10 Dicas para desenvolver a autocompaixão

Mulher se abraçando e sorrindo

Saiba como desenvolver a autocompaixão na sua vida.

Já percebeu como estamos o tempo todo nos cobrando de sermos mais ativos e produtivos? A sociedade atual estabeleceu um nível de autocobrança muito alto e isso coloca os indivíduos em uma posição muito delicada. Não é saudável estar constantemente tentando e ultrapassando seus próprios limites. 

Além de um grande sofrimento, esse modelo de comportamento, prejudica a saúde física e mental. Nesse contexto, a principal ferramenta que podemos utilizar é a autocompaixão. Trata-se de uma forma diferente de olhar para si mesmo. Continue lendo para entender melhor o conceito e confira 10 dicas para desenvolvê-la. 

O que é autocompaixão?

Alguma vez você já se comoveu com o sofrimento de um desconhecido? Já desejou poder amenizar a dificuldade de alguém da sua família? Ficou inclinado a fazer mais do que poderia por alguém? Quem respondeu afirmativamente a pelo menos uma dessas perguntas sabe o que é compaixão. 

A autocompaixão nada mais é do que direcionar essa compaixão para si mesmo. Trata-se de se ver com mais gentileza, preocupação e amabilidade, tal qual você faria com um desconhecido, um familiar ou um amigo. Esse tipo de compaixão permite que você aceite quem você é reduzindo as cobranças e críticas que faz a si mesmo. 

Expectativas: aprenda a lidar com elas

Ter expectativas é próprio do ser humano em relação a tudo. Contudo, é exatamente nessas expectativas que reside boa parte das frustrações. Precisamos entender que podemos ter expectativas sobre nós, sobre os outros e sobre o futuro. Porém, não temos controle sobre os outros e muito menos sobre nosso futuro. Tenha o hábito de se fazer os seguintes questionamentos:

– Será que aquilo que espero de mim é o que realmente quero? 

– Preciso realmente atender as expectativas que os outros têm a meu respeito?

– Preciso me cobrar tanto e constantemente? 

– Vou me frustrar se não realizar o que espero? 

Tendo respondido “não” a boa parte dessas perguntas, você demonstra que lida bem com as expectativas. Porém, se respondeu mais “sim”, não se culpe. Comece a praticar a autocompaixão. 

Prepare-se para ter autocompaixão

Incluir a autocompaixão na sua vida demanda uma preparação. Inicie refletindo sobre quais são as áreas da vida que mais fazem você se cobrar. Quais são as áreas em que você mais se critica ou se sente pressionado? Em uma folha de papel, escreva quais são essas áreas. 

É bem provável que você tenha escrito áreas como trabalho, família, igreja, relacionamentos amorosos, amigos, entre outros. Prossiga escrevendo ao lado de cada área as emoções que cada uma causa na sua vida, boas e ruins.

Certamente há um mix de emoções e isso é normal. A grande questão é que estamos sempre querendo fazer as emoções ruins sumirem, mas as coisas não funcionam assim. 

Dicas para desenvolver a autocompaixão

Confira a seguir 10 dicas de como desenvolver a autocompaixão na sua vida.

1. Seja gentil com você mesmo

Muitas pessoas extremamente gentis com os outros não sabem aplicar esse comportamento a si mesmas. Da mesma forma que você entende quando uma pessoa comete um erro, olhe para si com essa mesma compreensão. Nem sempre acertamos, mas permanecemos tentando. Aceite que você comete erros e que isso faz parte da construção do seu caminho. 

2. Seja o seu próprio aliado

Quando um desafio surge na sua vida, quase sempre o seu único aliado é você mesmo. Independentemente de ter pessoas de confiança com quem contar, valorize a sua força e capacidade de dar a volta por cima. Uma forma de fazer isso é se lembrar das vezes em que você superou uma dificuldade apenas olhando para dentro de forma mais confiante. 

3. Aceite os seus sentimentos

Todos nós temos emoções boas e ruins dentro de nós. Aceite como você se sente em relação a diferentes âmbitos da sua vida sem se cobrar excessivamente. Use seus sentimentos a seu favor para vencer os desafios impostos pela vida.

Não adianta se colocar em uma posição de constante luta contra a forma como se sente. Claro que seus sentimentos podem mudar com o seu amadurecimento, mas não tem como forçar isso a acontecer.

4. Invista na sua autocobrança

Cobrar a si mesmo pode ser positivo em algumas situações, contudo, deve ter limites para não deixar de ser salutar. Cobrança excessiva não vai te ajudar a fazer mais e melhor, apenas vai distrair o seu foco do que é realmente importante. A dica é ter equilíbrio nas cobranças que faz a si mesmo. 

5. Trabalhe no seu amor próprio

O amor mais importante da sua vida é o próprio, tenha isso sempre em mente. Em alguns momentos, é imprescindível se colocar em primeiro lugar. Essa atitude não é egoísta, pois é a forma saudável como todos deviam se portar. Analisar a si mesmo e concluir que precisa mudar em algumas áreas é normal, porém, ame a si mesmo nesse processo. 

6. Estabeleça limites

Guie suas ações e interações com os outros pelos seus limites. Estabelecer limites é crucial para não perder a sua essência e conseguir realizar as suas metas. Grande parte do desamor que sentimos por nós mesmos vem de não conseguir se pautar por esses limites. Ao aceitar coisas que são ruins para nós, estamos reforçando em nosso interior que não somos bons o bastante. 

7. Viva por você e não pela aprovação dos outros

A sua vida e a sua felicidade não podem ser medidas pelo olhar alheio. Viva para alcançar as suas realizações e para satisfazer os seus desejos. Lute por aquilo que deseja e não para agradar aqueles à sua volta, independentemente de quem sejam. 

8. Você não é uma esponja, não absorva tudo

Para desenvolver autocompaixão é essencial não ser uma esponja emocional, ou seja, não absorver tudo à sua volta. Não se ocupe apenas de resolver os problemas alheios, olhe para as suas questões. Coloque-se em primeiro lugar. 

9. Escolha as suas batalhas

Um conselho extremamente sábio: não saia por aí comprando brigas com tudo e todos. Olhe para dentro de si e a partir do que enxergar escolha as batalhas em que vai se empenhar. Saber quando se posicionar e quando recuar pode ser extremamente libertador. 

10. Seja autorresponsável

Você e somente você é responsável por si mesmo. Suas responsabilidades não podem ser terceirizadas. Estão em suas mãos a sua felicidade, alegria e conquistas. Lide com suas escolhas e com as consequências delas.

Com essas dicas você desenvolverá mais autocompaixão! Deixe seu comentário abaixo e compartilhe o conteúdo para levar a reflexão adiante!

José Roberto Marques

Sobre o autor: José Roberto Marques é referência em Desenvolvimento Humano. Dedicou mais de 30 anos a fim de um propósito, o de fazer com que o ser humano seja capaz de atingir o seu Potencial Infinito! Para isso ele fundou o IBC, Instituto que é reconhecido internacionalmente. Professor convidado pela Universidade de Ohio e Palestrante da Brazil Conference, na Universidade de Harvard, JRM é responsável pela formação de mais de 50 mil Coaches através do PSC - Professional And Self Coaching, cujo os métodos são comprovados cientificamente através de estudo publicado pela UERJ . Além disso, é autor de mais de 50 livros publicados.



*Esse conteúdo não é fonte para veículos jornalísticos ou matérias para imprensa, para utilização ou referência por favor entre em contato conosco.

Deixe seu Comentário

IBC - Instituto Brasileiro de Coaching: Av. Prof. Venerando Freitas Borges, 561 - Setor Jaó - Goiânia/ GO - CEP: 74.673-010
CNPJ: 31.328.744/0001-63