Síndrome de Burnout e Boreout – Qual diferença entre elas?

Homem preocupado sentado no escritório

Veja quais são os sintomas das Síndromes de Boreout e Burnout.

Há algum tempo, a Síndrome de Burnout se tornou uma pauta amplamente discutida devido ao aumento de casos no universo corporativo. Provavelmente, você já ouviu falar a respeito desse problema relacionado ao esgotamento físico e mental dos profissionais sobrecarregados.

Porém, também é importante olhar para o lado oposto do espectro, nesse caso, a Síndrome de Boreout. Se a sobrecarga leva ao esgotamento, o tédio e a apatia em relação à vida profissional pode levar a crises de ansiedade e dificuldade de concentração. 

No artigo a seguir iremos explicar com mais detalhes o que são essas síndromes e qual é a diferença entre elas. Para que as empresas se mantenham produtivas é fundamental que invistam em um ambiente organizacional saudável. Cuidar da saúde mental dos colaboradores é preponderante. 

Quer eliminar hábitos tóxicos da sua vida?

Preencha AGORA o formulário para saber como!

logo detox branca

O que é Síndrome de Burnout?

Quando um indivíduo é submetido a um ambiente de trabalho estressante e com sobrecarga de atividades pode ser levado ao esgotamento. A Síndrome de Burnout consiste em um distúrbio emocional cujos sintomas são estresse, exaustão extrema e falta de energia. Esses sintomas se desenvolvem devido à inserção do indivíduo em um ambiente de trabalho tóxico.

A causa principal dessa síndrome é o excesso de trabalho, ou seja, a sobrecarga. Uma das questões mais preocupantes a respeito do tema é que, em muitos casos, o distúrbio é ignorado. É fundamental que os profissionais e as empresas compreendam que viver estressado com o trabalho não é natural. A rotina laboral não pode e nem deve ser pautada por situações que levem uma pessoa ao limite.

O quadro se mostra consideravelmente preocupante quando o indivíduo deixa de realizar atividades cotidianas por causa dos sintomas. Há casos em que os afetados por essa síndrome não conseguem sair de casa. É mais ou menos como se toda a energia da pessoa tivesse sido sugada.

Sintomas da Síndrome de Burnout

Dentre os sintomas da Síndrome de Burnout estão:

Sensação de extremo cansaço físico e mental;

Dores musculares;

Constantes dores de cabeça;

Mudanças repentinas de humor;

Dificuldade para se concentrar;

Alteração do ritmo de batimentos cardíacos;

Insônia;

Pressão alta;

Sensação de fracasso;

Sentimento de impotência;

Problemas gastrointestinais;

Alterações de apetite entre outros.

O que é a Síndrome de Boreout?

Em linhas gerais podemos definir a Síndrome de Boreout como sendo o oposto da Síndrome de Burnout. Enquanto a última está relacionada a uma sobrecarga de trabalho a primeira acontece devido à sensação de tédio e apatia no ambiente profissional. 

Esse quadro pode se manifestar quando o colaborador está num momento de baixa de volume de tarefas. Outro caso pertinente é quando o funcionário passa por uma fase intensa de atividades seguida de uma fase sem nada para fazer. 

O nome dessa síndrome vem da palavra inglesa “boring” que se refere a algo entediante. Esse quadro passou a ser considerado como uma síndrome que demanda atenção em 2007. A preocupação se deve ao fato de que os indivíduos acometidos por essa síndrome não enxergam propósito nas suas atividades. Além disso, esses profissionais passam a ter baixas exigências em relação ao seu desempenho.

Geralmente a Síndrome de Boreout ocorre em empresas que não tem um sistema de distribuição de tarefas bem definido. É determinante que sejam consideradas as capacidades de cada colaborador para lhes delegar as atividades mais relevantes. 

Sintomas da Síndrome de Boreout

Dentre os sintomas dessa síndrome estão:

Síndrome de Burnout x Síndrome de Boreout: qual é a diferença?

A diferença básica entre essas duas síndromes está no fator desencadeante de cada uma. Os profissionais acometidos pela Síndrome de Burnout estão sobrecarregados, ou seja, estressados devido à rotina intensa de atividades. Por sua vez, aqueles que sofrem com a Síndrome de Boreout estão entediados por ter muito tempo ocioso.

Inclusive, cabe o adendo de que a Síndrome de Boreout pode ser resultante de uma forma recorrente de assédio moral no ambiente laboral. Em casos como os de empresas familiares ou serviço público, em que demitir o colaborador não é uma opção, pode-se criar um afastamento das atividades.

O profissional em questão não é mais incluído no planejamento e execução dos projetos de maneira que se sente à margem. Não contribuir com o trabalho ou simplesmente não ter nada para fazer pode desencadear um intenso sentimento de angústia.

Ambas as síndromes têm grande impacto negativo para a produtividade no ambiente de trabalho. A Síndrome de Burnout exige demais do profissional, levando ao seu esgotamento. 

Já a Síndrome de Boreout paralisa o funcionário por transmitir a ideia de que ele não é necessário. Todo indivíduo tem o direito de se sentir bem em seu ambiente de trabalho. Essa é uma máxima que todo gestor deve ter em mente. 

Escuta das equipes: uma medida fundamental

A preocupação dedicada às duas síndromes se justifica pelo fato de que ambas levam à perda do bom desempenho dos colaboradores. Para que as empresas se mantenham em pleno crescimento, é essencial que ofereçam um ambiente laboral salutar e preocupado com a saúde mental dos colaboradores.

Atenção é a palavra chave para lidar com as Síndromes de Burnout e Boreout. É imprescindível não deixar que o problema cresça, adquirindo uma proporção incontrolável. Escutar as equipes é a melhor forma de identificar os fatores que podem desencadear as duas síndromes.

Geralmente, o esgotamento e o sentimento de tédio são reflexos de situações recorrentes na organização. A partir do momento em que as demandas dos colaboradores são ouvidas e absorvidas, se torna possível aplicar situações corretivas.

Porém, essa comunicação somente será efetiva se os colaboradores compreenderem que têm acesso a um canal aberto com os superiores. O diálogo deve ser reforçado como uma prática básica dentro da companhia.

Poder falar sobre o que incomoda sem medo de represálias é determinante para que situações problemáticas sejam expostas. Com uma comunicação aberta é mais simples ter uma visão completa do panorama e tomar boas decisões.

As síndromes de Burnout e Boreout são grandes preocupações para as empresas, esteja atento a elas! Já teve alguma experiência com uma das duas? Comente abaixo e compartilhe o conteúdo para levar a informação adiante!

O artigo é bom, né?

No IBC é assim, não custa nada evoluir e alcançar resultados extraordinários. Se você quer seguir por esse caminho de evolução é só baixar o nosso e-book gratuito,
Tudo sobre Coaching. Preencha o formulário abaixo com seus dados para ler.
José Roberto Marques

Sobre o autor: José Roberto Marques é referência em Desenvolvimento Humano. Dedicou mais de 30 anos a fim de um propósito, o de fazer com que o ser humano seja capaz de atingir o seu Potencial Infinito! Para isso ele fundou o IBC, Instituto que é reconhecido internacionalmente. Professor convidado pela Universidade de Ohio e Palestrante da Brazil Conference, na Universidade de Harvard, JRM é responsável pela formação de mais de 50 mil Coaches através do PSC - Professional And Self Coaching, cujo os métodos são comprovados cientificamente através de estudo publicado pela UERJ . Além disso, é autor de mais de 50 livros publicados.



*Esse conteúdo não é fonte para veículos jornalísticos ou matérias para imprensa, para utilização ou referência por favor entre em contato conosco.

Deixe seu Comentário

IBC - Instituto Brasileiro de Coaching: Av. Prof. Venerando Freitas Borges, 561 - Setor Jaó - Goiânia/ GO - CEP: 74.673-010