Dicas para alcançar um feedback assertivo

 

Ilustração escrito Feedback

O feedback nada mais é do que um retorno, uma espécie de avaliação sobre o desempenho ou performance de um profissional ou de uma equipe.

O feedback é, sem dúvida, uma das ferramentas mais importantes dentro da gestão organizacional. Ele é fundamental para o desenvolvimento de profissionais produtivos, motivados e comprometidos com a empresa.

Nada mais é do que um retorno, uma espécie de avaliação sobre o desempenho ou performance de um profissional ou de uma equipe. Quando realizado de maneira construtiva, pode promover grandes melhorias e aperfeiçoamento de habilidades e comportamento dos profissionais.

Continue lendo e confira dicas preciosas para realizar feedbacks eficazes e assertivos!

O que é um feedback assertivo?

Falamos anteriormente sobre o feedback ser um retorno, uma observação feita através da análise do desempenho de uma pessoa. Já a assertividade é a qualidade das pessoas que sabem o que desejam e agem respeitando isso.

Assim, unindo a expressão feedback assertivo temos um tipo de retorno feito de forma sincera, mas, claro, sempre respeitosa. Afinal, é fundamental ter cuidado ao fazer esse tipo de análise de uma pessoa, uma palavra dita sem cuidado pode mais desmotivar do que o contrário.

O grande objetivo do feedback é apontar o que a pessoa tem feito de bom e nem tão bom assim. Dessa forma, ela poderá reforçar os pontos em que já está indo bem e aperfeiçoar o que for necessário. A ideia é estimular o desenvolvimento e o crescimento, não colocar o indivíduo para baixo.

É papel do líder dar feedbacks assertivos, para que seus liderados realmente compreendam o que ele está querendo dizer e se sintam acolhidos, nunca julgados. É isso o que irá fazer a diferença para que se alcance bons resultados.

7 Dicas para um feedback assertivo e que incentive o desenvolvimento

Depois de entender o que é um feedback assertivo, chegou o momento de compartilharmos dicas para que consiga dar esses retornos aos seus colaboradores da maneira certa. Assim, eles irão se sentir motivados e acolhidos para trabalharem os pontos apresentados e solicitarem ajuda ao longo do processo.

1. Escolha um local adequado

O feedback é algo muito pessoal e totalmente profissional. Por isso, deve ser feito de forma madura, imparcial e adequada. Quando aplicado de forma individual, lembre-se de levar o colaborador até um local reservado e propício para realizar o retorno.

Este deve ser um ambiente seguro, sem interrupções e sem o risco de alguém ouvir o que está sendo dito. O que é falado durante o feedback deve ficar apenas entre gestor e subordinado, evitando fofocas e comentários negativos.

Dar um feedback em público é algo a ser totalmente evitado. Afinal, é um tipo de conversa em que são citados pontos que podem ser de vulnerabilidade para uma pessoa. Por mais que se fale de forma respeitosa, o fato de ter terceiros escutando pode colocar tudo a perder.

2. Cuidado com o julgamento

Suspender o julgamento é um dos princípios do Coaching que podem e devem ser aplicados à realização de feedbacks individuais ou em grupo. Não julgar a atitude do profissional e tentar compreendê-lo na essência são atitudes primordiais para gerar a iniciativa de mudança no comportamento do colaborador. Assim, o feedback não será visto como ofensa ou crítica, mas como uma oportunidade de crescimento tanto profissional quanto pessoal.

É preciso ter em mente que a ideia do feedback é realmente estimular o profissional a se desenvolver e aperfeiçoar o que for necessário. E isso nada tem a ver com julgamento, que costuma ser motivo pelo desejo de se sentir superior. O verdadeiro líder não quer mostrar que é melhor e sim levar seus liderados a melhorarem cada vez mais.

3. Controle as suas emoções

Nunca faça um feedback quando estiver com o estado emocional alterado. Isso pode transformar o feedback construtivo em negativo, favorecendo o surgimento de conflitos desnecessários. O mais indicado é esperar até que suas emoções estejam controladas para que a conversa não seja levada para o lado pessoal.

Pense bem, a pessoa já irá ouvir sobre comportamentos que precisa melhorar e isso, por si só, já pode ser um pouco delicado, mesmo que se tenha cuidado ao falar. Já imaginou se essas informações são passadas por um chefe que está estressado e a voz alterada? Os resultados poderiam ser os piores possíveis.

4. Dê feedbacks específicos

Na hora de fazer uma crítica construtiva, procure ser o mais específico possível, detalhando a questão a ser tratada. Em vez de falar “sua apresentação não ficou clara”, por exemplo, aponte o que não ficou claro e o que pode ser feito para melhorar tal atividade. Assim, o profissional saberá exatamente o que deve fazer para aperfeiçoar seu trabalho.

Sem clareza, o feedback pode ser mais uma conversa enigmática do que um retorno sobre o que o colaborador precisa melhorar. Por isso, é fundamental combinar respeito, objetividade e acolhimento na fala, para que se alcance os resultados desejados.

5. Escala

Escala é uma eficiente ferramenta de Coaching, ideal para a realização de feedbacks construtivos. Isso porque o método de escala leva o colaborador a mensurar sua performance e resultados, estimulando a mudança.

Exemplo: “Em uma escala de 0 a 10, o quanto você se comprometeu com esta atividade?”, “O quanto você deu o seu melhor em determinada tarefa?”, “Quanto você está verdadeiramente comprometido com o alcance de resultados?”, “Quanto você acredita que é possível atingir este objetivo?”.

Ao pensar em notas para atribuir a si mesmo, o indivíduo consegue obter uma visão mais clara a respeito do próprio desempenho. Assim, líder e liderado podem conversar usando a mesma linguagem, evitando o desencontro de pensamentos.

6. Patrocínio Positivo

Esta é outra importante ferramenta de Coaching, muito utilizada para a realização de feedbacks construtivos. Consiste em dizer frases ou fazer afirmações positivas, a fim de dar apoio e gerar maior abertura e confiança no profissional em relação a seu trabalho e a seu superior.

Exemplo: “Eu estou nessa com você”, “Eu compreendo você e o respeito”, “Estamos juntos neste trabalho”, “Eu acredito em seus resultados”, “Você possui um potencial infinito para ir ainda mais além”, “Continue assim e seus resultados serão surpreendentes”.

Falas como essas do exemplo geram no profissional que recebe o feedback uma sensação de acolhimento. Ele sente que seu superior está mesmo disposto a apoiá-lo a trabalhar cada uma das questões levantadas na conversa e isso fará toda a diferença ao longo do processo.

7. Feedback Burger

O chamado Feedback Burger é uma estratégia bastante simples e altamente eficiente para a realização de feedbacks positivos e construtivos. O Feedback Burger é composto por três atitudes:

1 – Fazer um elogio sincero ao colaborador para gerar maior abertura para ouvir o feedback completo. Exemplo: “Eu compreendo suas atitudes, foi o melhor que pôde fazer naquela situação”.

2 – Realizar o feedback, ressaltando pontos fortes e pontos a serem melhorados. Exemplo: “Será que, se você agir com força x, o resultado pode ser melhor?”.

3 – Concluir o feedback com foco no futuro. Exemplo: “Muito bem, você está no caminho certo para atingir grandes resultados”.

Perceba que, dessa maneira, a conversa se inicia com uma fala positiva, que é seguida pelo feedback em si, e se encerra com mais um elogio. Isso faz com que o profissional saia da conversa motivado e ciente do que precisa melhorar.

Contudo, lembre-se que os elogios para iniciar e finalizar a conversa devem ser sinceros. Caso contrário, o colaborador poderá se sentir menosprezado por perceber que aquelas palavras elogiosas foram apenas um “prêmio de consolação”. Portanto, pense antes no que irá dizer para surtir um bom efeito.

Preparamos um teste para VOCÊ descobrir o quanto é FELIZ!
Clique aqui e conheça nosso “Termômetro da Felicidade” !

O objetivo do feedback é o desenvolvimento

No final das contas, o grande objetivo do feedback é levar uma pessoa a se desenvolver. Por essa razão, antes de ter esse tipo de conversa com um colaborador, reflita sobre as suas intenções. Assim, poderá alinhá-las e conduzir o encontro para que passe a mensagem de forma objetiva, respeitosa e motivadora.

Oferecer feedbacks regulares e da forma certa faz com que os funcionários se sintam verdadeiramente acolhidos pela empresa da qual fazem parte. Isso tem um impacto direto em seu desempenho e envolvimento com o trabalho.

E você, quais atitudes considera importantes na hora de realizar um feedback assertivo? Deixe o seu comentário e contribua com o conhecimento. Aproveite também para compartilhar o conteúdo em suas redes sociais e levar as dicas adiante!

José Roberto Marques

Sobre o autor: José Roberto Marques é referência em Desenvolvimento Humano. Dedicou mais de 30 anos a fim de um propósito, o de fazer com que o ser humano seja capaz de atingir o seu Potencial Infinito! Para isso ele fundou o IBC, Instituto que é reconhecido internacionalmente. Professor convidado pela Universidade de Ohio e Palestrante da Brazil Conference, na Universidade de Harvard, JRM é responsável pela formação de mais de 50 mil Coaches através do PSC - Professional And Self Coaching, cujo os métodos são comprovados cientificamente através de estudo publicado pela UERJ . Além disso, é autor de mais de 50 livros publicados.



*Esse conteúdo não é fonte para veículos jornalísticos ou matérias para imprensa, para utilização ou referência por favor entre em contato conosco.

Deixe seu Comentário

IBC - Instituto Brasileiro de Coaching: Av. Prof. Venerando Freitas Borges, 561 - Setor Jaó - Goiânia/ GO - CEP: 74.673-010
CNPJ: 31.328.744/0001-63

This will close in 0 seconds