Saiba como uma gestão participativa pode atrair melhores resultados nas empresas

Gestão participativa torna possível que todas os colaboradores opinem, participem, estabeleçam metas, resolvam problemas, acessem informações e gerem resultados para a organização.

O desenvolvimento acelerado da globalização, o cenário competitivo e a crise econômica atual exigem que as organizações busquem e adaptem novas formas de gestão. A ideia de que uma pessoa dita as regras e os demais obedecem não é mais bem-vinda. Nos dias de hoje, uma empresa não consegue se manter apenas com o trabalho do gestor, já que a participação dos colaboradores também é fundamental.

Nesse contexto surge a gestão participativa, que nada mais é do que a globalidade dentro da empresa. Aqui todos têm a possibilidade de opinar, participar, estabelecer metas, resolver problemas, acessar informações e executar e gerar resultados para a organização. As estruturas são descentralizadas, o que permite a participação coletiva tanto dos gestores como dos colaboradores. Consequentemente, cada um passa a entender o que a sua função representa e, assim, é estabelecido o comprometimento de todos no resultado final do trabalho da empresa.

Desse modo, o intuito da gestão participativa é evidenciar as pessoas que compõem a organização, proporcionando um conjunto harmônico que impulsione a cooperação de todos nos processos da empresa. Sua implementação não é apenas uma estratégia que visa negociações e diminuição das objeções no ambiente de trabalho. Ela refere-se a um método que possui como intuito a participação de todas as pessoas, independentemente do nível hierárquico.  

Comece a ter o

Destaque

que você merece!

Preencha os campos abaixo para receber o e-book.

Colocar em prática a ferramenta de gestão participativa exige, primeiramente, que três fatores sejam ajustados dentro da organização:

  • Os sistemas – para que não exista oposição quanto à maneira de trabalho dos diferentes sistemas que compõem a empresa. É necessário que todos eles trabalhem de forma harmônica.
  • Condições organizacionais – a estrutura da organização deve ser flexível e possuir diretrizes ajustáveis.
  • Comportamento dos gestores – os gestores devem estabelecer o bom relacionamento com os colaboradores da organização, visto que eles são o ponto de partida das interações que ocorre na empresa.

A aplicação de gestão participativa nas escolas é um exemplo eficaz. O modelo favorece a coletividade e a conexão nos processos, o que promove a aprendizagem dos alunos e os torna capazes de lidar com os desafios presentes na sociedade.

Vantagens da implementação da gestão participativa

São inúmeras as vantagens quanto à implementação da gestão participativa. Conheça algumas delas:

  • O interesse dos colaboradores referente ao trabalho aumenta, gerando melhor desempenho, confiança e colaboração e permitindo o aumento na produtividade;
  • Intensifica a comunicação entre todos os setores da organização;
  • Aumenta a vantagem competitiva com a concorrência, pois o modelo gera fluidez na comunicação de todas as equipes, o que permite que a empresa entenda de fato o que seu cliente deseja e, assim, o atenda de forma eficaz.
  • Permite a descentralização do poder e viabiliza um nivelamento na empresa.
  • Auxilia na resolução de conflitos internos, na otimização dos processos, na redução de gastos financeiros, na produção de produtos e na minimização das reclamações dos clientes.
  • Promove diferentes ideias para a resolução dos problemas identificados, o que permite ao gestor encontrar diferentes soluções.

A felicidade é imprescindível para uma boa gestao empresarial !
Clique aqui, faça nosso “TESTE” e descubra como anda sua felicidade!

Percebe-se, então, que a gestão participativa tem como prioridade as pessoas que compõem a empresa, pois a partir do momento que as mesmas trabalham de forma mais eficaz, elas contribuem para o alcance dos objetivos da organização. Ou seja, as empresas que valorizam seus colaboradores e os integram nos processos, conseguirão reconhecimento no mercado, assim como saúde financeira e lucratividade.  

É papel do gestor manter toda a equipe de colaboradores ciente dos processos organizacionais, evidenciar a importância do trabalho dos mesmos e auxiliá-los em suas atividades. O Coaching é uma ferramenta que proporciona ao gestor consultoria empresarial que resulte em mudanças positivas, capazes de ajudá-lo na tomada de decisões e a conhecer melhor seus colaboradores e, dessa forma, alcançar seus objetivos e gerar resultados assertivos para a organização.

Você já conhecia a gestão participativa? Conhece alguma empresa que já aplica o modelo em sua gestão? Comente e compartilhe o conteúdo nas redes sociais.

E aí, curtiu esse conteúdo?

Saiba que ele é apenas a pontinha do iceberg e você pode desenvolver suas habilidades de liderança muito mais. Baixe agora o ebook Leader Coach e aprenda como extrair o máximo resultado da sua equipe.
Preencha o formulário, é de graça.

Imagem: Alexey Yuzhakov / Shutterstock

José Roberto Marques

Sobre o autor: José Roberto Marques é referência em Desenvolvimento Humano. Dedicou mais de 30 anos a fim de um propósito, o de fazer com que o ser humano seja capaz de atingir o seu Potencial Infinito! Para isso ele fundou o IBC, Instituto que é reconhecido internacionalmente. Professor convidado pela Universidade de Ohio e Palestrante da Brazil Conference, na Universidade de Harvard, JRM é responsável pela formação de mais de 50 mil Coaches através do PSC - Professional And Self Coaching, cujo os métodos são comprovados cientificamente através de estudo publicado pela UERJ . Além disso, é autor de mais de 50 livros publicados.



*Esse conteúdo não é fonte para veículos jornalísticos ou matérias para imprensa, para utilização ou referência por favor entre em contato conosco.

Deixe seu Comentário

IBC - Instituto Brasileiro de Coaching: Av. Prof. Venerando Freitas Borges, 561 - Setor Jaó - Goiânia/ GO - CEP: 74.673-010