Ricardo Sayon – Conheça a história do criador da loja de brinquedos Ri Happy

Ricardo Sayon - Fundador da Ri Happy

O pediatra Ricardo Sayon superou as dificuldades do mercado e criou uma das maiores redes varejistas de brinquedos do Brasil.

Um dos principais nomes do meio empresarial relacionado ao público infantil, Ricardo Sayon é o fundador da Ri Happy. A rede de lojas de brinquedos é uma das maiores do Brasil, contando com cerca de 200 unidades espalhadas pelo país. Continue lendo para descobrir um pouco mais sobre a vida do médico, palestrante e empresário que construiu um verdadeiro império dos brinquedos.

Preencha AGORA o formulário para descobrir!

Ricardo Sayon: de médico a empresário

Quando o assunto é comprar brinquedos, é natural pensar na Ri Happy, afinal essa rede de lojas conta com variedade e preços competitivos. Como mencionado, a rede conta com aproximadamente 200 unidades espalhadas pelo território nacional. Essa grande empresa foi fundada pelo médico e empresário Ricardo Sayon.

O nome do empresário se tornou um dos mais fortes e respeitados no segmento direcionado ao público infantil. Além de ser um gerente de destaque, ele também foi o responsável pela construção da escalabilidade da companhia. Antes de se tornar um homem de negócios, Sayon atuou na área médica, pois é formado em medicina. 

A fundação da Ri Happy 

A mudança de rumo profissional teve início com a venda de um imóvel próprio. O capital dessa venda seria empregado para a abertura de um negócio pela esposa de Ricardo, Juanita Sayon. A Ri Happy foi fundada em 1988 por Ricardo, Juanita e um amigo do casal, Roberto Saba. 

Uma curiosidade a respeito da escolha do nome é que se trata de uma brincadeira de Juanita. Ela juntou a primeira sílaba do nome de Ricardo à palavra happy, que em inglês significa feliz. Inicialmente, a empresa teve resultados negativos e, após a abertura da quarta loja, os sócios decidiram encerrar as atividades. 

No entanto, quando tentaram devolver os produtos para a empresa fabricante, a Estrela, foram informados pelo diretor Hans Becker de que isso não seria possível. Essa reunião serviu como motivação para que Sayon decidisse dar um destino melhor do que o fechamento para a Ri Happy. 

Assim, Sayon e seu sócio decidiram inovar e definiram um novo posicionamento varejista e uma nova cultura corporativa que se tornou o ponto de partida para o sucesso absoluto da empresa.

Veja no vídeo abaixo como a Ri Happy venceu suas dificuldades e se tornou uma das maiores referências empresariais do Brasil, com 114 lojas e um faturamento médio de R$800 milhões por ano:

O grande salto dado nesse momento foi que a loja deixou de oferecer um simples autosserviço para se tornar especializada em atendimento e prestação de serviços. Ricardo se manteve à frente da gestão do grupo até o ano de 2014.

O estalo da mudança

Uma das principais lições que podem ser apreendidas na história de Ricardo Sayon é saber redirecionar o caminho de uma empresa. Quando foi fundada, no final da década de 1980, a Ri Happy tinha uma formatação. Após ter demonstrado que naquele modelo não daria certo, passou por uma extrema reformulação. 

A mudança na lógica do atendimento oferecido pela loja fez com que a rede se tornasse uma grande potência em seu mercado. Houve investimento não somente na qualidade dos produtos como também no atendimento e prestação de serviços. A Ri Happy se tornou uma referência na área infantil, oferecendo com excelência brinquedos específicos para diferentes idades das crianças. 

Principais mudanças

Observando a necessidade de mudanças no modelo de negócios, Ricardo Sayon se dedicou a transformar a Ri Happy. Confira abaixo as principais alterações realizadas pelo empresário para que sua empresa se consolidasse no mercado de produtos infantis.

Ambientes das lojas 

No começo da década de 1990, a Ri Happy passou a contar com lojas bem diferentes. Os ambientes foram desenvolvidos com ludicidade e interatividade. As paredes foram pintadas de amarelo e vermelho, porque essas são as primeiras cores que as crianças reconhecem. 

Expansão

Com os resultados gerados pelas primeiras mudanças, a empresa expandiu seu número de lojas. Chegar ao interior de São Paulo e outras regiões foi decisivo para que a marca se tornasse ainda mais conhecida.

Vendas pela internet

Ricardo foi um dos pioneiros na venda de brinquedos pela internet. O site de vendas da Ri Happy foi colocado no ar em 1997.

Revista do Solzinho

Logo na sequência, Ricardo investiu em uma ideia que fez toda a diferença para a construção da imagem da marca, a “Revista do Solzinho”. Tanto a revista quanto o site ajudaram a estabelecer um contato mais próximo entre a marca e os consumidores. Nesse período, era necessária essa aproximação para combater a concorrência dos camelôs e o aumento do contrabando. 

TV Ri Happy

No dia 4 de dezembro de 2006, foi ao ar a TV Ri Happy, uma nova aposta da empresa para construção de vínculos. Em 2009, houve a estreia de conteúdo assinado pelo canal infantil Cartoon Network na TV Ri Happy. Eram 40 horas semanais de conteúdo exclusivo. 

A venda da Ri Happy

Em um negócio que movimentou em torno de 600 milhões de reais, a Ri Happy foi vendida em 2012. O comprador foi um grupo de investimento chamado Carlyle. Entre 2012 e 2014, Sayon atuou como conselheiro na empresa e, após esse período, resolveu se desligar da companhia. 

Ricardo Sayon passou a trabalhar como palestrante e investidor. Empreendedores de todo o Brasil podem ter acesso ao amplo conhecimento que o ajudou a conquistar a prosperidade em um segmento difícil e competitivo. 

Ricardo Sayon e a área da saúde

Graduado em medicina pela USP de Ribeirão Preto, Sayon se tornou pediatra em 1978. Atuou no Instituto da Criança do Hospital das Clínicas em São Paulo. Nesse período, ele fez pesquisas, clinicou e também foi professor. Além disso, tjá foi funcionário da Secretaria Estadual da Saúde de São Paulo. Trabalhou também no Hospital Sabará, uma referência em pediatria da capital paulista. 

Por mais de uma década, Ricardo Sayon atuou em sua área de formação. Porém, no final da década de 1980 ele decidiu investir na iniciativa privada junto com a esposa e um amigo. Uma decisão corajosa, haja vista que ele construiu uma excelente carreira na área da saúde. Ter tomado a decisão de seguir o sonho de empreender mudou completamente o seu destino.

A segunda importante decisão que ele tomou na vida foi ter decidido continuar a investir no seu sonho. A Ri Happy enfrentou dificuldades no mercado, mas isso não foi o suficiente para abalar Sayon, que mudou o rumo do empreendimento e se consolidou.

Lições da Gestão Empresarial de Ricardo Sayon

Confira, abaixo, algumas das principais lições que podemos aprender a partir da história desse grande empresário.

Envolvimento dos colaboradores

Ricardo enxerga seus profissionais mais do que simples funcionários: ele os considera como parceiros. Desse modo, faz questão de que todos estejam envolvidos diretamente com os projetos da empresa, de forma que se sintam uma parte importante para o crescimento da organização.

Reconhecimento e enaltecimento

Como gestor e líder, Sayon reconhece o valor do empenho e da dedicação de seus liderados, compreendendo que todos entregam o melhor de si diariamente. Além disso, sabe que a força de sua empresa está nas pessoas e enaltece o trabalho de todos com campanhas e premiações.

Criação de valores

Mais do que vendedora de brinquedos, a Ri Happy se tornou uma prestadora de serviços. Muito mais do que simplesmente comercializar um produto, ela passou a se interessar pelo cliente, tanto os pais como as crianças.

Aproveitando seus conhecimentos como pediatra, Ricardo ensinou seus colaboradores sobre a evolução das crianças e o desenvolvimento de suas habilidades de acordo com a idade. Dessa forma, todos os funcionários se tornaram aptos a orientar sobre os brinquedos mais adequados para cada tipo de consumidor.

Fortalecimento da cultura organizacional

O alinhamento de comunicação é determinante para gerar uma cultura organizacional vencedora. Nesse sentido, Sayon utiliza do endomarketing para manter todos os funcionários das 114 lojas bem informados sobre todas as questões referentes à Ri Happy. Assim, todos compartilham dos mesmos valores e caminham na mesma direção.

Redução de turnover

Com estratégias de gestão pautadas em processos humanizados e produção de resultados sustentáveis, Ricardo conseguiu reduzir significativamente o índice de turnover.

Ricardo Sayon tem uma história bastante inspiradora no mercado empresarial! E você, que lições tirou desse case? Utilize o espaço abaixo para nos contar a sua opinião sobre o assunto. Se este conteúdo te ajudou de forma positiva, compartilhe em suas redes sociais!

O artigo é bom, né?

No IBC é assim, não custa nada evoluir e alcançar resultados extraordinários. Se você quer seguir por esse caminho de evolução é só baixar o nosso e-book gratuito,
Tudo sobre Coaching. Preencha o formulário abaixo com seus dados para ler.
José Roberto Marques

Sobre o autor: José Roberto Marques é referência em Desenvolvimento Humano. Dedicou mais de 30 anos a fim de um propósito, o de fazer com que o ser humano seja capaz de atingir o seu Potencial Infinito! Para isso ele fundou o IBC, Instituto que é reconhecido internacionalmente. Professor convidado pela Universidade de Ohio e Palestrante da Brazil Conference, na Universidade de Harvard, JRM é responsável pela formação de mais de 50 mil Coaches através do PSC - Professional And Self Coaching, cujo os métodos são comprovados cientificamente através de estudo publicado pela UERJ . Além disso, é autor de mais de 50 livros publicados.



*Esse conteúdo não é fonte para veículos jornalísticos ou matérias para imprensa, para utilização ou referência por favor entre em contato conosco.

Deixe seu Comentário

IBC - Instituto Brasileiro de Coaching: Av. Prof. Venerando Freitas Borges, 561 - Setor Jaó - Goiânia/ GO - CEP: 74.673-010