White Label – O que é e quais são as vantagens e desvantagens?

Etiqueta branca

Confira 5 Dicas para trabalhar com White Label.

Já pensou em comprar produtos de outras empresas e comercializá-los com a sua marca? Saiba que a prática, chamada white label, tem se tornado cada vez mais comum no mercado. É uma possibilidade mais acessível de ter a sua própria marca sem precisar contar com uma estrutura para fabricação.

Também é importante citarmos o outro lado, que é o de quem fabrica as mercadorias com a “marca branca”. Diversas companhias no Brasil e no mundo seguem esse modelo de negócio, fabricando itens para terceiros comercializarem com sua própria etiqueta.

Quer saber mais sobre como funciona o modelo de negócio white label, suas vantagens e desvantagens? É só continuar lendo e conferir!

Preencha AGORA o formulário para descobrir!

O que é White Label?

Para que fique mais claro o que é white label, vamos apresentar alguns exemplos provavelmente já vistos em seu dia a dia. Muitos supermercados possuem itens de todos os tipos com a sua marca, de caixas de leite a desinfetantes. Manter produções tão distintas seria inviável, por isso, claramente se trata de um caso de white label.

Outro exemplo são pequenas lojas de calçados femininos que comercializam produtos com marca própria. Há também os e-commerces de roupas e itens esportivos que, além de revender outras marcas, possuem uma linha com sua própria marca.

Vale mencionar que um mesmo estabelecimento pode vender produtos fabricados por empresas diferentes, mesmo que todos estejam com a sua marca estampada. No caso do supermercado isso fica bastante claro, afinal são mercadorias com processo produtivo totalmente diferente umas das outras, o que necessita de mais de uma fábrica.

Qual a diferença entre White Label e Private Label?

Existe uma outra modalidade que possui certa semelhança com o white label, mas que possui critérios diferentes de funcionamento, trata-se do private label. Nesse caso, os produtos comercializados por uma empresa são fabricados por outra, contudo, há um contrato de exclusividade.

Assim, podemos concluir que:

White label: uma mesma fábrica produz itens e aplica a marca de outras empresas. Não há exclusividade.

Private label: uma fábrica produz itens e aplica a marca de uma única empresa. Há exclusividade.

Geralmente, o modelo private label é aplicado a grandes marcas, que podem arcar com os custos de uma produção exclusiva. Além disso, a fábrica terá os seus lucros totalmente atrelados a ela, o que requer maior cautela na forma como essa relação se dará.

White Label e franquia são a mesma coisa?

Como no modelo white label a empresa que irá comercializar recebe os produtos prontos, muitos confundem com outra estratégia semelhante, a franquia. Entretanto, é preciso dizer que são negócios totalmente diferentes.

Nas franquias, o proprietário do empreendimento precisa seguir um conjunto de normas, o negócio precisa manter o padrão original, há metas a serem batidas e assim por diante. Já no white label o negócio é totalmente independente e apenas compra a mercadoria personalizada da fábrica.

Entre as duas opções, o white label oferece muito mais liberdade ao empreendedor. Entretanto, é um tipo de empreendimento que não conta com o suporte de uma marca já consolidada, como ocorre com as franquias.

Exemplos de White Label

Além dos exemplos citados, de calçados e itens de supermercado, a prática de white label também se aplica a outros setores, como:

Aplicativos para delivery de restaurantes: uma mesma plataforma é utilizada por diversos restaurantes para a realização de pedidos, com sua marca e menu personalizado.

Cartões de crédito: existem muitos cartões de crédito disponíveis no mercado, com marcas diferentes, mas sempre através de bandeiras já conhecidas, como Visa, Mastercard e Elo.

Softwares: no mercado é possível encontrar softwares com as mais diversas finalidades na modalidade white label, podendo colocar a sua marca.

Vantagens do white label

Poder comercializar produtos com a sua própria marca traz algumas vantagens, veja quais são elas:

  • Não é necessário ter conhecimento técnico na área para ter a sua marca;
  • Ter uma marca sem precisar lidar com questões ligadas à produção;
  • Como os produtos são fabricados por terceiros, é possível se dedicar totalmente a outras áreas do negócio, como marketing, vendas e gestão;
  • Vender produtos fabricados por empresas com expertise no setor em questão;
  • O custo de produtos white label costuma ser mais baixo do que seria em uma fabricação própria;
  • Liberdade para a precificação de acordo com as estratégias do negócio.

Desvantagens do White Label

Por outro lado, o modelo de negócio white label possui algumas desvantagens que precisam ser consideradas.

  • Como não há exclusividade, a concorrência pode adquirir produtos do mesmo fabricante e colocar sua própria marca;
  • Não há participação no desenvolvimento dos produtos;
  • Em caso de necessidade de alteração em características dos produtos, o processo pode ser mais lento.

5 Dicas para trabalhar com White Label

Se, ao analisar os prós e os contras, concluiu que o white label é uma opção interessante para empreender, confira algumas dicas. Lembrando que estamos falando dos empreendedores que irão adquirir os itens e colocar a sua própria marca.

1. Defina o setor em que irá empreender

Em primeiro lugar, é importante definir o setor em que irá empreender. Para isso, considere o mercado e também os seus interesses, pois é fundamental que tenha certa afinidade com a área escolhida.

2. Escolha os fabricantes parceiros

Essa é uma etapa que deve ser realizada com bastante cautela, afinal, a qualidade dos seus produtos dependerá totalmente da expertise dos fabricantes.

3. Defina os detalhes da parceria

A parceria com as empresas fabricantes deve ser muito bem definida, considerando prazos de entrega, pagamento, tipos de produtos, qualidade da matéria-prima, se haverá exclusividade nos modelos, entre outros pontos.

4. Crie a sua marca

A criação da sua marca é mais uma etapa bastante importante, porque é através dela que irá se apresentar aos clientes. É preciso que seja uma marca que converse com o público-alvo e transmita a essência que deseja passar.

5. Avalie o desempenho dos produtos

É crucial que acompanhe continuamente o desempenho dos produtos, analisando as vendas, as compras recorrentes e os comentários dos consumidores. Assim, poderá identificar alterações que forem necessárias, seja nos itens em si ou em outros detalhes relacionados.

Você já conhecia o modelo de negócio white label? Acha que é uma boa opção para empreender? Deixe seu comentário abaixo e compartilhe o conteúdo com seus amigos que possam se interessar pelo conteúdo.

O artigo é bom, né?

No IBC é assim, não custa nada evoluir e alcançar resultados extraordinários. Se você quer seguir por esse caminho de evolução é só baixar o nosso e-book gratuito,
Tudo sobre Coaching. Preencha o formulário abaixo com seus dados para ler.
José Roberto Marques

Sobre o autor: José Roberto Marques é referência em Desenvolvimento Humano. Dedicou mais de 30 anos a fim de um propósito, o de fazer com que o ser humano seja capaz de atingir o seu Potencial Infinito! Para isso ele fundou o IBC, Instituto que é reconhecido internacionalmente. Professor convidado pela Universidade de Ohio e Palestrante da Brazil Conference, na Universidade de Harvard, JRM é responsável pela formação de mais de 50 mil Coaches através do PSC - Professional And Self Coaching, cujo os métodos são comprovados cientificamente através de estudo publicado pela UERJ . Além disso, é autor de mais de 50 livros publicados.



*Esse conteúdo não é fonte para veículos jornalísticos ou matérias para imprensa, para utilização ou referência por favor entre em contato conosco.

Deixe seu Comentário

IBC - Instituto Brasileiro de Coaching: Av. Prof. Venerando Freitas Borges, 561 - Setor Jaó - Goiânia/ GO - CEP: 74.673-010
CNPJ: 31.328.744/0001-63

This will close in 0 seconds