Psicologia Positiva: Sua Mente a Favor da Felicidade!

Para Martin Seligman “Uma felicidade plena pode ser vivenciada”. Acompanhe-me nesta leitura e saiba mais sobre o conceito de Psicologia Positiva.

O psicólogo americano Martin Seligman, cansado das incursões psicológicas comuns, que estudavam apenas os aspectos negativos da mente humana, foi o precursor da ideia de que sim, uma felicidade plena pode ser vivenciada.

Para tudo na vida, sempre existem os dois lados de uma mesma situação, as duas faces, o A e o B. Ao longo do nosso caminho, nos deparamos com uma centena de problemas diferentes, com emoções contraditórias, com pessoas e situações que mudam algumas certezas, ou mesmo atitudes que nos guiam em outras direções.

Se essas consequências serão ruins ou não, até que estejamos frente a frente com elas, não saberemos, mas sim, podemos escolher de que forma enfrentar nossos problemas.

Se você se colocar na posição de vítima, à tendência é sofrer com as consequências negativas — e, por muito tempo ou para sempre, carregar as dores por determinados acontecimentos. Por outro lado, se você é otimista e acredita que situações ruins passam; que não são barreiras para a sua evolução como ser humano e que elas logo deixarão de existir, a tendência é que você cresça, fique mais forte e mais preparado emocionalmente para as interpeles da vida. Essa é a base da psicologia positiva.

Qual o melhor caminho para a felicidade?

Preencha AGORA o formulário para descobrir!

Entendendo a Psicologia Positiva

O psicólogo americano Martin Seligman, cansado das incursões psicológicas comuns, que estudavam apenas os aspectos negativos da mente humana, foi o precursor da ideia de que sim, uma felicidade plena pode ser vivenciada.

Seligman criou na década de 90, nos Estados Unidos, a chamada Psicologia Positiva, que aborda os tratamentos psicológicos sob os aspectos positivos, como também as forças pessoais motivadoras. Ele constatou, por meio do que chamou de “Felicidade Autêntica”, que esta deve ser cultivada todos os dias, com atitudes como: bom humor, otimismo e gentileza, por exemplo.

7 ensinamentos para compreender a psicologia positiva

A psicologia positiva pode ser compreendida por meio de 7 ensinamentos. Confira as principais ideias dessa vertente:

1. A felicidade é uma estrada, e não um destino

Se as pessoas cultivarem a ideia de que a felicidade é um destino, elas sempre vão condicioná-la a determinados acontecimentos. “Serei feliz quando tiver dinheiro”. “Serei feliz quando me casar”. “Serei feliz quando tiver filhos”. Frases desse tipo evidenciam que ainda há muita gente que projeta a felicidade para um momento futuro.

No entanto, a psicologia positiva ensina as pessoas a encontrarem a felicidade mesmo antes desses objetivos que definem para as suas vidas. Ela as estimula a aproveitar a jornada, entre os seus altos e baixos. Se sempre projetarmos a felicidade para um momento futuro, jamais seremos verdadeiramente felizes, já que é característico do ser humano sempre determinar um novo objetivo.

2. Ser resiliente é preciso

A resiliência, capacidade de superar adversidades e eventos negativos, é outra entre as principais características dessa felicidade autêntica de quem busca na força da mente as ferramentas para enfrentar as mazelas da vida de forma positiva. Todo mundo, sem exceções, passa por grandes perdas, dificuldades, tristezas em geral.

Superar essas barreiras, bloqueios, perdas e dores não é simples. A questão é a postura que desenvolvemos diante de tudo o que nos acontece de bom ou “ruim”. Uns tendem a se render, outros a lutar, mas há uma verdade comum às duas partes: é você quem escolhe de que lado vai ficar! Se vai sofrer por muito tempo ou apenas por um determinado período, se vai aprender com as adversidades ou deixar que elas guiem a sua vida, se vai chorar ou rir no final da festa, cabe a você escolher.

3. Bons relacionamentos previnem decepções

Ninguém deve condicionar a sua própria felicidade às outras pessoas. Precisamos ser felizes por conta própria. Entretanto, é fato que o ser humano é essencialmente um ser social. Conviver com outras pessoas favorece a troca de conhecimento, de afeto, de sentimentos etc. Dessa forma, amizades, amores e relações familiares nos fortalecem individualmente e coletivamente.

Por isso, a felicidade também envolve manter um bom relacionamento com as pessoas ao nosso redor, na medida do possível. Isso também inclui saber afastar-se de quem apenas nos faz mal.

4. Crises revelam caráter

Os momentos difíceis são aqueles que mais revelam o caráter de uma pessoa. As adversidades mostram quem de fato se importa conosco, quem tem inteligência emocional, quem mantém uma postura ética para resolver os problemas, entre outros.

Por isso, a psicologia positiva envolve também o desenvolvimento da capacidade de lidar com as adversidades. Enquanto alguns podem encará-las como momentos a serem esquecidos, as pessoas emocionalmente mais maduras extraem aprendizados de cada situação. Por isso, até mesmo as crises podem trazer lições, amizades e transformações positivas, quando analisamos a vida em longo prazo.

5. A felicidade na carreira depende do propósito que encontramos no trabalho

Boa parte de nosso tempo de vida é dedicada à nossa vida profissional. Possivelmente, a maioria das pessoas entende que o trabalho é um fardo, um conjunto de tarefas árduas para garantir o nosso sustento. Contudo, também é possível ser feliz no trabalho.

A felicidade na vida profissional ocorre quando encontramos um propósito, ou seja, quando vemos sentido nas atividades que executamos. Todo profissional tem conhecimentos capazes de transformar positivamente a vida das outras pessoas. Seja você um engenheiro, um médico, um mecânico ou um eletricista, você ajuda outras pessoas por meio do seu ofício. Quando percebemos a força positiva que o nosso trabalho tem no mundo, somos verdadeiramente felizes em âmbito profissional.

6. A inteligência envolve a razão e a emoção

Quando pensamos em alguém inteligente, quase sempre nos vem à mente alguém que lê bem, escreve bem, tem facilidade com cálculos complexos e raciocina de forma lógica com muita facilidade. É claro que esse lado da inteligência é muito importante na condução das diferentes áreas das nossas vidas.

Entretanto, a felicidade envolve não apenas a razão, mas também a chamada inteligência emocional. Ser emocionalmente inteligente significa reconhecer aquilo que sentimos e administrar a intensidade dessas emoções, de modo que saibamos agir com elas, sem que sejamos controlados por elas.

7. É possível aprender a ser feliz

No existe um manual com fórmulas prontas sobre como ser feliz. O que existe é um conjunto de hábitos que estimulam a saúde física e mental, a inteligência racional e emocional, o bom convívio com as outras pessoas e a capacidade de extrair aprendizados mesmo nas situações mais difíceis.

A psicologia positiva ensina que a procura pela felicidade é um processo constante e contínuo, e que podemos ser felizes enquanto aprendemos a ser felizes. Parece um paradoxo, mas, na verdade, é como a vida funciona: é vivendo que desenvolvemos as competências necessárias para viver bem.

Tudo depende de como você encara os obstáculos que todos, sem exceção, vamos enfrentar ao longo das nossas vidas. Ainda que os motivos sejam bem distintos, para quem é otimista e acredita em si e na felicidade, só há um final e, com certeza, ele se completa com a palavra: feliz!

O IBC oferece a formação e a pós-graduação em Psicologia Positiva e Coaching. Acesse as páginas abaixo e conheça tudo sobre estes cursos:

Se você gostou deste artigo, deixe o seu comentário abaixo. Além disso, compartilhe-o nas suas redes sociais, levando essas reflexões aos seus amigos, colegas e familiares!

Imagem: Por KieferPix

José Roberto Marques

Sobre o autor: José Roberto Marques é referência em Desenvolvimento Humano. Dedicou mais de 30 anos a fim de um propósito, o de fazer com que o ser humano seja capaz de atingir o seu Potencial Infinito! Para isso ele fundou o IBC, Instituto que é reconhecido internacionalmente. Professor convidado pela Universidade de Ohio e Palestrante da Brazil Conference, na Universidade de Harvard, JRM é responsável pela formação de mais de 50 mil Coaches através do PSC - Professional And Self Coaching, cujo os métodos são comprovados cientificamente através de estudo publicado pela UERJ . Além disso, é autor de mais de 50 livros publicados.



*Esse conteúdo não é fonte para veículos jornalísticos ou matérias para imprensa, para utilização ou referência por favor entre em contato conosco.

Deixe seu Comentário

IBC - Instituto Brasileiro de Coaching: Av. Prof. Venerando Freitas Borges, 561 - Setor Jaó - Goiânia/ GO - CEP: 74.673-010