Quais as principais consequências da insegurança no trabalho?

mulher insegura

Veja como lidar com o medo de perder o emprego.

Viver em constante apreensão e com medo de ser demitido é a realidade de quase metade dos brasileiros empregados. Esse dado é de uma pesquisa realizada pela Confederação Nacional da Indústria, em que 48% dos entrevistados falaram que têm essa insegurança.

Certamente, essa sensação de instabilidade no trabalho gera consequências para o desempenho dos colaboradores. Continue lendo para saber mais a respeito.

Preencha AGORA o formulário para descobrir!

Insegurança no trabalho: quais são as consequências?

A principal causa de quadros de ansiedade em trabalhadores é o medo de perder o emprego, de acordo com a organização norte-americana The American Institute of Stress.

Para mais de 70% dos trabalhadores, a insegurança no trabalho é o que desencadeia uma série de sintomas emocionais e físicos. Dentre esses sintomas estão falta de concentração, insônia e falta de energia.

Manter-se excessivamente preocupado acarreta no baixo desempenho, o que pode realmente levar à demissão. Para as empresas, é determinante contar com os profissionais mais engajados, especialmente em momentos de crise.

Logo, podemos concluir que, em muitos casos, o medo de perder o emprego se torna uma profecia autorrealizável. O indivíduo tem medo de ficar desempregado, a preocupação reduz seu desempenho e ele acaba sendo demitido.

Os profissionais devem se manter vigilantes para não deixarem a apreensão tomar conta, tornando-os reféns. Há formas de administrar o sentimento negativo e mudar padrões de comportamento que prejudicam seu bom desempenho.

Abaixo listamos as cinco principais consequências da insegurança no trabalho. 

1. Menos criatividade

Engana-se quem pensa que somente quem trabalha em setores relacionados diretamente à criatividade depende dela no dia a dia. Todo trabalhador precisa ser criativo para enfrentar as adversidades que podem se apresentar em seu caminho. Além disso, com criatividade é bem mais simples ter um bom desempenho. 

Contudo, quem consegue ser criativo com a mente ocupada pela apreensão? Não dá para encontrar soluções rápidas para problemas se os seus pensamentos estão inteiramente voltados para o medo da demissão. 

2. Problemas de concentração

Ter foco é fundamental para conseguir se concentrar, entregando, assim, um trabalho de qualidade. Mas, fica bastante difícil focar em sua atividade com mil pensamentos a respeito da sua insegurança no trabalho. 

3. Menos produtividade

A produtividade é o resultado da junção de atividades que combinam agilidade e qualidade. Uma mente preocupada com uma potencial demissão tem sua produtividade reduzida consideravelmente. A ocupação da sua mente com o medo impede que ela entregue seu máximo potencial nas atividades que executa. 

4. Abalo da saúde

A mente e o corpo caminham lado a lado, então, se um não está bem gera impactos no outro. Preocupação em demasia e ansiedade podem acarretar em quadros de cefaleia, falta de ar, alergias, insônia, entre outros. 

5. Preocupação exagerada

Perder o emprego realmente é um acontecimento assustador e bastante delicado. No entanto, os trabalhadores precisam ter em mente que não é o fim do mundo. Para muitas pessoas que foram demitidas, a angústia antes do acontecimento foi muito maior do que a sensação de receber a notícia. 

Insegurança no trabalho: como lidar com o medo de perder o emprego?

Você tem sentido insegurança em relação ao seu trabalho? Saiba que há formas saudáveis de lidar com essa apreensão, evitando que o medo domine seu dia a dia. Lembre-se que manter seu bom desempenho é determinante para manter-se empregado. 

1. Questione-se: há motivos palpáveis para ter medo? 

Há realmente motivos que justifiquem seu medo de perder o emprego? A empresa em que você trabalha tem apresentado queda de vendas? Está fazendo corte de pessoal? Seu chefe tem se mostrado insatisfeito com seu desempenho? Algum colega de setor foi demitido? A partir desses questionamentos você consegue ter um panorama mais claro a respeito da validade da sua insegurança.

Ainda que conclua que o cenário não está favorável, não se apavore, afinal, isso não é uma garantia da sua demissão. Nesse primeiro passo, o foco está em compreender a situação do ponto de vista racional.

A partir dessa visão, é possível delinear os passos seguintes. Caso conclua que seu medo é infundado, lembre-se de que é sempre melhor prevenir do que remediar e siga as dicas a seguir. 

2. Projete o cenário da demissão

Mesmo que não seja o que você deseja, é importante pensar sobre o que aconteceria se você fosse demitido realmente. O que uma demissão iria gerar de impacto na sua vida hoje? Você possui outra fonte de renda? Tem uma reserva financeira? Se tem, quanto tempo ela iria durar? Tem direito a seguro desemprego? Tem pessoas com quem você possa contar financeiramente? 

Foque em desenhar na sua mente o cenário com base nos fatos, deixe a emoção de fora. Quando você deixa a emoção sobressair nesse tipo de racionalização, acaba sendo levado a pensamentos autossabotadores. 

3. Planeje a sua segurança

A vida é bastante instável e devemos estar sempre preparados para mudanças de curso inesperadas. Quando você desenvolve um plano B, C e talvez até um D, aumenta a sua segurança. Para o ser humano, não há combustível mais potente do que a segurança, com ela você continuará trabalhando tranquilamente sabendo que tem possibilidades. 

Confira algumas atitudes que podem ajudar a potencializar a sua segurança:

– Analise seus gastos e elimine os não essenciais;

– Crie uma reserva financeira de emergência se ainda não tiver uma;

– Procure por outras fontes de renda;

– Se a demissão parece apenas uma questão de tempo, comece a buscar uma nova colocação. 

4. Mantenha sua concentração no presente

Para vencer a ansiedade, não há nada mais poderoso do que se concentrar no momento presente. Invista seu tempo e energia em resolver situações e não em criar situações imaginárias e desconfortáveis em sua mente.

Caso sua atenção se disperse enquanto realiza uma atividade de trabalho, recupere o foco e retome o que está fazendo. No início, pode ser necessário fazer essa retomada diversas vezes, não se julgue por isso. Aos poucos você se acostuma e terá bem menos episódios de dispersão. 

5. Converse com seu superior

Você vem sentindo um clima diferente e preocupante na empresa? Caso seja essa a situação e seu superior demonstre abertura, procure ter uma conversa com ele. Fale honestamente sobre como se sente e questione sobre a possibilidade de uma demissão. Também abra espaço para que ele dê um feedback sobre seu desempenho. Mantenha-se esforçado para melhorar sempre.

A insegurança no trabalho não pode atrapalhar o seu bom desempenho!

O artigo é bom, né?

No IBC é assim, não custa nada evoluir e alcançar resultados extraordinários. Se você quer seguir por esse caminho de evolução é só baixar o nosso e-book gratuito,
Tudo sobre Coaching. Preencha o formulário abaixo com seus dados para ler.
José Roberto Marques

Sobre o autor: José Roberto Marques é referência em Desenvolvimento Humano. Dedicou mais de 30 anos a fim de um propósito, o de fazer com que o ser humano seja capaz de atingir o seu Potencial Infinito! Para isso ele fundou o IBC, Instituto que é reconhecido internacionalmente. Professor convidado pela Universidade de Ohio e Palestrante da Brazil Conference, na Universidade de Harvard, JRM é responsável pela formação de mais de 50 mil Coaches através do PSC - Professional And Self Coaching, cujo os métodos são comprovados cientificamente através de estudo publicado pela UERJ . Além disso, é autor de mais de 50 livros publicados.



*Esse conteúdo não é fonte para veículos jornalísticos ou matérias para imprensa, para utilização ou referência por favor entre em contato conosco.

Deixe seu Comentário

IBC - Instituto Brasileiro de Coaching: Av. Prof. Venerando Freitas Borges, 561 - Setor Jaó - Goiânia/ GO - CEP: 74.673-010
CNPJ: 31.328.744/0001-63

This will close in 0 seconds