Metamodelo de linguagem: como melhorar a comunicação no trabalho?

Megafone na mão

Confira os três elementos do metamodelo de linguagem.

O processo de comunicação é simples de entender, mas complexo de explicar. Ele consiste em escolher elementos que representem ideias. Por exemplo, quando alguém desenha uma maçã, foi escolhido o canal físico do desenho para representar uma maçã, embora saibamos que aquilo não é uma maçã de verdade. O importante é que as outras pessoas sejam capazes de fazer esse reconhecimento.

Assim como o desenho, as palavras escritas, as palavras faladas, os gestos, a linguagem corporal e até mesmo uma simples expressão facial podem expressar as ideias que desejamos comunicar. Aliás, “comunicar” significa “tornar comum”, ou seja, transmitir aos outros a ideia que está em nossa mente.

Como você pode perceber, há diferentes linguagens que permitem que o processo de comunicação ocorra. Na vida pessoal e no trabalho, é importante que a linguagem escolhida seja extremamente clara, de modo que aquilo que comunicamos possa ser corretamente compreendido e interpretado pelos interlocutores. É nesse contexto que surge o metamodelo de linguagem.

Preencha AGORA o formulário para descobrir!

O metamodelo de linguagem

O Metamodelo de Linguagem é uma ferramenta da PNL (Programação Neurolinguística) que permite a nossa interação com o mundo, incluindo tudo o que utilizamos para representar a nossa experiência, sejam imagens, sons, palavras, sensações, sentimentos etc. O metamodelo se resume em um conjunto de instrumentos com os quais é possível construir uma comunicação melhor. O seu objetivo é reconectar a sua representação à sua experiência, o mesmo que dar nome a coisas e fatos.

Com a técnica do metamodelo, é possível tornar a comunicação mais incisiva, chegando de maneira mais fácil ao seu objetivo: a compreensão. Relacionar-se com o outro depende da nossa cultura e da forma como fomos criados. Assim, cada pessoa tem o seu padrão de comunicação e de interpretar a realidade. Aproximamo-nos por semelhança, criamos conflitos e diferenças, mas como resolver esses conflitos de comunicação no trabalho? Como melhorar a comunicação no nosso dia a dia?

A comunicação no trabalho

A comunicação é a essência do relacionamento humano. É por meio dela que trocamos mensagens, afetando de maneira recíproca a vida dos outros. Dessa maneira, uma organização simplesmente não poderia funcionar de maneira eficaz sem a comunicação, pois todas as pessoas em uma organização compartilham a responsabilidade pelas comunicações. As atividades organizacionais são integradas e dirigidas para realizar os objetivos das empresas, o que só é possível por meio da comunicação.

De acordo com Golhaber apud Kunsch (Kunsch, 1977 p.68), “a comunicação organizacional pode ser vista como um fluxo de mensagens dentro de uma rede de relações independentes”. Em uma organização, a comunicação se processa em três diferentes direções: de cima para baixo (dos líderes aos liderados), de baixo para cima (dos liderados aos líderes) e lateralmente (entre pessoas do mesmo nível hierárquico).

A comunicação de baixo para cima é muito importante, pois é quando os colaboradores têm a oportunidade de falar para os seus superiores, podendo expressar as suas frustrações e desejos. Consequentemente, eles se tornam mais motivados a participar da organização, tornando a comunicação mais eficaz e facilitando também a comunicação de cima para baixo.

O primeiro passo para evolução na comunicação é identificar seu nível de felicidade! Faça o nosso teste e descubra qual o seu nível de felicidade!

Os três elementos do metamodelo de linguagem

O metamodelo de linguagem consiste em uma série de perguntas capazes de resolver três “problemas” típicos do processo de comunicação: a generalização, a omissão e a distorção.

1. Generalização

A generalização consiste em tomar eventos particulares como regras e verdades absolutas. Por exemplo, quando alguém afirma “eu não devo fazer isso”, devemos questionar: o que aconteceria se você fizesse isso? Quando alguém diz “eu sou assim e não tenho como mudar”, devemos questionar: o que o impede de mudar?

Outro exemplo clássico é quando as pessoas empregam termos absolutos, como: “sempre”, “nunca”, “jamais” etc. É comum as pessoas afirmarem frases do tipo “Ninguém me compreende”. Será que não há uma pessoa no mundo capaz de compreendê-lo? É preciso fazer esses questionamentos para que a nossa comunicação seja mais precisa e menos exagerada.

2. Omissão

A omissão ocorre quando as pessoas “escondem”, no processo de comunicação, informações importantes. Nesse caso, os questionamentos que fazemos devem justamente trazer à tona os elementos que foram omitidos, de modo que possamos obter uma comunicação mais completa. Por exemplo:

  • “Eu não gosto do meu vizinho” — em que aspecto você não gosta dele?
  • “As pessoas me criticam o tempo todo” — quais pessoas criticam você?
  • “Meu filho me orgulha” — de que maneira o seu filho lhe dá esse sentimento?
  • “Matemática é muito fácil” — é muito fácil comparada a que?
  • “Esse projeto não é bom o suficiente” — com base em qual padrão?

3. Distorção

No caso da distorção, diferentes ideias são associadas por causa e efeito, por equivalência, por pressuposição, mas de forma incoerente, sem que haja uma relação lógica entre elas. A correlação estabelecida é distante e pouco clara, de modo que as perguntas feitas nesse sentido devem justamente trazer a clareza que foi perdida. Por exemplo:

  • “Minha coordenação motora é terrível” — como você gostaria que ela fosse?
  • “Ela não me disse ‘oi’, deve me odiar” — alguma você já deixou de dizer “oi” a alguém porque odeia a pessoa?
  • “Por que você é tão irresponsável?” — quem disse que eu sou irresponsável?
  • “As pessoas gostam de mim quando me abraçam” — qual a relação entre um abraço e o ato de gostar?
  • “Somente a fé nos leva à felicidade” — quem afirmou isso? Não é possível ser feliz de outras formas?

A comunicação é uma das mais importantes funções gerenciais, e também é muito importante refletir sobre o seu papel dentro de uma organização. Para poder compreender o que se passar no mundo do trabalho, é preciso que haja comunicação. O metamodelo de linguagem permite que façamos questionamentos que tornam a comunicação mais clara, evitando as interpretações equivocadas e os conflitos decorrentes disso. Esse é um dos objetivos da PNL!

Para todas as pessoas que desejam se comunicar melhor, obter melhores resultados nas apresentações em público, reuniões, participações em eventos, seja onde for, o coaching de comunicação é indicado para essa finalidade. Esse é o caminho para o profissional que busca aprimorar as suas competências e se comunicar melhor. A parceria com o coach torna possível conquistar novos aprendizados e desenvolver habilidades e técnicas comportamentais, assim como é o metamodelo de linguagem.

E você, querida pessoa, tem sido clara em suas comunicações no trabalho? Em que aspectos sente que poderia fazer melhor? Deixe o seu comentário no espaço a seguir. Por fim, que tal levar estas informações a todos os seus amigos, colegas de trabalho, familiares e a quem mais possa se beneficiar delas? Compartilhe este artigo nas suas redes sociais!

O artigo é bom, né?

No IBC é assim, não custa nada evoluir e alcançar resultados extraordinários. Se você quer seguir por esse caminho de evolução é só baixar o nosso e-book gratuito,
Tudo sobre Coaching. Preencha o formulário abaixo com seus dados para ler.
José Roberto Marques

Sobre o autor: José Roberto Marques é referência em Desenvolvimento Humano. Dedicou mais de 30 anos a fim de um propósito, o de fazer com que o ser humano seja capaz de atingir o seu Potencial Infinito! Para isso ele fundou o IBC, Instituto que é reconhecido internacionalmente. Professor convidado pela Universidade de Ohio e Palestrante da Brazil Conference, na Universidade de Harvard, JRM é responsável pela formação de mais de 50 mil Coaches através do PSC - Professional And Self Coaching, cujo os métodos são comprovados cientificamente através de estudo publicado pela UERJ . Além disso, é autor de mais de 50 livros publicados.



*Esse conteúdo não é fonte para veículos jornalísticos ou matérias para imprensa, para utilização ou referência por favor entre em contato conosco.

Deixe seu Comentário

IBC - Instituto Brasileiro de Coaching: Av. Prof. Venerando Freitas Borges, 561 - Setor Jaó - Goiânia/ GO - CEP: 74.673-010