Principais motivos para empreendedores terem crédito negado

Homem preocupado com o relatório do banco

Descubra como adequar sua proposta de crédito.

Você já teve algum pedido de crédito negado e ficou sem entender a razão? Muitos empresários decidem tentar fazer empréstimos, mas acabam tendo como resposta das instituições financeiras uma recusa sem as devidas explicações. E a verdade é que existem alguns motivos para empreendedores terem crédito negado.

Como os bancos não são obrigados a dizer por que não irão conceder o empréstimo, isso acaba gerando algumas incertezas. Conhecer essas razões mais comuns é importante até mesmo para verificar previamente se tem chances de conseguir o empréstimo. 

Continue a leitura para saber mais sobre os possíveis motivos para ter uma proposta de empréstimo recusada.

Preencha AGORA o formulário para descobrir!

Crédito negado a empreendedores: motivos mais comuns

Por mais curioso que pareça, empreendedores que estão com todas as suas dívidas pagas em dia e não têm nenhuma restrição podem ter suas solicitações de crédito negadas. Instituições financeiras possuem seus próprios critérios para determinar a concessão ou não de um pedido e geralmente não os revelam aos clientes para não expor eventuais fragilidades de suas estratégias.

A seguir vamos apresentar com detalhes os principais motivos que podem levar a essa recusa, de maneira a auxiliar os empreendedores a resolverem a questão. Continue acompanhando e descubra como adequar sua proposta de crédito. 

1. Acúmulo de empréstimos altos

Um motivo bastante forte para que um banco recuse crédito a um cliente, mesmo que ele seja um pagador exemplar, é identificar a existência de outras linhas de crédito pendentes.

A instituição bancária entende que pode ficar pesado para o indivíduo pagar as suas pendências ao longo do tempo, de maneira a cair no descontrole financeiro. Isso acontece especialmente quando o valor de empréstimos já feitos ultrapassa 30% da renda mensal do solicitante.

Por mais que os empréstimos possam ser muito úteis em diversas situações, é preciso ter cautela ao solicitá-los. Procure uma instituição para emprestar dinheiro apenas quando for estritamente necessário e tiver tudo bem planejado sobre como utilizar o valor e realizar os pagamentos das parcelas.

2. Hábito de atrasar pagamentos de contas

Ainda que a situação de dívidas atrasadas já tenha sido resolvida pelo proponente da linha de crédito, ainda permanece como uma mancha no histórico. As instituições financeiras fazem uma pesquisa sobre a forma como o empreendedor ou a empresa gerenciam as suas dívidas, ou seja, se elas são pagas em dia ou com atraso. 

Quando não há histórico do uso de linhas de crédito por parte do cliente proponente, o banco pode investigar seus hábitos em relação ao pagamento de contas, como água, luz e telefone.

O importante é saber se o indivíduo ou companhia paga suas contas em dia. Afinal, se não consegue manter o pagamento nas datas isso pode representar um risco futuro de inadimplência. 

3. Não ter garantias

Para as instituições financeiras, é muito importante que os clientes que solicitam crédito tenham garantias para oferecer no caso de não efetuarem o pagamento de acordo com o estipulado.

Os imóveis são considerados como as melhores opções de garantia. Nesse caso, é utilizada a alienação fiduciária, que permite transferir o bem do nome do indivíduo para a posse do banco para quitar a pendência. As instituições financeiras consideram relevante ter como reaver aquilo que estão concedendo.

Inclusive, é por essa razão que os juros do cartão de crédito são tão altos. Como as instituições não têm nenhum bem do cliente para tomarem posse em caso de inadimplência, o risco é compensado através dos juros.

4. Reconhecimento da disciplina financeira

Como já mencionado, as instituições financeiras tendem a fazer uma análise dos clientes para decidir se irão conceder o crédito ou não, mesmo que esteja tudo certo em relação ao pagamento de dívidas. Essa verificação do histórico também diz respeito à disciplina do indivíduo com o uso do dinheiro. 

O banco provavelmente irá preferir conceder um empréstimo para um cliente que receba 10 mil reais por mês depositando 5 mil na poupança do que para um que recebe 100 mil por mês e deposita apenas 2 mil na poupança. Embora o primeiro cliente tenha uma renda mensal bem menor, demonstra mais controle e saúde financeira do que o segundo.

É importante lembrar que cuidar das finanças pessoais e do negócio é fundamental, e não estamos nos referindo apenas à concessão de empréstimos. Quanto melhor é o gerenciamento financeiro, menor se torna a necessidade de emprestar dinheiro. Com controle se toma decisões mais inteligentes, evitando débitos e atrasos.

5. Prevenção após negociação de dívidas

Em algumas situações, o cliente que está solicitando a linha de crédito tem seu pedido negado por já ter feito alguma renegociação com a instituição bancária no passado, ainda que tenha quitado tudo o que deve.

Normalmente, os bancos oferecem grandes descontos para que os clientes possam pagar dívidas em atraso que acumularam muitos juros e nesse acordo acabam perdendo valores significativos.

Como uma forma de compensar essa situação, as instituições evitam conceder novas linhas de crédito e reduzem o valor do cheque especial, por exemplo. A premissa é simples, diminuir as chances de passar novamente por uma situação em que se perderá um valor considerável. 

6. Redução de empréstimos em tempos de crise

Em um cenário de crise econômica, é mais comum que as instituições financeiras adotem mais critérios para a concessão de crédito, com o objetivo de reduzir ao máximo as chances de inadimplência. É uma situação bastante delicada, em que não se pode ter um posicionamento irresponsável. 

As incertezas econômicas fazem com que determinados bancos queiram se comprometer cada vez menos com a concessão de crédito. Afinal, podem deixar de receber de um número significativo de clientes, algo bastante possível em uma situação como essa.

Conclusão

Os bancos possuem critérios próprios para analisar o risco envolvido em cada concessão de crédito. Ao longo do texto falamos sobre seis pontos que costumam ser considerados.

Vale mencionar que, mesmo quando o crédito é concedido, essa análise serve para determinar outros aspectos, como as taxas de juros e o prazo para pagamento. Dessa forma, quanto melhor for o gerenciamento financeiro do seu negócio, melhores serão as oportunidades de empréstimo.

Gostou de saber mais sobre os motivos que podem levar instituições bancárias a recusar crédito para empreendedores? Deixe seu comentário abaixo e compartilhe o conteúdo com amigos que tenham interesse no tema!

O artigo é bom, né?

No IBC é assim, não custa nada evoluir e alcançar resultados extraordinários. Se você quer seguir por esse caminho de evolução é só baixar o nosso e-book gratuito,
Tudo sobre Coaching. Preencha o formulário abaixo com seus dados para ler.
José Roberto Marques

Sobre o autor: José Roberto Marques é referência em Desenvolvimento Humano. Dedicou mais de 30 anos a fim de um propósito, o de fazer com que o ser humano seja capaz de atingir o seu Potencial Infinito! Para isso ele fundou o IBC, Instituto que é reconhecido internacionalmente. Professor convidado pela Universidade de Ohio e Palestrante da Brazil Conference, na Universidade de Harvard, JRM é responsável pela formação de mais de 50 mil Coaches através do PSC - Professional And Self Coaching, cujo os métodos são comprovados cientificamente através de estudo publicado pela UERJ . Além disso, é autor de mais de 50 livros publicados.



*Esse conteúdo não é fonte para veículos jornalísticos ou matérias para imprensa, para utilização ou referência por favor entre em contato conosco.

Deixe seu Comentário

IBC - Instituto Brasileiro de Coaching: Av. Prof. Venerando Freitas Borges, 561 - Setor Jaó - Goiânia/ GO - CEP: 74.673-010
CNPJ: 31.328.744/0001-63