5 Principais erros na criação de um Planejamento Estratégico

Planejamento estratégico escrito em um cartão

O planejamento estratégico deve ser feito à prova de erros!

Um dos processos gerenciais mais relevantes para uma empresa, o planejamento estratégico, deve ser feito com cuidado. Ele serve de base para orientar as estratégias, indicadores, objetivos, cronogramas, entre outros detalhes fundamentais. O direcionamento dos esforços da companhia depende da elaboração correta desse plano.

Considerando a relevância desse planejamento, falaremos a seguir sobre os 5 principais erros cometidos na elaboração do documento. Leia com atenção para evitar que esses erros estejam presentes no seu negócio, comprometendo os seus resultados. Vamos começar a leitura?

Comece a ter o

Destaque

que você merece!

Preencha os campos abaixo para receber o e-book.

Quais são os principais erros na criação de um planejamento estratégico?

Confira, a seguir, os 5 principais erros que podem afetar os resultados do seu planejamento estratégico.

1. Não ter informações suficientes para a tomada de decisões

Decisões tomadas sem base em informações têm grandes chances de levar a verdadeiros desastres corporativos. Os gestores devem compreender que gerenciamento ágil nada tem a ver com decisões tomadas por impulso. Claro que é importante ter rapidez para tomar certas decisões, mas isso não pode comprometer os bons resultados.

Na elaboração do planejamento estratégico, a equipe deve ter acesso a todas as informações relevantes. Isso quer dizer que é necessário que a equipe conheça as condições de mercado, os resultados atuais da companhia, quais indicadores são usados, entre outros dados. A falta de informações pode comprometer uma tomada de decisão da equipe, por não vislumbrar determinados cenários.

Outro ponto relevante é que a equipe que está elaborando o planejamento estratégico precisa conhecer profundamente os processos da companhia. Times preparados têm mais embasamento para tomar boas decisões, considerando todos os aspectos envolvidos.

2. Não ter objetivos definidos de forma correta

Os objetivos são essenciais para o planejamento estratégico, uma vez que é a partir deles que se elabora os demais planejamentos. Algo que acontece mais comumente do que deveria é a definição de objetivos contrastantes com a realidade.

Muitos gestores têm dificuldades de elaborar objetivos adequados à realidade da sua empresa. Isso pode levar a definição de metas muito fáceis de cumprir, irrelevantes ou, então, irreais e inalcançáveis.

A dica para evitar errar na definição dos objetivos é usar como base os requisitos SMART. Os objetivos devem ser específicos, mensuráveis, atingíveis, relevantes e com prazo de execução. Para gestores que ainda têm dificuldade para elaborar objetivos, fica a dica de se questionar: “Qual resultado esperamos obter?”. A resposta dessa pergunta é o seu objetivo.

Para que a escrita do seu objetivo esteja bem elaborada, é interessante iniciar o texto com um verbo forte e que esteja no infinitivo. A definição dos objetivos depende de compreender o momento atual pelo qual a companhia está passando e o mercado em que ela está inserida. Eles precisam ser desafiadores e engajar as equipes no seu alcance.

3. Não envolver as equipes desde o início

Um erro também comum é manter a elaboração e decisões do planejamento estratégico restritas aos níveis hierárquicos mais elevados. O primeiro ponto que devemos esclarecer é que o ideal é ter em torno de 12 participantes no processo. Esse grupo deverá debater e elaborar as diretrizes e objetivos estratégicos.

Quando se chega ao desdobramento tático e operacional, é válido ter mais pessoas envolvidas. Na fase de elaboração dos planos de ação, um público mais amplo deve ser convidado a participar para que se tenha mais variedade de contribuições. Ouvir as demandas e sugestões das equipes deve fazer parte do processo, essa pode ser uma etapa preliminar.

Ao longo da elaboração do planejamento estratégico, é essencial envolver as equipes ou representantes delas. São ações que facilitam o processo de implementação de ações e permitem que novas iniciativas sejam tomadas ao longo da execução do plano.

4. Não saber diferenciar níveis de prioridade de ações

Diferentes ações e iniciativas do planejamento estratégico têm níveis de prioridade diferentes entre si. Para que um plano obtenha sucesso, é importante que tenha a correta definição de prioridades para a sua execução. Para evitar esse erro, é importante definir as prioridades das ações no momento em que as estiver traçando.

O maior foco deve estar naquilo que é mais relevante, ou seja, nas ações efetivas que terão maior influência no sucesso ou fracasso. Quanto mais a ação tem potencial de geração de valor e superação de expectativas, mais contribui para os resultados da companhia.

Tenha sempre em mente que menos é mais. Mantenha o foco e lembre-se de que é crucial executar poucos projetos de cada vez para conquistar melhores resultados. Essa é uma questão muito importante, pois nem sempre dá para tocar projetos diferentes de maneira simultânea pela escassez de recursos.

5. Não saber mensurar os resultados

O planejamento estratégico precisa ser devidamente acompanhado e analisado para que seja bem-sucedido. É importante para o processo entender quais são as ações que estão entregando os resultados esperados.

Também é fundamental saber quais ações estão cumprindo os cronogramas. Essas observações permitem identificar quais são as necessidades que devem ser atendidas no decorrer do ano. É uma forma de praticar o feedback estratégico.

A etapa de elaboração do planejamento estratégico deve contar com a construção do Painel de Bordo, de acordo com a filosofia do Balanced Scorecard. Esse painel nada mais é do que um mapa da estratégia.

Podem ser incluídos nesse mapa os principais indicadores com a possibilidade de atualizar em tempo real, nesse caso, usando um software. Se a sua empresa não utilizar um software é possível fazer atualizações periódicas.

O cumprimento dos objetivos deverá ser acompanhado regularmente por meio do painel de bordo. Assim, é possível adaptar o planejamento para chegar a uma visão mais ágil sobre o que precisa ser feito.

Ao longo do tempo, é possível identificar o que precisa ser adaptado e o que já está funcionando bem. Realizar reuniões de análise crítica periódicas é bem importante. Essas reuniões devem fazer parte do planejamento do processo de acompanhamento.

O planejamento estratégico tem grande relevância para a empresa e por isso deve ser feito à prova de erros!

Gostou do conteúdo? Aproveite para comentar abaixo e compartilhar com amigos que tenham interesse sobre o assunto!

E aí, curtiu esse conteúdo?

Saiba que ele é apenas a pontinha do iceberg e você pode desenvolver suas habilidades de liderança muito mais. Baixe agora o ebook Leader Coach e aprenda como extrair o máximo resultado da sua equipe.
Preencha o formulário, é de graça.
José Roberto Marques

Sobre o autor: José Roberto Marques é referência em Desenvolvimento Humano. Dedicou mais de 30 anos a fim de um propósito, o de fazer com que o ser humano seja capaz de atingir o seu Potencial Infinito! Para isso ele fundou o IBC, Instituto que é reconhecido internacionalmente. Professor convidado pela Universidade de Ohio e Palestrante da Brazil Conference, na Universidade de Harvard, JRM é responsável pela formação de mais de 50 mil Coaches através do PSC - Professional And Self Coaching, cujo os métodos são comprovados cientificamente através de estudo publicado pela UERJ . Além disso, é autor de mais de 50 livros publicados.



*Esse conteúdo não é fonte para veículos jornalísticos ou matérias para imprensa, para utilização ou referência por favor entre em contato conosco.

Deixe seu Comentário

IBC - Instituto Brasileiro de Coaching: Av. Prof. Venerando Freitas Borges, 561 - Setor Jaó - Goiânia/ GO - CEP: 74.673-010