Como está o mercado de trabalho no Brasil?

homem selecionando perfis profissionais

© Depositphotos.com / Jirsak A economia brasileira passa por um momento de atenção, especialmente por conta do enfraquecimento econômico e as medidas de ajuste na política fiscal e monetária.

A economia brasileira passa por um momento difícil, graças ao enfraquecimento econômico e as medidas de ajuste na política fiscal e monetária. Apesar disso, o mercado de trabalho ainda é considerado, por especialistas e pelo governo, próximo do pleno emprego. Nos próximos meses de 2015, no entanto, isso tende a mudar.

As ondas de demissão em massa, observadas especialmente nas obras contratadas pela Petrobras e nas montadoras, têm assustado a população. De acordo com alguns economistas, a expectativa é de que outros segmentos da economia comecem a reduzir a produção e, consequentemente, o número de profissionais contratados, levando à deterioração do mercado de trabalho.

Segundo dados do IBGE, o emprego industrial caiu 0,4% em novembro de 2014. Entre janeiro e novembro do mesmo ano, a queda acumulada chegou a 3,1%. Os dados revelam, ainda, que 91,2 milhões de pessoas tinham alguma ocupação no primeiro trimestre de 2014, contra 91,8 milhões no mesmo período de 2013.

Nos primeiros meses de 2015, a taxa de desemprego aumentou de 5,9% (em fevereiro) para 6,2% (registrados em março), a maior taxa nos últimos quatro anos. Outro dado que chama a atenção é o de rendimento real habitual do trabalhador, que foi a R$ 2.134,60, menor que o registrado em fevereiro de 2015.

Rotatividade alta

Além das taxas de desemprego, a rotatividade tem aumentado constantemente. No Brasil, as empresas têm total liberdade para contratar e demitir a qualquer momento, sem precisar apresentar nenhuma explicação plausível ao trabalhador. É preciso, apenas, pagar os custos da rescisão do contrato de trabalho, o que faz a taxa de rotatividade do país ser muito elevada.

No mercado formal, o país registra milhões de vínculos empregatícios rompidos anualmente, além de novas contratações estabelecidas – em geral, os vínculos anteriores são substituídos por contratados com salários menores. Para encarar a crise, é preciso que o trabalhador se destaque no mercado de trabalho e, principalmente, se mantenha focado em seus objetivos.

Dicas para se sobressair como profissional

– Invista em qualificação, e crie oportunidades para mostrar que você está preparado para o futuro e para uma possível recolocação no mercado;

– Crie soluções inteligentes e mais eficazes. Lembre-se:  a inovação é sempre uma alternativa inteligente para driblar as crises, além de mostrar que você está preocupado com o futuro;

– Não se preocupe demais.  O cenário ainda não é tão desafiador, apenas merece uma atenção especial. Por isso, não se desespere e mantenha o foco.

– Seja proativo e mais flexível.

E você, como está encarando o atual cenário do mercado de trabalho brasileiro? Deixe sua opinião!

O artigo é bom, né?

No IBC é assim, não custa nada evoluir e alcançar resultados extraordinários. Se você quer seguir por esse caminho de evolução é só baixar o nosso e-book gratuito,
Tudo sobre Coaching. Preencha o formulário abaixo com seus dados para ler.
José Roberto Marques

Sobre o autor: José Roberto Marques é referência em Desenvolvimento Humano. Dedicou mais de 30 anos a fim de um propósito, o de fazer com que o ser humano seja capaz de atingir o seu Potencial Infinito! Para isso ele fundou o IBC, Instituto que é reconhecido internacionalmente. Professor convidado pela Universidade de Ohio e Palestrante da Brazil Conference, na Universidade de Harvard, JRM é responsável pela formação de mais de 50 mil Coaches através do PSC - Professional And Self Coaching, cujo os métodos são comprovados cientificamente através de estudo publicado pela UERJ . Além disso, é autor de mais de 50 livros publicados.



*Esse conteúdo não é fonte para veículos jornalísticos ou matérias para imprensa, para utilização ou referência por favor entre em contato conosco.

Deixe seu Comentário

IBC - Instituto Brasileiro de Coaching: Av. Prof. Venerando Freitas Borges, 561 - Setor Jaó - Goiânia/ GO - CEP: 74.673-010
CNPJ: 31.328.744/0001-63

This will close in 0 seconds