A diferença entre empatia e apatia

Apatia e Empatia Empatia é quando você se doa para outra pessoas. Já apatia é quando a pessoa tem muita dificuldade de sentir emoções.

 

Você já ouviu falar na palavra apatia? De acordo com o dicionário Michaelis, apatia é a indiferença e o desprezo em relação a todas as emoções, mediante o exercício da virtude, da vida contemplativa. Ao contrário de empatia, que é a habilidade de se imaginar no lugar de outra pessoa.

Para entender melhor o conceito e as diferenças por trás destas duas palavras, convido você a me acompanhar nesta poderosa leitura. Confira!

Faça o download gratuito deste material exclusivo e saiba como desenvolver a empatia em sua vida e afastar de vez a apatia do seu dia a dia! 

O que é apatia?

Começamos a entender um pouco sobre esta pequena palavra, que tem um grande poder sobre a vida daquele que a sente. Assim, quando falamos em apatia, estamos falando de uma espécie de desmotivação, que se manifesta, basicamente, através da perda da capacidade de sentir algo no aspecto emocional. 

Entre as principais características da apatia é possível citar a falta de interesse por assuntos e atividades que antes chamavam atenção, a indiferença com relação a tudo e a todos, assim como a falta de concentração e foco, principalmente no trabalho, o que faz com que o indivíduo tenha um declínio considerável em sua produtividade.

Além da dificuldade para se concentrar, outro ponto que é diretamente afetado pela apatia no trabalho, e também em casa, é a memória, que faz com que a pessoa acabe não conseguindo reter as informações tão facilmente assim. 

No que diz respeito à sua origem, ela pode decorrer de diversos fatores, como problemas na glândula da tireóide, anemia, imunidade baixa, infecções, noites mal dormidas, excesso de bebidas alcoólicas e drogas, entre outras. Além disso, sua causa pode ter origem em transtornos psicológicos, como o transtorno bipolar, depressão, ansiedade e assim por diante. 

Para lidar com o problema, o que se recomenda é investir em psicoterapia, com foco voltado principalmente para a reestruturação cognitiva; exercícios físicos, que vão ajudar na produção e liberação de hormônios do bem-estar e prazer no organismo; realizar novas atividades, buscando trazer mudanças para a rotina; alimentar-se de forma saudável e balanceada, já que a o consumimos faz grande diferença também em nosso organismo. 

Outra forma de afastar a apatia e procurar manter contato com a natureza, praticar yoga, mindfulness, além de investir no desenvolvimento do autoconhecimento, na definição de novas metas e objetivos, uma vez que tudo isso vai contribuir para que o indivíduo se descubra novamente e tenha uma motivação a mais para levantar da cama diariamente. 

O que é empatia?

Já a empatia diferencia-se bastante do primeiro conceito que apresentei a você. Enquanto a apatia se define praticamente pela total ausência de sentimentos, a empatia vai na direção contrária, uma vez que ela é determinada pela enorme capacidade que uma pessoa tem de se colocar no lugar de outra, exatamente com o objetivo de sentir o que esta sente. 

Esta habilidade se caracteriza principalmente pela capacidade que um indivíduo tem de reconhecer como válida a perspectiva da pessoa que está diante dele, de aceitar o outro, suspendendo todo e qualquer tipo de julgamento de suas atitudes e comportamentos, por mais difícil que isso possa parecer, de reconhecer e compreender as emoções expressadas pelas outras pessoas e comunicar tais emoções, efetivamente e na prática. 

Trata-se basicamente de sentir com o outro o que ele sente naquele instante que se encontra diante de nós, mostrando a ele que não está sozinho e não precisa enfrentar suas dificuldades sem contar com o apoio das pessoas ao seu redor.

Geralmente, uma pessoa que é bem desenvolvida neste sentido, ou seja, que sente empatia com facilidade pelos demais, acessa nela mesma sentimentos parecidos com os que o outro está sentindo, para que assim tenha a oportunidade de se conectar com ele e ajudá-lo como for possível. 

Saiba como o Coaching pode te ajudar a desenvolver a empatia pelas pessoas ao seu redor. Baixe agora mesmo o nosso material gratuito!

São o tipo de pessoa que todos querem ter por perto, pois se esforçam para compreender aqueles que estão à sua volta, oferecendo-lhes uma palavra de conforto, um abraço, ou apenas emprestando o ouvido, para que um colega possa desabafar.

A empatia no trabalho, ou em qualquer ambiente, é algo que deve ser verdadeiramente estimulado, pois assim, as pessoas têm a oportunidade de evoluírem em conjunto, dando as mãos umas às outras, para que, dessa maneira, um mundo melhor seja construído. 

Exemplo de empatia e apatia

Vamos trazer esses significados para o mundo real. Imagine que há duas pessoas em um banco de uma praça. A pessoa Y está lendo um livro e a pessoa X está ouvindo música com fones de ouvido e mexendo no celular. De repente, um carro e uma moto colidem na rua em frente a praça. Visivelmente ambos os condutores ficaram feridos com o acidente. A pessoa Y logo liga para a emergência, porém a pessoa X apenas dá uma rápida olhada e volta a se concentrar na música e no celular.

Nesse caso, a pessoa Y foi empática e a X foi apática. A pessoa Y se preocupou com a situação e o bem-estar dos envolvidos no acidente e chamou ajuda. Ela se colocou no lugar do outro e ajudou quem precisava, sem se importar se era um conhecido ou não. Já a pessoa X mostrou indiferença e insensibilidade durante todo o tempo.

Você pode defender a pessoa X, argumentando que ela percebeu que alguém já havia chamado por socorro, portanto, não havia nada que ela pudesse fazer para ajudar. Mesmo assim, ela demonstrou dificuldade de sentir emoção. Colocar-se no lugar do outro é uma tarefa impossível para o apático.

Agora é sua vez! Você considera que é a pessoa X ou Y nas situações da vida real?

A apatia no trabalho

Não existe uma receita definida para lidar com pessoas apáticas no ambiente de trabalho ou na vida pessoal. Profissionais apáticos podem espalhar frustração e desinteresse pelos objetivos da empresa para toda a área, contaminando outros colaboradores. Por isso, a minha recomendação é que o gestor do setor esteja atento e alinhado com a área de recursos humanos – RH ou gestão de pessoas nessa questão.

O que pode causar?

Já posso indicar que a falta de comunicação entre gestores e subordinados, falta de coerência entre discurso e prática da gestão, processos de trabalhos inexistentes ou desordenados, falta de reconhecimento, acesso restrito ou nulo a informações, que seriam instrumentos de trabalho, entre diversos outros pontos, são alguns dos fatores que podem contribuir para o surgimento de funcionários apáticos. 

Situações externas, como problemas pessoais, falta de perspectiva, fortes concorrentes e a instabilidade do mercado também podem assolar a mente de uma pessoa.

Além das pesquisas, é possível identificar um funcionário apático analisando a pouca ou nula comunicação deste com os outros do time ou de áreas diferentes, observando seus indicadores de performance abaixo da média, assim como a falta de comprometimento com prazos e compromissos. Outros fatores como procrastinação para resolver problemas, lentidão para executar tarefas simples, desenvolvimento de fluxos incoerentes e mesa desorganizada por vários dias também devem ser considerados.

Como lidar com o problema?

É interessante aplicar pesquisas de clima organizacional periódicas e avaliar atentamente o resultado delas. Com os dados analisados em mãos, o próximo passo é buscar por soluções para possíveis problemas junto com a equipe. Também é importante criar indicadores para que todos colaborem para melhorar o clima. Desse modo, todos poderão cooperar e se sentirão como um time unido. Além disso, será mais fácil prever e identificar quando os primeiros sinais de uma pessoa apática aparecerem.

Por conta da diversidade de fatores, que podem criar e desenvolver a apatia, é essencial que se compreenda caso a caso. Nada de estereotipar! Somente desse jeito será possível investigar os possíveis motivos e chegar a soluções assertivas para tirar o colaborador desse estado. Em casos assim, o ideal é que líderes e gestores, bem como a empresa de uma forma geral, demonstrem empatia pela situação do profissional. 

Se um dos seus funcionários for ou se tornar apático é hora de agir! As características específicas que tornam uma pessoa apática podem ser minimizadas com a ajuda, por exemplo, da formação Professional & Self Coaching – PSC. Esse aprendizado dá uma oportunidade real do aluno se conhecer, trabalhando em questões pessoais, crenças, comportamentos nocivos e maneiras de evoluir.

Faça agora mesmo o download do material gratuito e exclusivo que preparamos, para que você combata a apatia e desenvolva ainda mais a empatia no ambiente de trabalho!

Portanto, se você descobriu que tem um colaborador apático ou se você identificou apático, não há motivo para se desesperar. O Coaching pode ajudar! E se você é empático  ou tem pessoas no time assim e gostaria de trabalhar melhor suas habilidades e competências, o Coaching também pode contribuir. É um investimento que trará benefícios para a equipe e a gestão.

O passo a passo da empresa é identificar o problema, estar disponível para ouvir e investir nos funcionários. Sei que não é tão simples, porém vale a pena investir no bem-estar dos seus colaboradores, pois isso trará benefícios para a equipe e para os negócios, de uma forma geral. 

Serão benefícios que poderão ser vistos aos poucos, conforme o tempo vai passando. E os efeitos serão incríveis! Será quase palpável identificar um ambiente de trabalho mais saudável e de melhor entrosamento da equipe. Para confirmar, não deixe de aplicar a pesquisa de clima organizacional. Além disso, em termos de objetivos, será possível perceber a evolução dos resultados do time e o progresso nos indicadores da empresa.

E se a sua empresa conta também com profissionais que possuem as características da empatia, que citei acima, estas também podem ser potencializadas através dos conhecimentos, técnicas e ferramentas do Coaching. Basta implementar o processo dentro da organização e incentivar os colaboradores a participarem e se permitirem ir além, pois, fazendo isso, eles terão a oportunidade, não só de contribuir para o sucesso dos negócios, mas também para o seu próprio crescimento e desenvolvimento. 

Assim, o que é importante que eles saibam é que não são só os colaboradores tomados pela apatia que precisam de acompanhamento, mas também aqueles com as características da empatia, uma vez que todos estão em constante processo de evolução e aprendizado. Imagine que excelente para o profissional, para a equipe e para a empresa quando suas qualidades são desenvolvidas, efetivamente e na prática.

O resultado disso é que todos só têm a ganhar. Basta se permitir e ousar ir além todos os dias. 

Agora que você já sabe a diferença entre empatia e apatia, consegue nos dizer em qual destes perfis você mais se encaixa? O que você achou de saber um pouco mais sobre este tema? Deixe nos comentários suas impressões sobre o assunto e, se este conteúdo fez sentido para você, lembre-se sempre de se lembrar de compartilhá-lo em suas redes sociais, para que seus amigos também entendam as diferenças existentes entre apatia e empatia.

O artigo é bom, né?

No IBC é assim, não custa nada evoluir e alcançar resultados extraordinários. Se você quer seguir por esse caminho de evolução é só baixar o nosso e-book gratuito,
Tudo sobre Coaching. Preencha o formulário abaixo com seus dados para ler.

Copyright: Ai825 / Shutterstock

Deixe seu Comentário

IBC - Instituto Brasileiro de Coaching: Av. Prof. Venerando Freitas Borges, 561 - Setor Jaó - Goiânia/ GO - CEP: 74.673-010