Entenda o que é dependência afetiva e como identificar os sintomas do problema

mãos de um casal presas com uma algema

Um dependente afetivo acredita que não pode viver sem a pessoa amada, perdendo sua individualidade e autoconfiança.


Relacionamentos afetivos são marcados por uma troca mútua de carinho, amor e admiração. Em alguns casos, algumas pessoas podem experimentar a chamada dependência afetiva, que ocorre quando um é dependente do outro, para se sentirem bem e realizar uma série de atividades.

Não é mera analogia usar o termo dependência para esse caso. Assim como dependentes químicos, que ficam alterados quando permanecem longe da substância, o dependente afetivo entra em um verdadeiro estado de colapso diante da possibilidade de perder a pessoa amada. Ele não consegue exercer sua autonomia enquanto indivíduo, tampouco ter autoconfiança e isso traz sérios transtornos para a sua vida. O dependente afetivo é alguém que depende de outra pessoa para se sentir seguro.

A dependência pode começar com uma simples solicitação de opinião e evoluir para casos mais graves. Sabe a frase “eu não vivo sem você”, tão fácil de ser encontrada em canções românticas? Ela é a síntese da vida do dependente afetivo e é muito mais do que uma força de expressão. Ele realmente acredita que não conseguirá viver sem a pessoa amada.

Continue lendo para saber mais a respeito da dependência afetiva, seus sinais e formas de evitá-la.

Sintomas de dependência afetiva

Para deixar o conceito de dependência afetiva mais claro, vamos começar apontando os principais sintomas desse problema. São atitudes que demonstram que o indivíduo se sente dependente para se sentir bem e ser feliz, acompanhe.

  • Concordância com tudo que a pessoa amada diz por medo de contrariá-la e perdê-la;
  • Dificuldade em tomar suas próprias decisões;
  • Imenso desconforto quando está longe da pessoa amada;
  • Imensa dificuldade em prosseguir com projetos pessoais;
  • Sujeitar-se a situações humilhantes e constrangedoras na esperança de manter a pessoa amada por perto.

Veja que são atitudes comuns a uma pessoa que não se sente digna de ser amada. Ela se comporta como se o outro estivesse fazendo um favor em amá-la, e isso não é verdade. Todos nós somos seres especiais e dignos de sermos amados.

O que acontece em relação ao amor é que aqueles que encontram afinidades entre si se apaixonam e decidem ficar juntos. Então, o fato de um indivíduo sofrer uma rejeição amorosa não significa que ele seja indigno de amor e sim que a sinergia não aconteceu.

Como tratar a dependência afetiva?

Antes de qualquer passo ser dado, o mais importante é o dependente afetivo reconhecer o problema e buscar ajuda. Assim como qualquer outra dependência, também é necessário contar com acompanhamento profissional e, principalmente, do apoio de amigos e familiares. Inclusive, em algumas capitais existem grupos de apoio para quem enfrenta esse problema.

Quer descobrir qual grau da sua felicidade?
Clique aqui e acesse o “Termômetro da Felicidade”!

10 Dicas para evitar a dependência emocional

Além de buscar ajuda para tratar essa questão, todos devem se manter atentos para evitar a dependência emocional. Se você tem uma tendência à insegurança, isso se torna ainda mais importante. Veja, a seguir, algumas atitudes que podem ajudar a evitar o problema.

1. Se conheça a se valorize

Em primeiro lugar, é importante que procure se conhecer, porque é assim que irá aprender a se valorizar. Se observe, reconheça suas qualidades e entenda que as pessoas que se relacionam contigo o fazem porque gostam de você. Acredite, ninguém precisa fazer o favor de estar ao seu lado, toda relação é uma troca, em que se doa e se recebe.

2. Aprenda a apreciar sua própria companhia

Um ponto bastante relevante a ser considerado para evitar a dependência emocional é aprender a apreciar a própria companhia. Assim, se verá como um ser completo e que não precisa de ninguém para depositar a sua felicidade. Afinal de contas, ter companhias para compartilhar a vida é muito bom, mas deve ser algo que vem para agregar e não para preencher vazios.

3. Defina limites emocionais em seus relacionamentos

Para que um relacionamento seja saudável, ambos os envolvidos devem ter clareza em relação aos limites emocionais do outro. Assim, saberão respeitar e entender até onde podem ir sem causar uma mágoa. Vale destacar que, para informar seus limites ao outro, primeiro você precisa identificá-los dentro de si.

4. Liberte-se de crenças limitantes

Todos nós carregamos crenças limitantes que são formadas ao longo da vida e nos trazem visões pessimistas ou preconceituosas sobre pessoas e situações. Identificar esses pensamentos é muito importante para ressignificá-los e impedir que continuem atrapalhando sua felicidade. O pensamento “ninguém gosta de mim” é um exemplo de crença limitante relacionada à dependência emocional.

5. Entenda que o passado não determina o futuro

Geralmente, as pessoas se tornam dependentes emocionalmente por conta de experiências delicadas do passado. Se esse é o seu caso, é necessário que entenda que o passado não determina o futuro. Não é porque alguém te decepcionou anos atrás que o mesmo irá se repetir com outro indivíduo. Cada história é única, lembre-se sempre disso!

6. Mantenha o diálogo aberto com a pessoa amada

Mais um ponto válido a ser considerado diz respeito ao diálogo. Poder falar abertamente com a pessoa amada sobre suas inseguranças é sempre muito bom. Assim, irão conhecer melhor um ao outro e crescer juntos. Pense bem, se você não se sente à vontade para se abrir com alguém que ama, é sinal de que há algum problema, internamente ou na relação.

7. Seja gentil consigo mesmo

Ao longo de todo o processo e da vida de modo geral, é necessário que seja gentil consigo mesmo. Entenda, se culpar e manter um diálogo interno agressivo não te ajudará a evitar a dependência emocional. O que pode acontecer é exatamente o contrário, pois os pensamentos ruins podem se fortalecer e fazer com que acredite que é mesmo indigno de ser amado.

8. Assuma o controle das suas escolhas

O indivíduo que é dependente emocionalmente tende a terceirizar suas escolhas. Assim, em vez de decidir por si só, fica perguntando para a pessoa amada o que deve fazer. Por mais que seja válido ouvir a opinião daqueles que gostam da gente, existem decisões que são particulares. Então, assuma o controle sobre as suas escolhas, ouça as pessoas, mas entenda que a decisão final deve ser sempre sua.

9. Assuma a responsabilidade pelo que sente

Como o indivíduo dependente emocionalmente depende do outro para se sentir bem, ele deixa de assumir a responsabilidade pelo que sente. Isso o coloca em uma posição passiva, de mero espectador de sua própria vida. Caso se identifique, comece a trazer essa responsabilidade para si, isso te dará poder para escrever sua própria história.

10. Saiba diferenciar as suas necessidades das vontades alheias

Por fim, é preciso que aprenda a diferenciar suas reais necessidades das vontades alheias. Mesmo que seja natural desejar deixar o outro feliz, isso jamais deve ir contra o que precisa e quer para sua vida. Comece a se observar mais e conseguirá encontrar essas respostas sempre que precisar.

E você, conhece alguém que já tenha passado por uma situação de dependência afetiva? Use o espaço abaixo para nos contar a sua experiência e opinião sobre o tema. Se este conteúdo te ajudou de forma positiva e você acredita que poderá ajudar outras pessoas, compartilhe em suas redes sociais!

Imagem: Por Voyagerix

José Roberto Marques

Sobre o autor: José Roberto Marques é referência em Desenvolvimento Humano. Dedicou mais de 30 anos a fim de um propósito, o de fazer com que o ser humano seja capaz de atingir o seu Potencial Infinito! Para isso ele fundou o IBC, Instituto que é reconhecido internacionalmente. Professor convidado pela Universidade de Ohio e Palestrante da Brazil Conference, na Universidade de Harvard, JRM é responsável pela formação de mais de 50 mil Coaches através do PSC - Professional And Self Coaching, cujo os métodos são comprovados cientificamente através de estudo publicado pela UERJ . Além disso, é autor de mais de 50 livros publicados.



*Esse conteúdo não é fonte para veículos jornalísticos ou matérias para imprensa, para utilização ou referência por favor entre em contato conosco.

Deixe seu Comentário

IBC - Instituto Brasileiro de Coaching: Av. Prof. Venerando Freitas Borges, 561 - Setor Jaó - Goiânia/ GO - CEP: 74.673-010