Gestão Financeira – O que é e quais são os primeiros passos?

empresários analisando gráficos

Veja quais são os primeiros passos para uma Gestão Financeira eficaz.

A gestão financeira é um passo fundamental para quem deseja empreender rumo ao sucesso. Contar com uma estratégia inteligente e alinhada com os interesses corporativos é determinante para se consolidar no mercado.

Para quem tem dúvidas a respeito de como fazer uma boa gestão financeira, indicamos que prossiga a leitura. Explicaremos a seguir e em detalhes o que é e quais são os primeiros passos para um gerenciamento bem-sucedido.

Comece a ter o

Destaque

que você merece!

Preencha os campos abaixo para receber o e-book.

Afinal, o que é gestão financeira?

Em geral, quando o assunto é gestão financeira, as pessoas pensam direto em ganhar bastante dinheiro com seu empreendimento. Realmente, quando se faz uma boa gestão, é natural ter mais lucros e, consequentemente, haver um aumento nos dos sócios. Porém, o sucesso de uma estratégia de gestão financeira não se baseia apenas em vender bastante e evitar acumular dívidas.

Em linhas gerais, o princípio da gestão financeira corporativa é o mesmo da gestão financeira pessoal. Isso significa gastar menos do que se ganha, acumulando o excedente. Porém, existem diversos processos, estratégias e competências essenciais para fazer isso no âmbito corporativo.

A gestão financeira corporativa abarca as ações de planejamento, análise, controle e decisão de acordo com os recursos existentes. O objetivo principal é potencializar os lucros e constituir caixa.

O sucesso nessa empreitada depende de conhecimentos de economia, contabilidade e administração. Números e estatísticas são fundamentais para colocar a organização em um ritmo de crescimento sustentável.

Por que a gestão financeira é importante?

Somente com uma gestão financeira eficiente é possível empregar os recursos corporativos da melhor forma. O mercado está cada vez mais competitivo e incerto, de maneira que está cada vez mais desafiadora a captação de recursos e a tomada de decisões. Quando não há uma gestão adequada, é maior o risco de endividamento, juros altos e quebra por falta de capital.

De acordo com dados divulgados pela Serasa Experian, em outubro de 2019, o número de empresas inadimplentes no Brasil chegou ao recorde de 6 milhões. Esse número representa um aumento de 9,1% em comparação com o mesmo mês de 2018. Além disso, em torno de 30% das empresas com cinco a dez anos de existência se encontram negativadas.

Ainda segundo a instituição, 95% das empresas com dívidas se encaixam na categoria de MPEs (micro e pequenas empresas). Esse é um dado que se justifica pelo fato de que empresas menores apresentam mais dificuldades para a estruturação da sua gestão financeira e para gerar caixa. Viu como é importante ter o domínio dessa área?

Primeiros passos para uma Gestão Financeira eficaz

Uma boa gestão financeira demanda organização, disciplina e conhecimento para levar o empreendimento ao crescimento. Abaixo explicaremos os primeiros passos para dar início a sua gestão.

Primeiro passo: separação das finanças pessoal e corporativa

Para dar início a uma boa gestão financeira é imprescindível que se faça a separação entre as finanças pessoais e corporativas. Algo relativamente comum em empresas de pequeno porte é que os sócios façam retiradas sem o devido controle para o pagamento de despesas pessoais. Esse comportamento reduz o pró-labore no fim do mês e pode levar a um sério comprometimento do caixa do negócio.

O ideal é ter uma conta jurídica completamente separada e independente da conta pessoal. Também é necessário fixar o valor mensal do pró-labore, evitando que haja falta de capital para o pagamento das contas. O atraso do pagamento das contas é o que leva ao endividamento em decorrência de juros e multas.

Segundo passo: registro de entradas e saídas do caixa 

Para que uma gestão financeira seja eficiente, é essencial que tenha o registro de todas as entradas e saídas. A partir desses registros, fica mais simples identificar os ativos e passivos da companhia.

Para realizar esse passo, é necessário saber exatamente quanto entra (como a receita de vendas e rendimentos dos investimentos) e quanto sai (como pagamento de fornecedores, contratação de serviços, folha de pagamento, entre outros). Lembre-se de que nenhum valor pode deixar de ser registrado, até mesmo o de um simples pacote de folhas sulfite.

Terceiro passo: gerenciamento do fluxo de caixa e contas

A partir dos dados de entradas e saídas, é possível gerenciar o fluxo de caixa diário e mensal. Isso permite estruturar um plano com as contas a pagar e a receber, projetando assim os custos e receitas futuras. O gestor conseguirá entender se está obtendo lucro ou prejuízo.

O fluxo de caixa ainda permite fazer o cruzamento entre as datas de pagamento e recebimento. Dessa forma, sempre é possível ter recursos em caixa para honrar os compromissos financeiros da companhia.

Quarto passo: definição o capital de giro da empresa

Conhecer o fluxo de caixa permite ao gestor fazer o cálculo exato de quanto a empresa precisa para se manter operacional. O ciclo se inicia com as compras dos fornecedores e termina no faturamento obtido com as vendas.

Ao longo desse período, há um prazo entre pagar o fornecedor e receber do cliente. É necessário ter uma reserva em caixa para que a companhia se mantenha funcionando. Isso é o que se chama de capital de giro, o valor necessário para manter a organização operacional.

Quinto passo: desenvolvimento de uma relação próxima ao contador 

O contador deve ser o principal aliado do gestor que deseja realizar uma gestão financeira eficiente. Os relatórios dos contadores são os mais relevantes para compreender como está o desempenho financeiro da organização. Tenha atenção especial ao balanço patrimonial, balancetes e DRE (demonstração do resultado do exercício).

Sexto passo: uso da tecnologia

As ferramentas tecnológicas também devem ser vistas como aliadas para realizar a gestão financeira. A automatização de tarefas, como controle de contas, lançamentos financeiros e conciliação bancária é um bom exemplo da ajuda da tecnologia. Softwares de gerenciamento de contas também são excelentes para não perder o controle.

Tenha em mente que as tarefas repetitivas que demandam precisão podem e devem, em sua maior parte, ser automatizadas para obter melhores resultados. A tecnologia nos abre uma série de possibilidades que devem ser consideradas para uma boa gestão financeira.

Agora você já conhece os primeiros passos para uma boa gestão financeira! Tem alguma consideração a fazer? Comente abaixo e compartilhe o conteúdo com os seus amigos empreendedores!

E aí, curtiu esse conteúdo?

Saiba que ele é apenas a pontinha do iceberg e você pode desenvolver suas habilidades de liderança muito mais. Baixe agora o ebook Leader Coach e aprenda como extrair o máximo resultado da sua equipe.
Preencha o formulário, é de graça.
José Roberto Marques

Sobre o autor: José Roberto Marques é referência em Desenvolvimento Humano. Dedicou mais de 30 anos a fim de um propósito, o de fazer com que o ser humano seja capaz de atingir o seu Potencial Infinito! Para isso ele fundou o IBC, Instituto que é reconhecido internacionalmente. Professor convidado pela Universidade de Ohio e Palestrante da Brazil Conference, na Universidade de Harvard, JRM é responsável pela formação de mais de 50 mil Coaches através do PSC - Professional And Self Coaching, cujo os métodos são comprovados cientificamente através de estudo publicado pela UERJ . Além disso, é autor de mais de 50 livros publicados.



*Esse conteúdo não é fonte para veículos jornalísticos ou matérias para imprensa, para utilização ou referência por favor entre em contato conosco.

Deixe seu Comentário

IBC - Instituto Brasileiro de Coaching: Av. Prof. Venerando Freitas Borges, 561 - Setor Jaó - Goiânia/ GO - CEP: 74.673-010
CNPJ: 31.328.744/0001-63

This will close in 0 seconds