Quais são os fatores que influenciam a qualidade de vida?

Pai e filho de mãos dadas em frente ao pôr do sol na praia

Veja 10 fatores que mais influenciam a qualidade de vida de um indivíduo.

O conceito de qualidade de vida é definido pela OMS (Organização Mundial da Saúde) da seguinte maneira: “percepção que um indivíduo tem sobre a sua posição na vida, dentro do contexto dos sistemas de cultura e valores nos quais está inserido e em relação aos seus objetivos, expectativas, padrões e preocupações”. Portanto, trata-se de um conjunto de fatores físicos, mentais, pessoais e sociais que produzem bem-estar no dia a dia de uma pessoa.

Dessa forma, entendemos que a qualidade de vida varia de pessoa para pessoa e até mesmo de país para país. Há lugares em que se vive melhor do que em outros. Mas quais são os fatores que influenciam a qualidade de vida? Quais aspectos nós podemos administrar para que tenhamos mais qualidade no cotidiano? É o que você vai conferir no artigo a seguir. Boa leitura!

1. Saúde física

A saúde física é essencial à manutenção da vida, mas não deve se limitar à sobrevivência. A própria OMS entende a saúde como um estado de bem-estar, e não apenas a ausência de doenças. Por isso, a alimentação equilibrada (rica em nutrientes), a atividade física regular e o acesso a um serviço médico de qualidade (auxiliando tanto no tratamento de doenças como nos exames preventivos) são os fatores considerados dentro desse item. Assim, fique atento aos sinais do seu corpo!

2. Saúde mental

A saúde não depende, porém, apenas dos cuidados com o corpo. A mente também pode adoecer, de modo que é essencial cuidar dela nos tratamentos e na prevenção dos quadros mentais. Isso é importante para lidar com a depressão, com os vícios, com os transtornos ansiosos, entre outras doenças que afetam consideravelmente a qualidade de vida das pessoas. Por isso, é essencial ter momentos de lazer e descanso, conviver bem com as pessoas e fazer psicoterapia sempre que possível.

3. Equilíbrio financeiro

No mundo em que vivemos, é impossível viver sem dinheiro. Ele não é uma “fonte de felicidade” com alguns creem, mas certamente ele oferece às pessoas uma estrutura mais sólida para que busquem essa felicidade. Dessa forma, é importante administrar a sua renda, gastando sempre menos do que ganha e, se possível, construindo uma reserva para emergências. Não podemos depositar a felicidade nos bens materiais, mas é sabido que o dinheiro promove alimentação, moradia, cultura, lazer, saúde etc.

4. Autoestima

A autoestima é a percepção que um indivíduo tem de si mesmo, sendo considerada alta quando ele gosta de si e baixa quando ele não gosta de si. Problemas de autoestima podem desencadear quadros de saúde mental, como os citados acima. Isso não quer dizer que você é obrigado a considerar-se perfeito. Ao contrário, conheça a si mesmo, fique feliz com as suas qualidades e compreenda que os seus defeitos apenas o tornam um ser humano normal, buscando meios de melhorar.

5. Bom relacionamento com a família

A família é o primeiro grupo social ao qual pertencemos, sendo uma importante fonte de afeto e conhecimentos, desde a infância. Nem sempre conseguimos nos relacionar bem com todos os membros da família, mas é importante fazer a sua parte para que haja harmonia. Se você conseguir conviver pacificamente com essas pessoas, aproveite. Se não conseguir, afaste-se daqueles que o fazem sentir-se mal. Faça o possível para dar-se bem com todos, mas não se obrigue a conviver com ninguém

6. Bom relacionamento com os amigos

Além da família, a vida social também faz parte da nossa jornada. Por isso, temos a liberdade de escolher os nossos amigos e namorados. É importante contar com essas pessoas, pois elas nos motivam nas horas difíceis e nos divertem nos momentos de alegria e descontração. Ter amigos eleva a qualidade de vida de uma pessoa, mas o importante é focar na qualidade dessas amizades, e não na quantidade. É preferível ter um ou dois amigos leais do que uma multidão de amizades superficiais.

7. Realização profissional

A realização profissional também influencia a qualidade de vida, afinal de contas, passamos boa parte do dia nos dedicando a essa área. Ser feliz profissionalmente significa encontrar sentido e um mínimo de prazer nas atividades executadas, recebendo uma remuneração adequada. Isso não quer dizer que somos obrigados a amar o que fazemos ou que a nossa felicidade depende de um salário alto. Todavia, é preciso ter um mínimo de motivação para o trabalho, com uma remuneração justa.

8. Autocuidado e hobbies

Além das interações sociais, a qualidade de vida também envolve um tempo em que a pessoa cuida de si mesma e faz coisas apenas por si. É aí que entram o autocuidado e os hobbies, isto é, as atividades que fazemos apenas por prazer. O que você gosta de fazer no tempo livre? Dançar? Praticar esportes? Ler? Fazer artesanato? Preparar pratos diferentes na cozinha? Descubra as atividades que despertam prazer em você e inclua-as no seu dia a dia. Isso tornará a sua vida mais colorida e alegre!

9. Descanso e relaxamento

Para viver com qualidade, precisamos compreender que o período de descanso é tão importante quanto o período produtivo. Sem que possamos descansar e dormir uma quantidade razoável de horas por noite, o corpo e a mente não conseguirão recuperar as nossas energias, o que pode provocar doenças físicas e mentais. Portanto, descanse, coloque um limite ao seu período de trabalho, durma bem e invista em atividades relaxantes, como a oração, a meditação, a respiração consciente etc.

10. Administração dos sentimentos negativos

Por fim, é fundamental compreendermos que, mesmo tomando todos os cuidados acima, a vida terá momentos difíceis. Eles fazem parte da existência de toda e qualquer pessoa, mas isso não necessariamente significa o fim da qualidade de vida. O importante é termos em mente que nenhum problema é eterno, desenvolvendo a resiliência para superá-los. Confie na sua inteligência e nas suas capacidades de superação. Se for preciso, procure a ajuda de coaches e psicólogos para enfrentar as adversidades!

Os 10 fatores acima são os que mais influenciam a qualidade de vida de um indivíduo. Entenda que nem tudo está sob o seu controle, mas faça a sua parte em relação ao que estiver. Equilibrando as áreas citadas, você certamente será um ser humano muito realizado. Se precisar, entre em contato com coaches e psicólogos para viver com mais qualidade e alcançar os seus objetivos nas diferentes áreas da vida. Seja muito feliz!

E você, querida pessoa, tem vivido com qualidade? Em quais áreas isso tem ocorrido? Em quais delas você ainda precisa fazer adaptações para encontrar essa qualidade? Contribua deixando o seu comentário no espaço a seguir. Além do mais, que tal levar estas informações a todos os seus amigos, colegas de trabalho, familiares e a quem mais possa se beneficiar delas? Compartilhe este artigo nas suas redes sociais!

José Roberto Marques

Sobre o autor: José Roberto Marques é referência em Desenvolvimento Humano. Dedicou mais de 30 anos a fim de um propósito, o de fazer com que o ser humano seja capaz de atingir o seu Potencial Infinito! Para isso ele fundou o IBC, Instituto que é reconhecido internacionalmente. Professor convidado pela Universidade de Ohio e Palestrante da Brazil Conference, na Universidade de Harvard, JRM é responsável pela formação de mais de 50 mil Coaches através do PSC - Professional And Self Coaching, cujo os métodos são comprovados cientificamente através de estudo publicado pela UERJ . Além disso, é autor de mais de 50 livros publicados.



*Esse conteúdo não é fonte para veículos jornalísticos ou matérias para imprensa, para utilização ou referência por favor entre em contato conosco.

Deixe seu Comentário

IBC - Instituto Brasileiro de Coaching: Av. Prof. Venerando Freitas Borges, 561 - Setor Jaó - Goiânia/ GO - CEP: 74.673-010
CNPJ: 31.328.744/0001-63

This will close in 0 seconds