Conheça algumas estratégias para manter o colaborador motivado mesmo em tempo de crise

imagem azul, home subindo escadas, seta indicando subida, progresso

Para ter evolução precisa existir motivação. / Copyright: Jirsak

A atual situação econômica que o Brasil e outros países estão vivendo demonstra a necessidade de muito trabalho, esforço, dedicação e motivação. Os colaboradores de diversas empresas precisam estar ainda mais focados para ajudar na retomada do equilíbrio financeiro que existia há alguns anos.

Várias empresas sofreram com as oscilações no mercado financeiro, mas outras tantas souberam se preparar para evitar grandes desgastes. Uma excelente estratégia que foi usada por muitas organizações foi a implantação de ideias e táticas para manter seus colaboradores motivados.

Mas, será que manter um colaborador motivado é suficiente para que uma empresa continue crescendo sem que ela não seja afetada pela crise? Afinal, a crise acaba desestabilizando grande parte da economia. Consequentemente, os colaboradores de uma forma ou de outra também são influenciados.

Ao falar em crise econômica, é comum vermos que as empresas começam a tomar iniciativas como contenção de gastos a fim de economizar dinheiro. Porém, na verdade, o que os diretores precisam pensar é que eles devem investir na empresa e em seus funcionários. Assim, o desânimo e a onda da crise não chegam ao ambiente de trabalho.

Continue lendo para conhecer algumas estratégias para que o colaborador seja mantido motivado mesmo diante da crise. 

Mudando os planos: conheça estratégias para manter a motivação mesmo na crise 

Tomar iniciativas como incentivar os colaboradores e levar melhorias para dentro da empresa são estratégias que conseguem “tapar o caos” da crise. Essas estratégias também ajudam a levantar a equipe, e até mesmo a empresa, rumo a um nível elevado em comparação com a concorrência.

Mas, como incentivar os colaboradores sem ter grandes gastos? Afinal, é preciso manter o controle da economia da empresa para que os resultados esperados verdadeiramente aconteçam.

Algumas empresas já adotam medidas que conseguem manter seus colaboradores motivados para gerar mais resultados. São estratégias simples que apresentaremos com mais detalhes abaixo. 

1. Coletividade

Elaborar planos e estratégias para unir mais as pessoas é uma excelente alternativa. Existem empresas que estão incentivando que os colaboradores façam refeições em grupo. Cada pessoa leva um prato ou uma bebida para o almoço, café da manhã ou lanche da tarde. Isso ajuda a manter um clima de trabalho mais amigável e agradável.

De tempos em tempos, é interessante organizar confraternizações para que os colaboradores possam interagir entre si. Criar um clima organizacional positivo é determinante para que os colaboradores se sintam bem na companhia. Sentir-se bem no ambiente de trabalho é essencial para ser produtivo. Também é uma excelente estratégia para melhorar a capacidade de retenção de talentos da organização. 

2. Descontração

Uma vez por semana pode ser liberado um momento para descontração e diversão. A equipe pode ser estimulada com jogos de tabuleiro, uma conversa descontraída ou apenas um lanche diferenciado. O importante é estimular o bem estar e a alegria nos colaboradores, trabalhar com pressão e de mau humor só eleva o estado de crise.

O investimento em uma atividade como ginástica laboral também pode contribuir para a descontração do ambiente. Nesse caso, além de integrar os colaboradores é uma atividade que ajuda a melhorar a qualidade de vida dos profissionais. O bem-estar físico da equipe se reflete na sua capacidade de entrega. 

3. Benefícios

É importante que as empresas se comprometam a oferecer mais do que apenas os benefícios obrigatórios, como vale-refeição e vale-transporte. O ideal é que os benefícios obrigatórios sejam entregues da melhor forma possível. Contudo, o papel da empresa nesse âmbito não deve ficar restrito à obrigatoriedade.

Outros benefícios, como vale-presente no mês de aniversário dos colaboradores ou mesmo vale-cultura, são importantes para incentivar os profissionais. Uma forma de determinar de forma efetiva quais serão os benefícios extras é consultar os próprios colaboradores.

Uma pesquisa dentro da empresa ajudará a entender o que a equipe almeja. Pode ser um auxílio no pagamento da mensalidade de uma academia parceira, um voucher para um restaurante, um folga mensal, entre outros. 

Em tempos de crise, é válido também considerar benefícios específicos para remediar a situação. Mudar o sistema de trabalho e oferecer algumas vantagens que facilitem a vida do colaborador na situação crítica em questão é uma forma de demonstrar respeito e interesse pelo seu bem-estar. 

4. Invista na capacitação dos colaboradores

O investimento na capacitação dos profissionais da equipe além de ajudar na retenção de talentos contribui para o aperfeiçoamento constante. Capacitação contribui para aumentar a competitividade da equipe, sua empresa tem mais facilidade de competir com suas concorrentes. 

Além de temas técnicos, pode ser interessante investir na capacitação da sua equipe para situações específicas. Por exemplo, durante a pandemia do novo coronavírus muitas empresas investiram em cursos e palestras virtuais para que seus colaboradores entendessem como evitar a disseminação do vírus. Dessa forma, ao retornar para o escritório os profissionais estão preparados para evitar um surto da doença. 

5. Reconhecimento

Muitas vezes, os colaboradores de uma empresa não chegam a se encontrar com seus verdadeiros chefes. O contato fica apenas com seus gestores e líderes. Para alguns, conhecer e ter uma proximidade com os fundadores da empresa é algo significativo. 

Vale a pena perceber o quanto isso é importante para os funcionários e verificar se há possibilidade de criar essa proximidade. Tudo isso influencia no resultado do trabalho da equipe, que influencia nos resultados da empresa.

Independentemente do quanto esse contato é próximo ou não, é essencial que haja a cultura do reconhecimento. Basicamente, se trata dos colaboradores terem seus esforços e bons resultados reconhecidos. Uma palavra do líder da equipe ou do gestor da companhia a respeito da qualidade do trabalho já pode significar muito para o profissional. 

6. Cultura

Outra excelente ideia é criar um sistema de incentivo à leitura, como uma biblioteca dentro da empresa. Essa iniciativa pode ser colocada em prática sem quase nenhum custo para a organização. Basta ter um móvel dedicado aos livros e toda semana ter um profissional responsável pelo empréstimo dos livros. 

Também é possível que os próprios interessados nos livros anotem qual obra estão retirando e assinalem quando devolverem. O incentivo à cultura é uma forma de tornar o ambiente empresarial mais leve.

Lembramos mais uma vez que a companhia pode fornecer aos seus colaboradores o vale-cultura. Esse benefício pode ser usado para comprar livros, ingressos para espetáculos entre outras atividades culturais. 

7. Seja um exemplo

Os líderes de equipe devem ser o exemplo do que desejam ver em seus subordinados. Se em tempos de crise é preciso trabalhar com mais afinco e criatividade, demonstre isso por meio de suas ações.

Quando economizar se torna a palavra de ordem é importante que os líderes demonstrem que estão seguindo essa máxima em suas vidas também. Isso vale especialmente para os proprietários da companhia.

Os profissionais de uma equipe acabam repetindo o comportamento dos seus líderes e isso pode ser tanto positivo quanto negativo. Então, cabe às lideranças repensar suas atitudes para focar em planos de ação para alcançar os tempos de bonança tão esperados depois das tempestades. Tenha como seu lema ser aquilo que você deseja ver na sua equipe. 

Observe como podem existir pequenas estratégias que conseguem manter um colaborador motivado mesmo em tempo de crise. Qual dessas estratégias seria bacana implementar na sua empresa? Use o espaço abaixo para deixar um comentário e aproveite para compartilhar o conteúdo nas redes sociais!

José Roberto Marques

Sobre o autor: José Roberto Marques é referência em Desenvolvimento Humano. Dedicou mais de 30 anos a fim de um propósito, o de fazer com que o ser humano seja capaz de atingir o seu Potencial Infinito! Para isso ele fundou o IBC, Instituto que é reconhecido internacionalmente. Professor convidado pela Universidade de Ohio e Palestrante da Brazil Conference, na Universidade de Harvard, JRM é responsável pela formação de mais de 50 mil Coaches através do PSC - Professional And Self Coaching, cujo os métodos são comprovados cientificamente através de estudo publicado pela UERJ . Além disso, é autor de mais de 50 livros publicados.



*Esse conteúdo não é fonte para veículos jornalísticos ou matérias para imprensa, para utilização ou referência por favor entre em contato conosco.

Deixe seu Comentário

IBC - Instituto Brasileiro de Coaching: Av. Prof. Venerando Freitas Borges, 561 - Setor Jaó - Goiânia/ GO - CEP: 74.673-010
CNPJ: 31.328.744/0001-63

This will close in 0 seconds