A Teoria de Maslow na Motivação Profissional

Pirâmide de Maslow

A Pirâmide de Maslow é dividida em cinco níveis de necessidades: Fisiológicas, Segurança, Amor/Relacionamento (necessidades sociais), Estima e Realização Pessoal


 
Vamos começar esse texto com um exemplo bem prático de necessidade humana.

Um dos primeiros passos ao concluir uma pós-graduação é atualizar o currículo. Um profissional com anos de experiência no mercado de trabalho e grande período na empresa pode ver a pós-graduação como um degrau para conseguir oportunidades de realizar tarefas mais desafiadoras no trabalho, ter um aumento salarial ou até mesmo encontrar outro emprego. Se nenhum dos objetivos que traçados forem atendidos após ele se formar no curso, a tendência é que isso afete diretamente o comportamento desse empregado de maneira negativa podendo causar desânimo e insatisfação.

Continue lendo o texto para entender melhor como as necessidades atendidas ou não podem afetar seu cotidiano no trabalho e vida pessoal.

Entenda o que é e como funciona a Pirâmide de Maslow

Abraham Harold Maslow foi um psicólogo americano conhecido pelos estudos que fazia sobre as necessidades humanas. Em uma de suas pesquisas mais famosas ele descreve como cada necessidade do ser humano influencia na sua motivação e o faz sentir outras necessidades. Esse pensamento foi estruturado em uma pirâmide e ficou conhecida como a Pirâmide de Maslow.

A base da pirâmide consiste nas necessidades fisiológicas, acima está a segurança, depois a questão social, acima está a estima e no topo está a realização pessoal. Entenda cada uma delas abaixo:

Vou começar explicando a base da pirâmide, que é a camada de necessidades fisiológicas. Nessa área está tudo que é inevitável para as pessoas. São obrigatoriedades como a respiração, alimentação, beber água, excreção, dormir e ter onde morar. Fazemos tudo tão mecanicamente que nem percebemos o quanto são importantes!

No nível acima está a segurança. Essa é a camada que fala da carência que existe em se sentir seguro em relação ao emprego, saúde, família e propriedade.

O próximo andar da pirâmide serve para atender às questões sociais. São seus relacionamentos com família, amigos e a vida amorosa.

Até agora falamos de necessidades que atendem aos indivíduos externamente, não é mesmo? As próximas camadas irão falar de fatores mais íntimos que estão ligados aos sentimentos e manutenção de autoestima. Confira:

É a vez do nível estima. Aqui é para falar de conquistas individuais, autoestima e confiança.

Para finalizar, a camada que fala de realização pessoal que engloba a criatividade, moralidade, solução de problemas, ausência de preconceitos e autoavaliação.

Aplicando a pirâmide no seu cotidiano

A partir do entendimento do estudo do Maslow é possível aplicar seu pensamento no dia a dia. A primeira necessidade a ser sanada é o salário. Os colaboradores de qualquer empresa precisam de um montante de dinheiro que possa arcar com as despesas mínimas de sobrevivência dele e da família. Depois, o colaborador precisa de incentivos que o motive a desempenhar melhor sua função. Isso pode ser um curso complementar, oportunidade de crescimento, plano de carreira e a estabilidade. Já o topo da pirâmide é para aqueles colaboradores que querem participar e contribuir ativamente dos resultados da empresa e se sentirem parte integrante do time. Quem está no topo da pirâmide busca por status e reconhecimento. É o momento de desafiar as competências participando de estratégias e soluções. Quando as camadas da pirâmide não são atendidas, os funcionários podem ficar decepcionados e sem vontade de evoluir ou colaborar para os resultados da empresa.

Vamos trazer mais próximo da realidade com exemplos. Um estagiário geralmente busca pelo ganho de experiência e um salário que atenda suas necessidades básicas. Já um profissional que tem mais experiência de mercado e estabilidade econômica, pode estar em busca de desenvolvimento e a sensação de autorrealização. O profissional pós-graduado que falamos no começo do texto está no topo da pirâmide, buscando por novos desafios.

Teoria de Maslow e a psicologia organizacional

O estudo do Maslow é atual e é um dos mais significativos para a psicologia organizacional.

Por definição, a psicologia organizacional atua nos problemas organizacionais que estão ligados à gestão de recursos humanos. Quem trabalha com esse campo se preocupa com o desenvolvimento dos trabalhadores bem como a harmonia entre eles no ambiente.

A exploração do estudo dele busca entender em que momento da pirâmide os funcionários estão e quais são as melhores maneiras de fazer com que eles evoluam nela. Desse modo, a satisfação profissional e o crescimento do funcionário e da empresa podem ser algumas das boas consequências.

No caso daquela pessoa pós-graduada que já falamos por aqui, o time de recursos humanos ou gestão de pessoas deve estar atento aos aprofundamentos educacionais que cada funcionário fez ou está fazendo. Além disso, o setor deve estar preparado para entender quais são os objetivos desse funcionário com esse curso e como ele pode aplicar os novos conhecimentos no cotidiano. Também é importante ter um plano de carreira que englobe possibilidade de crescimento e incentive o funcionário a fazer mais cursos complementares.

Vantagens da aplicação do estudo

Trazer a pirâmide de Maslow para o dia a dia de uma empresa exige uma área de recursos humanos ou gestão de pessoas alinhada diretamente com os objetivos da empresa e de cada setor que ela possui. Só dessa forma, será possível analisar se os funcionários estão se dedicando ou não aos propósitos do empregador.

A área que irá cuidar da evolução do colaborador deve entender em que momento da pirâmide ele se encontra e quais são os objetivos profissionais dele. Dessa maneira, é possível avaliar se as ambições da empresa e do colaborador estão se sustentando ou se é preciso que se faça uma adequação. Então, será possível entender se os objetivos da empresa não estão claros para todos, desenvolvimento de um plano de carreira, formas oficiais de criar um acompanhamento mais próximo do gestor direto com o colaborador, cursos complementares e formações internas ou externas para que o profissional evolua.

Investir na motivação e realização dos funcionários é investir no crescimento da empresa. Só desse modo é possível desenvolver uma equipe produtiva, eficaz, capaz de solucionar problemas e que faça a empresa se destacar no setor.

Agora conte para mim nos comentários o que você está fazendo para investir na sua carreira e ir para o próximo estágio da pirâmide.

IBC - Instituto Brasileiro de Coaching: Av. Prof. Venerando Freitas Borges, 561 - Setor Jaó - Goiânia/ GO - CEP: 74.673-010