O que significa stakeholder e o seu papel dentro de uma empresa?

Stakeholder

Conheça o papel de um Stakeholder na empresa

 

Quando o assunto é empresa, gestão, resultado e outras tantas expressões ligadas ao mundo dos negócios, é normal que surjam dúvidas ao longo do tempo. Em meio a tantos termos, existe um que ainda consegue deixar uma pequena interrogação na mente de muita gente, que é stakeholder. Você já ouviu essa expressão, sabe o que ela significa? Continue a leitura para entender o que são stakeholders e qual o seu papel dentro de uma empresa.

A felicidade é imprescindível para o bom desempenho profissional!
Clique aqui, faça nosso “TESTE” e descubra como anda sua felicidade!

O que é stakeholder?

Na língua inglesa, a palavra “stake” significa interesse, participação, risco. Já “holder”, quer dizer aquele que possui. Dessa forma, entende-se que stakeholder é o que chamamos de parte interessada. Nesse sentido, é qualquer indivíduo, grupo ou organização que tenha interesse em uma empresa, que possa afetar ou ser afetada por sua atividade. Segundo o filósofo Robert Edward, todos os indivíduos sem os quais uma empresa não consegue viver sem são considerados stakeholders.

Os stakeholders podem ser internos e externos, de acordo com o relacionamento que possuem com a companhia. Saiba mais sobre esses dois perfis abaixo:

Stakeholders internos: são indivíduos ou grupos que possuem intercâmbio financeiro direto com o negócio, o que inclui funcionários, diretores, fornecedores, proprietários, credores e clientes.

Stakeholders externos: são grupos que não têm intercâmbio econômico direto com o negócio, mas que podem influenciá-lo de outras maneiras. Isso inclui o governo, que pode afetar os negócios por meio de políticas e leis tributárias, bem como a mídia, os sindicatos e a comunidade local.

Stakeholders primários e secundários

Outra classificação importante a ser feita diz respeito aos stakeholders primários e secundários. Os primários são indivíduos ou grupos que afetam diretamente a atividade da empresa, geralmente são também stakeholders internos.

Quando se trata de pequenas empresas, clientes, proprietários e funcionários costumam ser considerados os principais stakeholders. Já em grandes empresas, os acionistas e diretores têm maior influência na política corporativa e no dia a dia dos negócios, o que faz com que sejam vistos nesse mesmo patamar de importância.

Os stakeholders secundários são menos influentes do que os primários por serem externos e podem afetar indiretamente os negócios. Esse é o caso do governo, que pode atualizar as regras de tributação, por exemplo, veja que não se trata de uma troca financeira direta, mas é um tipo de situação que acaba impactando a empresa.

Fatores importantes a considerar em relação aos stakeholders

Quando se trata de stakeholders, existem algumas perguntas importantes a se fazer para gerenciá-los da maneira certa ao longo de cada projeto. Através desses questionamentos, fica mais simples entender quais são as necessidades de cada uma das partes interessadas.

Quem são os stakeholders mais influentes dentro do projeto em questão?

É importante saber quais stakeholders são considerados os “cabeças” de um projeto, ou seja, aqueles que têm o poder de decisão e que podem solicitar alterações a qualquer momento.

Quais stakeholders serão mais afetados pelo projeto?

Aqui, estão incluídas tanto as pessoas diretamente ligadas ao projeto quanto outras que terão suas vidas impactadas. No caso de uma construção, por exemplo, não são apenas os proprietários do imóvel e membros da construtora envolvidos, mas também toda a comunidade no entorno da obra.

Quais têm interesse financeiro no projeto?

É preciso considerar quais são os stakeholders que possuem interesse financeiro em relação ao projeto, o que pode incluir tanto quem irá receber por ele quanto quem está realizando o investimento.

Existem pessoas importantes dentro da empresa que não serão stakeholders de um projeto?

Existem situações em que pessoas importantes dentro de uma empresa não são stakeholders de um projeto específico. Contudo, ainda assim, é necessário reportar a elas informações para que estejam cientes e evitem tomar decisões que atrapalhem o andamento da empreitada.

Quais stakeholders irão controlar os recursos?

Tanto do lado do cliente quanto da empresa que está executando o projeto existem stakeholders responsáveis pelo controle de recursos. É preciso saber quem serão eles para casos de alterações e mudanças no orçamento.

10 Princípios para manter o engajamento dos stakeholders

O bom gerenciamento e o engajamento dos stakeholders são elementos essenciais para o sucesso de um projeto. Veja, a seguir, quais são os dez princípios para alcançar esses objetivos.

1 – Comunicação

A comunicação é um princípio fundamental dentro de qualquer empresa e ainda mais relevante quando se trata dos stakeholders. É importante que todas as partes interessadas de um projeto estejam cientes sobre o seu andamento. Quanto melhor for a comunicação entre todos os envolvidos, melhores serão os resultados obtidos.

2 – Reuniões periódicas

Um projeto, principalmente se estiver em suas fases iniciais, pode não ter todos os detalhes claros para os stakeholders. Sendo assim, é interessante realizar reuniões periódicas ou optar por outras formas de consultas regulares, considerando principalmente pontos como propósito, escopo, riscos e abordagem.

3 – Considerar aspectos humanos

A palavra stakeholder remete a algo técnico, mas é preciso lembrar que, no fim das contas, são seres humanos, que nem sempre se comportam da forma esperada. Levar em consideração aspectos emocionais é necessário para manter a harmonia entre as partes interessadas e solucionar eventuais problemas com tranquilidade.

4 – Planejamento

O planejamento é de extrema importância para tirar uma ideia do papel de forma ordenada e com maiores chances de sucesso. Por mais que existam indivíduos dentro da empresa que sejam planejadores profissionais, contar com a participação de outros stakeholders para criar esse plano pode trazer melhorias significativas.

5 – Bom relacionamento

O desenvolvimento de relacionamentos resulta em aumento da confiança entre os envolvidos. E sabemos que, onde há confiança, as pessoas trabalham juntas com mais afinco. Por esse motivo, investir na construção de bons relacionamentos com os stakeholders pode aumentar a confiança no ambiente de trabalho, o que não evitará que problemas surjam, mas certamente facilitará a busca por soluções.

6 – Feedbacks

Todo responsável por um projeto deseja que os resultados sejam os melhores possíveis, e um aspecto de grande importância para alcançar esse objetivo envolve aceitar e oferecer feedbacks. Quanto mais as pessoas envolvidas trocarem percepções a respeito do desempenho umas das outras, mais poderão aprender e se desenvolver.

7 – Adaptação

Grande parte dos projetos de maior sucesso não terminam exatamente da forma que foram idealizados, porque é natural que seja preciso adaptar o plano ao longo do caminho. Portanto, é imprescindível que os stakeholders mantenham a mente aberta e evitem manter ideias fixas, pois isso pode atrapalhar o andamento do trabalho.

Como o Coaching pode ajudar no gerenciamento dos stakeholders

Como executivo você deve entender bem o papel dos stakeholders no mundo dos negócios, mas também deve compreender o próprio papel. Para ajudar nisso, o Instituto Brasileiro de Coaching (IBC) tem algumas informações que são muito interessantes.

Vamos começar falando sobre a formação de Coaching Executivo e Negócios, chamada Business and Executive Coaching (BEC). Desenvolvida especialmente para quem desejar potencializar sua atuação no ambiente organizacional, a metodologia pode ser aplicada a executivos, líderes, gestores e qualquer profissional que deseja evoluir.

O curso atua na determinação de metas, no Coaching individual e em equipe, no planejamento dos relacionamentos interpessoais, na criação e execução dos planos de ação, no plano tático geral da empresa e, consequentemente, tem papel ativo na gestão de mudanças. Transformador, não é mesmo? É esse o papel do Coaching! E os resultados poderão vir em curto, em médio ou em longo prazo para o coachee (cliente) e, por lógica, também para a empresa e pessoas com quem ele trabalha e convive.

Após a formação, o profissional poderá aplicar tudo que aprendeu com destreza. São benefícios como o aperfeiçoamento das habilidades de comunicação, negociação e de delegação, o que já impulsiona a carreira para uma liderança; otimização da sua atuação no trabalho em equipe; processos de carreira; desenvolvimento pessoal e autoconhecimento.

Além disso, o coachee irá aprender sobre conceitos organizacionais, o que são e como se livrar de crenças e emoções limitadoras, inteligência emocional, as diferenças entre as gerações, o que é e como aplicar a avaliação 360°, mudança comportamental, como gerir em diferentes contextos, outras ferramentas e teorias do Coaching e muito mais!

Outra formação bastante útil é o MBA Executivo em Gestão Empresarial & Coaching, uma especialização em gestão empresarial que usa práticas e métodos do Coaching. O Master of Business Administration (MBA) promovido pelo IBC visa a aprendizagem concreta por meio da vivência. Ou seja: o aluno viverá a teoria e a prática com atividades e dinâmicas.

Assim como o método Coaching, o objetivo dessa formação é causar real impacto positivo na sua vida, mudando sua percepção e comportamento a respeito de muitos aspectos. Tais transformações podem influenciar diretamente no seu trabalho atual de gestor ou quando você se tornar um. Empoderamento total!

Muito além da estrutura convencional, o MBA do IBC é construído para que gestores, líderes e outros profissionais consigam trabalhar bem com ações de desenvolvimento, assessment e avaliação comportamental, feedback 360°, estratégias e planejamentos e os tradicionais módulos de gestão. Fazer esse curso é uma forma de investir em si mesmo, pois, além de aprender e evoluir, você estará participando de um programa de alto valor agregado e até potencializando o início de uma carreira como coach.

Ainda existe um módulo do curso que pode ser realizado College of Business da Universidade de Ohio. São 5 dias de pura imersão na cultura Coaching, aprendizado e troca de contatos. Imagine quantas pessoas você irá conhecer! Ao incluir essa parte, você ganhará o certificado internacional.

Agora que você já leu bastante sobre stakeholders e Coaching, consegue entender a importância de ambos no mercado de trabalho?

Hora de colocar a mão na massa!

Não basta apenas saber todos os conceitos teóricos que envolvem o mundo dos negócios. É preciso entendê-los e aplicá-los. Por isso, o Coaching chega como uma ferramenta tão importante. Além de transmitir a teoria, a metodologia também ensina a prática. Somente dessa forma, você poderá realmente assimilar o que aprendeu. Mais do que um simples investimento, o Coaching é uma ferramenta de evolução profissional que pode fazer toda a diferença na sua vida!

Consegue compreender a importância que os stakeholders têm para uma empresa? Use o espaço abaixo para deixar seu comentário e sua opinião sobre o assunto. Aproveite para curtir e compartilhar o material nas redes sociais.

 

E aí, curtiu esse conteúdo?

Saiba que ele é apenas a pontinha do iceberg e você pode desenvolver suas habilidades de liderança muito mais. Baixe agora o ebook Leader Coach e aprenda como extrair o máximo resultado da sua equipe.
Preencha o formulário, é de graça.

Copyright: 1080405278 – https://www.shutterstock.com/pt/g/inspiring



*Esse conteúdo não é fonte para veículos jornalísticos ou matérias para imprensa, para utilização ou referência por favor entre em contato conosco.

Deixe seu Comentário

IBC - Instituto Brasileiro de Coaching: Av. Prof. Venerando Freitas Borges, 561 - Setor Jaó - Goiânia/ GO - CEP: 74.673-010