5 Dicas para ensinar educação financeira para crianças

Mão de adulto e criança segurando um pote com moedas

Saiba o que é a educação financeira para crianças.

Cada vez mais se discute a necessidade de educação financeira para crianças. Durante muito tempo, o dinheiro foi um tema excluído da rotina educacional dos pequenos. Contudo, é essencial que esse assunto seja incluído no dia a dia de aprendizados infantis, pois assim formaremos uma sociedade de adultos mais conscientes e responsáveis financeiramente. 

Para quem deseja ensinar conceitos importantes de finanças para as crianças, mas não sabe como, reunimos dicas preciosas. Continue a leitura e descubra como inserir esses conhecimentos de forma lúdica e relevante na vida dos seus filhos. Falar sobre dinheiro hoje com as crianças evita uma série de problemas amanhã. 

O que é a educação financeira para crianças?

A educação financeira nada mais é do que desenvolver uma relação saudável com o dinheiro. O indivíduo que aprende desde cedo a gerir seus recursos tem maior controle sobre as suas finanças. Esse conceito vai muito além de ensinar a acumular riquezas. Trata-se de direcioná-las para um uso mais consciente do dinheiro, de maneira a transformar a sua realidade positivamente.

Com os aprendizados de educação financeira, a criança de hoje se torna o adulto com qualidade de vida de amanhã. A pessoa entende como economizar e como se organizar para realizar objetivos e projetos. Essa aprendizagem pode ser levada para o universo infantil no dia a dia. 

Educação financeira para crianças: confira 5 dicas

Agora que já explicamos o conceito de educação financeira para crianças vamos apresentar dicas de como inseri-la na rotina dos pequenos. Vamos começar?

Dica 1 – Seja o exemplo

Um dos principais desejos das crianças é ser como seus pais, ou seja, agir como eles agem. Dessa forma, a primeira dica para ensinar educação financeira para seus filhos é ser o exemplo de pessoa financeiramente responsável. As famílias que têm uma relação saudável com o dinheiro conseguem transmitir essa ideia para as crianças. 

Se no dia a dia os pais realizam compras impulsivas, reclamam das dívidas e do excesso de trabalho, transmitem mensagens negativas para as crianças. Por outro lado, quando os filhos veem seus pais organizando as finanças e poupando para bons momentos, entendem que pode ser bom se relacionar com o dinheiro. Com as crianças não funciona o “faça o que eu digo, não faça o que eu faço”. 

2 – Use a mesada para ensinar finanças

Dar uma mesada para as crianças é uma forma prática de ensiná-las a como gerenciar suas finanças. A ideia é simples, os pais devem estipular um valor mensal que será dado aos filhos. As crianças e adolescentes devem decidir de que forma irão usar esse valor. Para as crianças menores, funciona melhor adotar o modelo de “semanada” ou “quinzenada”.

Quanto menor é a criança, menos noção de tempo ela tem e, por isso, os prazos devem ser menores. Gerir suas finanças de 30 dias pode ser complicado. Ter seu próprio dinheiro faz com que a criança descubra o valor dos recursos. Ao pagar por algo com sua mesada, ela compreende a diferença de valor e a importância de saber pesquisar antes de fechar negócio. 

Também é uma forma de ensinar o estabelecimento de prioridades. Na vida adulta é imprescindível entender que alguns gastos são mais essenciais do que outros. Além disso, o fato de receber uma mesada apresenta para a criança a possibilidade de economizar dinheiro. Nem sempre a mesada é suficiente para comprar o que se deseja, então será necessário guardar. 

Os pais devem se comprometer em não dar mais dinheiro além da mesada para as crianças. Segure o impulso de completar a quantia necessária para uma compra, pois seu filho precisa aprender a valorizar o dinheiro. 

3. Ensine a importância de poupar

Presentear seu filho com um cofrinho é uma forma de incentivá-lo a poupar. A criança pode armazenar no cofrinho notas e moedas para comprar algo específico. Quando seu filho te pedir um brinquedo, por exemplo, você pode dizer a ele para guardar dinheiro no cofre até que possa fazer a compra.

A ideia é ensinar através do hábito, ou seja, a criança descobre através da própria ação o quanto economizar pode ser positivo. Nesse sistema o jovem aprendiz de finanças entende que, às vezes, precisamos adiar algo de que gostamos para poder realizar outro sonho. 

O cofrinho pode servir ainda como uma ferramenta para ensinar a respeito de investimento. Os pais podem oferecer para os filhos a possibilidade de dobrar seu dinheiro se eles conseguirem guardar um valor X em um determinado período. Essa é uma ótima forma de simular um investimento que rende juros. 

4. Ensine o valor do dinheiro

Dinheiro pode ser um tema bem abstrato para as crianças e, por isso, é importante ensinar a elas o valor do dinheiro na prática. Uma forma de fazer isso é conversar com os pequenos a respeito das compras familiares. Evite dar tudo o que os seus filhos pedem, especialmente quando não há orçamento para isso. 

Tenha uma postura firme e converse com a criança de forma que ela entenda que o dinheiro é resultado de esforço e trabalho. Seu filho somente irá entender que comprar tudo o que quer não é tão simples quando houver uma conversa a esse respeito. 

Uma forma de trazer esse tema para uma conversa é oferecer opções para a criança. Pergunte se ela prefere tomar sorvete ou ir ao cinema, deixe claro que ao escolher um não dá para fazer o outro. Entender que o dinheiro tem limites é crucial para que a criança se torne um adulto equilibrado financeiramente.

5. Ensine de forma lúdica

Tem coisa que criança gosta mais do que brincar? Essa atividade lúdica é fundamental para o aprendizado dos pequenos. Durante os momentos de brincadeiras, é interessante que os pais aproveitem para falar sobre coisas sérias, como educação financeira. Jogos que usam dinheiro de brinquedo e que simulam acontecimentos da vida são perfeitos para isso. 

Momentos lúdicos em família são essenciais para entender conceitos que poderiam parecer abstratos. Brinque com seu filho de loja, por exemplo, ele pode ser o vendedor e você o cliente. Coloquem preços nos produtos e, se der, faça notas de brincadeira para estabelecer a negociação de compra. Vocês podem intercalar os papéis de cliente e vendedor.

As crianças que recebem educação financeira se tornam adultos mais conscientes de suas finanças!

José Roberto Marques

Sobre o autor: José Roberto Marques é referência em Desenvolvimento Humano. Dedicou mais de 30 anos a fim de um propósito, o de fazer com que o ser humano seja capaz de atingir o seu Potencial Infinito! Para isso ele fundou o IBC, Instituto que é reconhecido internacionalmente. Professor convidado pela Universidade de Ohio e Palestrante da Brazil Conference, na Universidade de Harvard, JRM é responsável pela formação de mais de 50 mil Coaches através do PSC - Professional And Self Coaching, cujo os métodos são comprovados cientificamente através de estudo publicado pela UERJ . Além disso, é autor de mais de 50 livros publicados.



*Esse conteúdo não é fonte para veículos jornalísticos ou matérias para imprensa, para utilização ou referência por favor entre em contato conosco.

Deixe seu Comentário

IBC - Instituto Brasileiro de Coaching: Av. Prof. Venerando Freitas Borges, 561 - Setor Jaó - Goiânia/ GO - CEP: 74.673-010
CNPJ: 31.328.744/0001-63

This will close in 0 seconds