People Analytics – O que é e como aplicar no RH da sua empresa?

recursos humanos

Confira algumas dicas de como aplicar People Analytics no RH da sua empresa.

O conceito de People Analytics vem ganhando cada vez mais relevância no âmbito de gestão de pessoas. Basicamente, permite avaliar o desempenho de equipes e os resultados corporativos, tomando por base a coleta de dados. O capital humano é um recurso fundamental para o sucesso das organizações e os gestores já reconhecem isso.

Partindo desse pressuposto, o People Analytics passou a ser um grande aliado para atrair e reter talentos. Contribui, ainda, para elevar os níveis de motivação e produtividade das equipes. Esse conceito vem revolucionando a forma como as empresas se relacionam com seus colaboradores.

Continue lendo para entender melhor esse conceito. 

Afinal, o que é o People Analytics?

People Analytics consiste em um processo que contempla a coleta, organização e análise de dados. O objetivo é entender o comportamento e expectativas dos profissionais na empresa.

Através dessa avaliação, o setor de Recursos Humanos passa a entender as variáveis relativas aos índices de satisfação e engajamento. Com essas informações, se torna possível aperfeiçoar os processos internos. 

A efetividade da aplicação do People Analytics depende da contemplação de diferentes aspectos em torno dos colaboradores. Isso inclui a função do profissional, seu nível de escolaridade, histórico de promoções, avaliações de desempenho, tempo de contratação, entre outros. 

Outros dados relevantes são as taxas de rotatividade, absenteísmo, pesquisas de clima organizacional e depoimentos das entrevistas de desligamento. O ideal é fazer o cruzamento dos dados para entender qual é a situação dos profissionais dentro da companhia.

A partir desses dados, torna-se mais fácil delinear e trabalhar o perfil dos profissionais, focando em seus pontos fortes e nos que precisam ser desenvolvidos. Dados alinhados com a realidade permitem definir estratégias bem direcionadas.

People Analytics: conheça as suas quatro etapas

O processo do People Analytics se baseia na realização de quatro etapas, conheça mais sobre elas abaixo:

1. Coleta

A primeira etapa desse processo consiste na coleta de todos os dados possíveis para análise. Dentre as fontes desses dados estão redes sociais, sistemas de gestão, pesquisas internas com os candidatos, entre outras. 

2. Cálculo

Os dados coletados são direcionados então para a fase de cálculo, levando em consideração os indicadores estabelecidos previamente. Os índices são usados para quantificar as ocorrências apresentando, assim, um cenário mais interessante para a gestão. 

3. Modelagem

O cruzamento das informações coletadas, calculadas e analisadas nas etapas anteriores é o que se chama de modelagem. O objetivo é estabelecer uma correlação entre as situações que estão ocorrendo, de forma a encontrar soluções amplas para o estabelecimento de diretrizes eficientes. O que está acontecendo? Como resolver? São as questões chave da modelagem. 

4. Análise

Por fim, os números calculados são analisados de maneira que a gestão possa tomar decisões mais seguras. Nessa etapa são descobertas possibilidades, forças e fraquezas, tendências e foco a ser seguido. 

People Analytics: conheça os quatro níveis de classificação

O People Analytics têm quatro níveis de classificação e definição do tipo de análise que precisa ser aplicada na avaliação do contexto. Essa base possibilita planejar o futuro da companhia. 

1. Análise Descritiva (Descriptive Analytics)

Nesta etapa, o foco é definir o que aconteceu, tomando por base dados do passado e do presente. 

2. Análise de Diagnóstico (Diagnostic Analytics)

Aqui a pergunta passa a ser: “Por que aconteceu?”. Isso significa empreender uma investigação de diagnóstico dos fatos que ocasionaram os erros e prejuízos. 

3. Análise Preditiva (Predictive Analytics)

Na sequência, a questão está focada na prevenção, questionando-se então: “O que pode acontecer?”. O objetivo é prospectar um futuro com base no que aconteceu no passado. Dados de diferentes origens são mapeados e cruzados para chegar a uma previsão segura. 

4. Análise Prescritiva (Prescriptive Analytics)

Nesse nível, o questionamento é direcionado para entender o que pode acontecer se uma medida for adotada. Para fazer essa análise, se considera a capacidade de trabalho dos colaboradores, o perfil dos mesmos e os objetivos da companhia. 

People Analytics: dicas de como aplicar no RH da sua empresa

A aplicação do conceito de People Analytics pode trazer diversos resultados positivos para a sua companhia. No entanto, para que seja efetivo, é fundamental que haja uma preparação para essa aplicação. Confira a seguir algumas dicas para que essa aplicação seja realizada com o máximo potencial de sucesso.

1. Estabeleça um objetivo

Todo e qualquer processo que se deseja aplicar em uma empresa deve estar embasado na conquista de um objetivo. O objetivo funciona como um direcionamento e fator de motivação. 

Contudo, antes de determinar um objetivo, é essencial detectar e entender os problemas. Para isso, é importante empreender uma análise completa dos dados e realizar o seu cruzamento. A partir do confronto desses dados com a realidade, fica mais simples ter um diagnóstico.

2. Definição de indicadores e métricas

Qual é o objetivo da análise? Os indicadores de desempenho e métricas que serão analisados devem ser previamente definidos. Essa definição permite estabelecer quais dados precisam ser coletados, gerando informações relevantes. O People Analytics precisa ser baseado nas informações corretas para ser bem-sucedido.

3. Envolvimento dos colaboradores

Os colaboradores devem ser envolvidos nesse processo, uma vez que as pessoas são a principal fonte de dados do People Analytics. É importante que os colaboradores entendam que estão em análise o seu trabalho, comportamento e resultados. 

4. Projeções

É essencial que o People Analytics seja aplicado pelo RH com uma visão de futuro e com a devida projeção de ideias. As estratégias e ações devem ser planejadas a partir dos dados coletados, considerando os resultados esperados. Essas projeções são válidas mesmo que ainda não se saiba como essas informações poderão ser usadas. 

5. Avaliação do processo

Por fim, é importante que o setor de RH esteja pronto para fazer uma avaliação do seu próprio desempenho. Para que a estratégia do People Analytics continue sendo bem-sucedida, é crucial que o processo seja constantemente avaliado. Isso significa repassar os resultados obtidos para entender se eles são realmente pertinentes para a construção das estratégias.

Com o People Analytics é possível entender melhor as pessoas que formam a sua empresa!

José Roberto Marques

Sobre o autor: José Roberto Marques é referência em Desenvolvimento Humano. Dedicou mais de 30 anos a fim de um propósito, o de fazer com que o ser humano seja capaz de atingir o seu Potencial Infinito! Para isso ele fundou o IBC, Instituto que é reconhecido internacionalmente. Professor convidado pela Universidade de Ohio e Palestrante da Brazil Conference, na Universidade de Harvard, JRM é responsável pela formação de mais de 50 mil Coaches através do PSC - Professional And Self Coaching, cujo os métodos são comprovados cientificamente através de estudo publicado pela UERJ . Além disso, é autor de mais de 50 livros publicados.



*Esse conteúdo não é fonte para veículos jornalísticos ou matérias para imprensa, para utilização ou referência por favor entre em contato conosco.

Deixe seu Comentário

IBC - Instituto Brasileiro de Coaching: Av. Prof. Venerando Freitas Borges, 561 - Setor Jaó - Goiânia/ GO - CEP: 74.673-010
CNPJ: 31.328.744/0001-63

This will close in 0 seconds