Piloto automático: o vilão das nossas ações

Botão de piloto automático

Conheça um dos principais vilões do nosso dia a dia

Repare no seu dia: é só abrir os olhos e levantar da cama, para dar início a rotina de sempre. Escovar os dentes, tomar café, ver as notícias do dia, entrar no carro, enfrentar o trânsito, quando você pisca os olhos, já está no trabalho e não sabe dizer como chegou ali. Você já se viu em uma situação parecida? São inúmeras as atividades que o ser humano realiza no piloto automático, ou seja quando o cérebro realiza atividades repetitivas sem que o indivíduo preste atenção nas mesmas. E não, isso não é um movimento de uma ou outra pessoa, todos nós fazemos!

Para realizar as diversas tarefas em seu dia a dia como, escovar os dentes, andar, ler uma revista ou mexer no celular, o ser humano criou hábitos para facilitar a sua rotina. Isso quer dizer que quando uma atividade vira um hábito, ela se torna natural e o cérebro demanda pouca energia e assim, a realiza de forma inconsciente. Dessa forma, o órgão abre espaço e esforço para realizar outras tarefas conscientemente.

Grande parte do que o ser humano faz, são hábitos resultantes de memorização e experiências anteriores, por isso, quando você levanta da sua cama e logo já se vê dentro do carro, você leva um susto, pelo simples fato de que faz tudo no piloto automático.

Preencha AGORA o formulário para descobrir!

O piloto automático é necessário na vida dos indivíduos, visto que ele permite que o ser humano lide com os diversos estímulos e preocupações do dia a dia, sem que para isso, o cérebro utilize muita energia. Quer um exemplo? Imagine o fato de que toda vez que você precisar respirar ou piscar os olhos, fosse necessário que seu cérebro fizesse isso de forma consciente, você simplesmente enlouqueceria!

O lado ruim dessa história é que, mesmo você sendo um ser capaz de fazer escolhas e tomar decisões, em algum momento da sua vida você vai perceber que por estar no piloto automático, você não apreciou aquela vista no caminho do trabalho, não sabe dizer o que acabou de assistir na televisão, não memorizou a última página que leu do livro, entre outras situações.

Esse mecanismo do cérebro não está presente apenas em atividades domésticas. É normal que, ao realizar um trabalho monótono e/ou tedioso, o órgão comece a demandar menos energia em tarefas repetitivas e faça com que o ser humano desempenhe suas funções de forma inconsciente, o que pode leva-lo a cometer erros em tarefas simples.

Outro fator prejudicial causado pelo piloto automático, é a resistência do cérebro quando você tenta abandonar hábitos e comportamentos sabotadores e destrutivos. Mas calma, nada é impossível! Entenda a seguir:

Por que minimizar o piloto automático

O cérebro humano, desde o início da vida até o momento que você está lendo esse artigo, é resultado de constantes evoluções. Uma delas, é o fato de que ele busca realizar suas funções com o mínimo de energia possível, para assim, maximizar sua resistência. Por conta disso o piloto automático é tão presente na nossa vida.

Nesse sentido, é pertinente dizer que o cérebro possui grande parte do controle das atividades do ser humano e por esse mesmo motivo, é tão difícil quando você tenta mudar a direção de uma ação, pensa de forma diferente para realizar uma tarefa do seu dia a dia ou tenta colocar em prática uma ideia oposta para resolver um problema existente, pois você força o seu cérebro a sair do piloto automático.

Isso não quer dizer que a repetição e a reprodução de hábitos sempre será um problema, pois elas trazem conforto e segurança. Mas apenas submetendo o seu cérebro a trabalhar de diferentes formas e viver novas experiências, você será capaz de desenvolver sua criatividade e sua memória, ter ideias inovadoras, criar diferentes respostas para diversos contextos, encontrar novas soluções, ser mais flexível, entre outras funções.

Dicas para minimizar o piloto automático

Uma pessoa, ao se dar conta de que vive grande parte dos seus dias no piloto automático, é capaz de visualizar também, que isso afeta sua felicidade e assim, começa a viver sua rotina no intuito de sair da sua zona de conforto.

Isso não quer dizer que essa trajetória será fácil e desprovida de obstáculos. Existirão momentos que o indivíduo terá conflitos entre aquilo que ele deseja e seus valores, existirá medo, existirá vontade de desistir, existirá retrocesso, mas será de grande crescimento e aprendizado.

Se você chegou nesse ponto do artigo, acredita que essa é a sua realidade e deseja muda-la, conheça algumas dicas:

  • Pratique a neuroplasticidade, ou seja, faça novas conexões e permita que seu cérebro desenvolva a habilidade de reverter hábitos sabotadores em hábitos positivos;
  • Utilize outro caminho para ir a locais que você vai todos os dias;
  • Durma todos os dias no mesmo horário, em um local arejado e por no mínimo 8 horas por dia;
  • Abra mão do uso das tecnologias quando isso for possível. Reflita se você precisa mesmo usar o gps para ir a determinado lugar ou se você consegue pesquisar algo nos livros que tem em casa, ao invés de em sites de busca;
  • Mesmo se você almoce todos os dias em restaurantes, tente variar o seu prato diariamente e descubra novos sabores;
  • Ao viajar de férias, busque destinos diferentes dos que você costuma visitar. Conheça novas culturas e adquira uma nova visão de mundo;
  • Converse e debata (de forma saudável) com pessoas com opiniões diferentes das suas;
  • Escove seus dentes e penteie seu cabelo com a mão que você não escreve;
  • Estimule sua memória com jogos de tabuleiro como dama e xadrez;
  • Mude a organização da sua mesa de trabalho;
  • Para de realizar várias tarefas ao mesmo tempo, faça uma coisa de cada vez, prestando bastante atenção em cada uma das suas ações;
  • Leia os mais diversos conteúdos em livros, revistas, artigos e blogs;
  • Pratique exercícios físicos ao ar livre e preste atenção na paisagem e nas pessoas ao seu redor;
  • Tome banho em uma ordem diferente da que você está acostumado;
  • Assista programas/séries/filmes diferentes dos que você está habituado a escolher;
  • Ligue para um amigo/familiar e conte sobre o seu dia e suas novidades.

O cérebro é uma máquina muito poderosa e que está à disposição do ser humano, mas engana-se quem acha que ele deve realizar todo o trabalho sozinho. É papel do indivíduo, exercitá-lo de forma constante, o colocá-lo a frente de novas experiências, driblar efeitos negativos, tirá-lo da zona de conforto, promover desafios e minimizar o tão ativo piloto automático, para que assim, ele se mantenha em constante evolução e se mantenha saudável.

E o seu cérebro, tem trabalhado no piloto automático? O que você tem feito para tirá-lo desse estado?

Copyright: 660885439 – https://www.shutterstock.com/pt/g/olivier26

O artigo é bom, né?

No IBC é assim, não custa nada evoluir e alcançar resultados extraordinários. Se você quer seguir por esse caminho de evolução é só baixar o nosso e-book gratuito,
Tudo sobre Coaching. Preencha o formulário abaixo com seus dados para ler.
José Roberto Marques

Sobre o autor: José Roberto Marques é referência em Desenvolvimento Humano. Dedicou mais de 30 anos a fim de um propósito, o de fazer com que o ser humano seja capaz de atingir o seu Potencial Infinito! Para isso ele fundou o IBC, Instituto que é reconhecido internacionalmente. Professor convidado pela Universidade de Ohio e Palestrante da Brazil Conference, na Universidade de Harvard, JRM é responsável pela formação de mais de 50 mil Coaches através do PSC - Professional And Self Coaching, cujo os métodos são comprovados cientificamente através de estudo publicado pela UERJ . Além disso, é autor de mais de 50 livros publicados.



*Esse conteúdo não é fonte para veículos jornalísticos ou matérias para imprensa, para utilização ou referência por favor entre em contato conosco.

Deixe seu Comentário

IBC - Instituto Brasileiro de Coaching: Av. Prof. Venerando Freitas Borges, 561 - Setor Jaó - Goiânia/ GO - CEP: 74.673-010