelos moradores quando necessário. Essa simples ideia vale para diversos contextos da nossa vida. A economia colaborativa se destaca por ser mais sustentável e uma excelente oportunidade de mercado para quem tem menos recursos. Não é necessário um grande aporte financeiro para dar início ao seu empreendimento.

Maior engajamento

O modelo de negócios proposto pela economia colaborativa gera um maior engajamento entre os participantes. Tanto os empresários quanto a força de trabalho mobilizada, como restaurantes e entregadores, tendem a ter mais engajamento. Há maior troca entre os colaboradores e os empresários. Dessas trocas surgem relações mais intensas e com mais oportunidades de crescimento em paralelo.

Alinhamento com as tendências

Para se dar bem no mercado corporativo, é essencial acompanhar as tendências. Os modelos de negócios de economia colaborativa se destacam exatamente por ser uma forte tendência. Ao dar início a um empreendimento focado nesse modelo econômico, se tem um leque mais amplo de possibilidades.

Desvantagens da Economia Colaborativa

Assim como tudo na vida, a economia colaborativa pode apresentar algumas desvantagens. Entenda melhor a seguir quais são esses aspectos não tão positivos desse modelo econômico.

Menor patrimônio físico

Uma possível desvantagem de adotar o modelo de economia colaborativa está no fato de formar um patrimônio físico potencialmente menor. Voltando ao exemplo da compra de notebooks e impressoras, no caso do aluguel os equipamentos não pertencem à empresa.

Dessa forma, não contam como parte do patrimônio e continuarão gerando o custo do aluguel. É interessante que o gestor analise se a linha de economia colaborativa trará mais bônus ou ônus para a sua companhia.

Margens de lucro menores

Dependendo da forma como a sua empresa ou prestação de serviços será inserida no mercado, a margem de lucro pode ser reduzida. A partir do momento em que o produto/serviço da sua companhia é oferecido através de intermediação, pode se tornar menos lucrativo. Isso porque será necessário repassar a parte do intermediador.

A dica para driblar essa desvantagem é apostar em modelos de negócios colaborativos criativos. Entrar no mercado com uma proposta diferente do que já existe pode ser o segredo para chegar ao sucesso. Pense em qual é a forma de trabalhar com mais efetividade.

Menor oficialização da força de trabalho

Uma das características da economia colaborativa é a intermediação do serviço alheio por uma empresa. Por ser um modelo novo de trabalho, não possui regulamentação própria e isso pode gerar algumas situações conflituosas entre empresas e terceirizados.

Para os colaboradores, é uma desvantagem pela insegurança contratual que oferece. Para os gestores se torna fonte de potenciais problemas judiciais. É importante acompanhar as decisões jurídicas nesse cenário e ter um plano de posicionamento a respeito.

Gostou de saber mais sobre economia colaborativa? Deixe seu comentário sobre o assunto e compartilhe em suas redes sociais para passar o conhecimento adiante! 

Imagem: Por Pressmaster

E aí, curtiu esse conteúdo?

Saiba que ele é apenas a pontinha do iceberg e você pode desenvolver suas habilidades de liderança muito mais. Baixe agora o ebook Leader Coach e aprenda como extrair o máximo resultado da sua equipe.
Preencha o formulário, é de graça.
José Roberto Marques

Sobre o autor: José Roberto Marques é referência em Desenvolvimento Humano. Dedicou mais de 30 anos a fim de um propósito, o de fazer com que o ser humano seja capaz de atingir o seu Potencial Infinito! Para isso ele fundou o IBC, Instituto que é reconhecido internacionalmente. Professor convidado pela Universidade de Ohio e Palestrante da Brazil Conference, na Universidade de Harvard, JRM é responsável pela formação de mais de 50 mil Coaches através do PSC - Professional And Self Coaching, cujo os métodos são comprovados cientificamente através de estudo publicado pela UERJ . Além disso, é autor de mais de 50 livros publicados.



*Esse conteúdo não é fonte para veículos jornalísticos ou matérias para imprensa, para utilização ou referência por favor entre em contato conosco.

Deixe seu Comentário

IBC - Instituto Brasileiro de Coaching: Av. Prof. Venerando Freitas Borges, 561 - Setor Jaó - Goiânia/ GO - CEP: 74.673-010