Mapa Mental – O que é e como fazer?

Você sabe o que é Mapa mental? Confira agora mesmo

O nome mapa mental já nos dá uma boa dica sobre seu significado. Trata-se de uma representação gráfica de um pensamento. Pode ser usado para transmitir uma ideia para alguém ou mesmo para fixar algo que aprendeu. Muitos estudantes fazem mapas mentais do conteúdo aprendido em sala de aula para estudar para provas e concursos. É uma forma diferente de registrar informações e que tem um efeito melhor para a mente do que uma simples anotação.

Se deseja entender melhor o que é um mapa mental e conferir dicas de como fazer, é só continuar a leitura.

O que é um Mapa Mental?

Criada em 1970 pelo psicólogo Tony Buzan, a técnica do mapa mental tem como objetivo estimular todo o potencial que o cérebro possui. Para isso, se utiliza as habilidades ligadas ao córtex cerebral, incluindo as percepções em relação a palavras, números, imagens, lógica, cores, além da consciência espacial.

Os mapas mentais podem ser usados em diversos tipos de situações em que se tenha o desejo de aprimorar o pensamento e melhorar o desempenho. Enquanto se cria os elementos da imagem, aquele conhecimento é sendo absorvido. Da mesma forma que a leitura após sua conclusão também traz benefícios muito interessantes.

7 Benefícios do Mapa Mental

Para entender melhor a técnica de criar mapas mentais, é interessante se aprofundar nos benefícios que ela pode oferecer. Veja quais são os principais.

1 – Aprendizado

Os mapas mentais têm se tornado cada vez mais populares entre estudantes exatamente por conta de seu grande potencial de gerar aprendizado. Inclusive, recentemente se tornou febre nas redes sociais os chamados “studygrams”, perfis no Instagram em que jovens compartilham métodos de estudo e mapas mentais sobre o conteúdo que estão estudando.

2 – Obter uma visão geral sobre determinado assunto

Ter uma visão geral sobre determinado assunto é ótimo para absorver conhecimento. É muito mais simples entender todo o cenário e o papel de cada elemento dentro dele do que de forma individual, sem informações sobre o contexto. E o mapa mental oferece exatamente essa vantagem.

3 – Concentração

Como um mapa mental exige da pessoa que o está lendo várias habilidades, o cérebro fica totalmente focado naquela imagem. E sabemos o quanto a concentração é importante para realizar qualquer tipo de tarefa. Quanto mais concentrada uma pessoa fica, mais conhecimento absorve sobre o que está lendo.

4 – Memorização

As cores, imagens, as formas das letras, tudo isso ajuda a mente a fazer associações e memorizar as informações. Na hora de fazer uma prova, por exemplo, o candidato terá mais chances de se lembrar da resposta apresentada em um mapa mental colorido e informativo do que em uma simples página de livro com grandes blocos de texto.

5 – Clareza para apresentar ideias

Além de ser ótimo para absorver conhecimento, o mapa mental também é uma técnica muito poderosa para apresentar ideias para outras pessoas. Professores, coaches, supervisores e outros profissionais podem lançar mão de mapas mentais para passarem diversos tipos de informação para seus alunos, coachees e subordinados de forma muito mais clara e dinâmica.

6 – Planejamento

Criar um mapa mental também é uma boa ideia para quem deseja se planejar para realizar algum objetivo. Por meio da técnica é possível visualizar com mais clareza cada passo a ser dado e entender como essa atitude é relevante para chegar ao resultado esperado, facilitando a organização e mantendo a motivação.

7 – Organizar pensamentos

Por fim, existe o benefício de se poder organizar os próprios pensamentos através de mapas mentais. Registrando sua origem, desdobramentos, detalhes. Tudo isso pode te ajudar a se conhecer melhor e entender como suas ideias se organizam.

10 Dicas para criar um Mapa Mental

Depois de entender o que é um mapa mental e os seus benefícios, talvez esteja se perguntando como pode criar os seus. As dicas a seguir irão te ajudar a iniciar essa técnica e organizar suas ideias de uma forma muito mais eficaz do que se fosse simplesmente anotar em um bloco de papel ou aplicativo.

1 – Pratique todos os dias

Se deseja ficar bom em uma atividade, precisa praticar e com os mapas mentais não é diferente. Se você tentar uma vez, não gostar do resultado e desistir, nunca ficará bom na técnica, deixando de desfrutar de seus benefícios.

Por isso, pratique e faça isso com ideias diferentes. Você pode começar com algo simples e que tenha bastante conhecimento, assim, terá mais segurança para desenvolver a ideia no papel e se familiarizar com a prática.

2 – Evite cobrar de si perfeição

Nenhuma das pessoas que faz mapas mentais incríveis e cheios de desenhos começou com esse nível de habilidade. Por mais que algumas possam ter certa facilidade em desenhar ou dispor as palavras no papel, todas tiveram um começo. Desse modo, evite esperar que seus mapas sejam perfeitos desde o início, seja paciente, pratique e mantenha o foco no grande objetivo da técnica, que é absorver o conhecimento apresentado.

3 – Use formas e símbolos

As palavras são muito importantes dentro de um mapa mental, mas se tornam ainda mais poderosas quando usadas juntamente com formas e símbolos. As setas, por exemplo, são muito utilizadas para ligar uma ideia central a outros detalhes. Acrescente outras figuras que possam agregar e tornar o conteúdo mais dinâmico e fácil de entender.

4 – Utilize canetas coloridas do tipo pincel

As canetas do tipo pincel, além de serem mais práticas, dão vida ao mapa mental, por isso, prefira utilizar as coloridas, porque a percepção das cores também ajuda na absorção do conhecimento apresentado. Caso não tenha muito tempo para ficar escolhendo cores, você pode optar pela cor preta e fazer alguns destaques em outros tons.

5 – Solte sua imaginação

Lembre-se que um mapa mental é muito mais do que uma simples anotação, portanto, solte sua imaginação! Se gosta de desenhar, utilize essa habilidade para dar vida aos seus mapas. Brinque com as cores, formas, experimente meios diferentes de expor suas ideias no papel. Assim, estará estimulando também a sua criatividade, o que é ótimo para o processo de desenvolvimento.

6 – Procure exemplos de mapas mentais na internet

A internet está cheia de exemplos de mapas mentais, com uma rápida busca você irá encontrar representações gráficas sobre os mais diferentes assuntos. Com isso, você pode se inspirar para criar os seus ou usar para aprender sobre determinado assunto. Apenas é importante evitar se comparar, lembre-se da dica número duas e tenha paciência.

7 – Comece com a ideia central no meio da folha e crie as conexões

Quer criar seu primeiro mapa mental e não sabe por onde começar? É simples: coloque a ideia central no meio da folha e vá desenvolvendo seus detalhes ao redor. Puxe setas, crie balões, use tipos de formas diferentes. É assim que os mapas mentais são criados.

8 – Sintetize as ideias com palavras e frases curtas

Um mapa mental é uma síntese de um determinado assunto, por essa razão, é preciso evitar escrever frases muito longas, a ideia é usar palavras e frases curtas que te façam relembrar do conteúdo por inteiro. Colocar textos muito grandes, tira a dinamicidade que é uma característica marcante da técnica e grande responsável pela sua eficácia.

9 – Use em conjunto com outros métodos

Os mapas mentais são realmente ótimos para apresentar e absorver conhecimento, entretanto, não substituem outros métodos de estudo e aprendizado, como a leitura e os exercícios. Use-os em conjunto com outras formas de estudo e verá como uma irá complementar a outra.

No caso dos mapas usados por estudantes como forma de estudo, por exemplo, é importante obter a informação de algum outro lugar, como livros e apostilas. Assim, a representação gráfica se torna uma etapa posterior à leitura, como um tipo de resumo.

10 – Se preferir, use ferramentas online

Apesar de o exercício de criar mapas mentais manualmente ser muito mais poderoso do que outras formas, existem pessoas que preferem utilizar ferramentas online, seja por falta de tempo ou habilidade com a escrita manual.

Nesse caso, existem algumas ferramentas interessantes, como Coggle, Mindmeister, Canva e o próprio Word. Se desejar, você pode experimentar tanto a forma manual quanto a digital e ver com qual delas melhor se adapta.

Seus mapas mentais poderão ser usados para organizar anotações em cadernos, fazer apresentações profissionais, compartilhar conteúdo nas redes sociais, criar um mural de visualização com seus objetivos. São muitas as funcionalidades!

Você já conhecia a técnica de criar mapas mentais? Já viu algum por aí? Deixe sua opinião nos comentários abaixo e aproveite para compartilhar o artigo em suas redes sociais, levando essa ideia tão interessante e poderosa adiante!

 



*Esse conteúdo não é fonte para veículos jornalísticos ou matérias para imprensa, para utilização ou referência por favor entre em contato conosco.

Deixe seu Comentário

IBC - Instituto Brasileiro de Coaching: Av. Prof. Venerando Freitas Borges, 561 - Setor Jaó - Goiânia/ GO - CEP: 74.673-010