Como começar um planejamento financeiro?

Ter um planejamento financeiro é a melhor forma de alcançar os seus objetivos, além de ser extremamente necessário em todas as áreas.

Em um cenário cheio de incertezas, crises econômicas e grande concorrência, o que você tem feito para controlar a sua vida financeira e as finanças da sua empresa? Nesse contexto, o planejamento financeiro se mostra fundamental para organizar as contas, se precaver para emergências e criar estratégias para atingir os seus objetivos.

Quer saber por onde começar? Continue a leitura e veja que através de pequenas atitudes conseguirá alcançar melhorias bastante positivas em relação às suas finanças.

Por que o planejamento financeiro é importante?

Para que entenda melhor, vamos imaginar sua conta bancária como se fosse a sua despensa. Ao longo do mês, você vai consumindo alimentos, olha o que tem antes de preparar uma refeição e assim vai tomando decisões sobre o que precisa comprar ou usar. Se não tiver esse cuidado, pode acabar perdendo alimentos por conta do prazo de validade ou se esquecendo de comprar um item importante para uma receita.

Com a conta bancária acontece o mesmo, se você não sabe exatamente o valor que dispõe, corre o risco de se exceder, tomar decisões erradas e gastar mais do que deveria e assim por diante. Por isso, é fundamental que saiba para onde vai cada centavo, para manter o controle e fazer escolhas inteligentes, considerando não apenas o hoje, mas também o futuro.

Quem trabalha com carteira assinada ou é autônomo e contribui com a previdência sabe que terá a aposentadoria para receber lá na frente, mas não dá para contar apenas com ela. Em primeiro lugar, porque nem sempre o valor recebido será o suficiente para se manter, e, em segundo, porque, com a mudança das leis, isso pode acontecer tardiamente.

Então, por que esperar para depender disso se você pode se precaver e planejar o seu futuro de forma mais segura, não é mesmo? O grande benefício do planejamento financeiro é a liberdade, porque, através dele, você irá assumir o controle sobre as suas finanças, deixando de ser refém do dinheiro.

Começando a fazer um planejamento financeiro

Antes de qualquer coisa, é preciso deixar claro que você não precisa se tornar nenhum especialista em economia para fazer seu planejamento financeiro. É claro que, se desejar algo mais específico, como realizar certos tipos de investimento, é melhor contar com o suporte de um especialista, mas para o básico conseguirá dar conta tranquilamente.

Comece reunindo o maior número de informações possíveis sobre a sua vida financeira: extratos de conta corrente, investimentos, comprovantes de compra, de renda e tudo o que possa contribuir para fazer uma análise do seu cenário atual.

Também é muito importante levantar seu patrimônio e suas dívidas, de modo a conhecer sua real situação financeira. Caso tenha dívidas, principalmente se estiverem em atraso, não sinta medo de encará-las, pois, quanto mais conhecimento tiver a respeito, mais rapidamente conseguirá quitá-las e evitar que os juros se acumulem descontroladamente.

Com toda as informações em mãos, identifique quais são seus sonhos e objetivos. Faça uma lista, colocando em ordem o que deve ser conquistado em curto, médio e longo prazo, estabelecendo uma meta realista para que cada um desses projetos seja concretizado.

Preencha AGORA o formulário para descobrir!

10 Dicas para fazer o seu planejamento financeiro

Agora vamos para as dicas práticas de como fazer o seu planejamento financeiro e transformar isso em um hábito. Lembre-se que quanto mais controle tiver sobre o seu dinheiro, menos refém será dele.

1 – Tenha controle de suas receitas e despesas

Acompanhe mensalmente suas receitas e despesas por meio de uma planilha ou aplicativo que organize seu orçamento. Hoje em dia, existem diversos apps que realizam esse trabalho de forma segura e bastante prática, facilitando a inclusão de informações no dia a dia por poderem ser acessados do celular.

Registre tudo o que receber e comprar e fique atento, também, aos pequenos valores gastos, pois eles influenciam bastante no seu resultado final. Com todas essas informações visíveis conseguirá identificar onde estão os seus maiores ralos de dinheiro, permitindo que repense suas despesas e faça escolhas mais inteligentes.

2 – Compare os preços antes de comprar

Se você é do tipo que compra o produto que precisa na primeira loja em que o encontra, adote o hábito de pesquisar um pouco mais, principalmente quando for comprar itens de valores mais elevados, como móveis, eletrodomésticos e até peças menores, como roupas e calçados.

Hoje, com a internet, essa pesquisa pode ser feita em apenas alguns minutos. Com essa atitude simples pode fazer uma economia de 10 a 20%. Inclusive, existem aplicativos voltados especificamente para fazer comparação de preços, como o Zoom, por exemplo, que tornam o processo ainda mais dinâmico.

3 – Compre somente o necessário

Antes de comprar qualquer coisa, procure se fazer algumas perguntas: eu realmente preciso disso? Eu posso pagar por esse preço agora? Qual a possibilidade de esperar para comprar tal produto mais adiante e evitar mais uma despesa este mês? Tenho como pagar à vista ou terei que parcelar?

Quando você se questiona, chama a si mesmo a refletir, evitando agir por impulso. Sabe quando está andando pela rua ou navegando na internet e se depara com uma loja ou site em promoção? Por mais que o preço esteja mesmo baixo, não faz sentido comprar algo que não está precisando naquele momento.

4 – Pague à vista sempre que possível

Com a facilidade de ter um cartão de crédito, muitas pessoas acabam entrando em um ciclo de parcelamento, comprando até mesmo itens de baixo valor dessa forma. Fazendo isso, se esquecem que pequenas parcelas juntas podem resultar em uma fatura alta no final do mês. Por isso, sempre que puder, pague à vista, principalmente quando a opção vier acompanhada de um desconto.

Caso deseje comprar um produto de valor um pouco mais alto e não tenha o dinheiro naquele momento, espere e poupe até reunir a quantia necessária. Assim, pouco a pouco, irá se reeducando financeiramente, deixando o hábito do parcelamento para trás para comprar à vista.

5 – Viva um padrão abaixo das suas condições

É comum encontrarmos pessoas que tentam viver em um padrão acima das suas condições e o correto a se fazer é exatamente o contrário. Não é porque você foi promovido e teve um aumento que precisa trocar de carro e se mudar para uma casa maior apenas porque agora tem condições. Busque viver com conforto, mas sem excessos, assim conseguirá se organizar para alcançar seus objetivos em menos tempo.

6 – Poupe para o futuro

Anteriormente, mencionamos a importância de poupar para o futuro em vez de depender exclusivamente da aposentadoria. Saiba que deve pensar nisso desde já, mesmo que ainda falte muitos anos para esse momento chegar. Afinal de contas, quanto antes começar, menos terá que investir mensalmente para chegar ao montante desejado no prazo que definiu.

7 – Transforme seus hábitos

Se tem o hábito de ir a restaurantes e pedir comida todos os dias ou outros costumes que geram gastos, encontre maneiras de transformá-los. Que tal cozinhar mais vezes e preparar suas próprias refeições? Ou aprender a realizar outros serviços simples em vez de contratá-los com tanta frequência? Com essas mudanças simples poderá poupar uma quantia considerável e utilizá-la de outras maneiras.

8 – Crie metas financeiras

Ter metas é muito importante em todas as áreas da vida, pois dá direcionamento e gera motivação. Em se tratando de finanças, elas são fundamentais, se você sabe que está poupando para fazer um curso ou uma viagem, por exemplo, conseguirá mais facilmente evitar gastos supérfluos.

Vale lembrar que, para que as suas metas possam ser alcançadas, é preciso que se planeje e defina um prazo e as estratégias utilizadas. Pensar apenas que deseja trocar de carro é algo muito vago, é necessário transformar esse desejo em meta, como, por exemplo: comprar um carro em dezembro poupando X reais todos os meses. O seu plano precisa ser específico para que o alcance mais rapidamente.

9 – Faça a renegociação de dívidas

Caso possua dívidas em atraso, procure seus credores para fazer uma renegociação. Muitas empresas costumam oferecer descontos interessantes, além do mais, isso evita que os juros fiquem correndo sem que você tenha controle. Mesmo em se tratando de contas que estão em dia, adiantar o pagamento pode lhe render bons descontos, se informe e verifique quais as possibilidades.

10 – Inclua toda a família no planejamento financeiro

Se você vive com a sua família, lembre-se de incluir a todos no seu planejamento, essa participação gera mais consciência, especialmente em crianças, que irão crescer sabendo dar valor ao dinheiro. Inclusive, é válido definir metas em família, para que todos contribuam e economizem para que os objetivos sejam alcançados.

O que você está esperando para começar a fazer o seu planejamento financeiro? Viu como é simples?

Se tiver alguma ideia ou sugestão para contribuir com este artigo, deixe seu comentário abaixo e, claro, aproveite para compartilhá-lo em suas redes sociais para incentivar mais pessoas a cuidarem das suas finanças com organização e responsabilidade.

O artigo é bom, né?

No IBC é assim, não custa nada evoluir e alcançar resultados extraordinários. Se você quer seguir por esse caminho de evolução é só baixar o nosso e-book gratuito,
Tudo sobre Coaching. Preencha o formulário abaixo com seus dados para ler.

Imagem: Macrovector / Shutterstock



*Esse conteúdo não é fonte para veículos jornalísticos ou matérias para imprensa, para utilização ou referência por favor entre em contato conosco.

Deixe seu Comentário

IBC - Instituto Brasileiro de Coaching: Av. Prof. Venerando Freitas Borges, 561 - Setor Jaó - Goiânia/ GO - CEP: 74.673-010