Quais são os efeitos da produtividade tóxica na vida de um colaborador?

Mulher cansada no trabalho

Confira os efeitos da produtividade tóxica na vida de um colaborador.

A produtividade tóxica é um problema que se tornou mais evidente depois de 2020. Devido à pandemia do novo coronavírus, milhões de profissionais passaram a trabalhar no modelo home office.

A produtividade de boa parte desses indivíduos cresceu consideravelmente nesse formato remoto. No entanto, também foi um período que serviu para detectar o quanto a rotina de trabalho pode ser tóxica. 

A chamada produtividade tóxica consiste em uma preocupação e dedicação exageradas ao trabalho. Nesse sistema, em alguns casos, há a tentativa de otimizar o tempo ao máximo, mas sem considerar a saúde mental do funcionário. As horas de descanso não são consideradas como deveriam. 

Essa forma prejudicial de produtividade é parte de um fenômeno social mais abrangente, conhecido como “sociedade do cansaço”. Na sociedade em que vivemos somos cobrados constantemente pelo nosso desempenho. Continue lendo para entender mais sobre a produtividade tóxica e como ela afeta a vida dos colaboradores.

O que é produtividade tóxica?

Você já teve a sensação de que independentemente do quanto tenha conseguido fazer, ainda não é o suficiente? Se sim, saiba que já vivenciou a produtividade tóxica, uma obsessão com o fazer mais e melhor constantemente. Em resumo, esse conceito diz respeito à ideia de que sempre devemos estar fazendo alguma coisa produtiva.

Ainda que se tenha concluído todo o trabalho do dia, fica a sensação de que tem mais alguma coisa que precisa ser feita. Ao desacelerar e ficar sem fazer nada, o indivíduo tende a sentir uma grande culpa por estar “desperdiçando” seu tempo. Cada vez mais as pessoas estão com dificuldade de encontrar o equilíbrio entre as suas atividades pessoais e profissionais. 

A pandemia e a produtividade tóxica

A pandemia trouxe a questão da produtividade tóxica para a pauta por ter adicionado mais um importante fator para essa condição: o home office. Antes do isolamento social, as pessoas já tinham dificuldade de limitar as fronteiras entre trabalho e lazer devido aos smartphones e à internet. Depois de passar a trabalhar em casa, essa divisão praticamente deixou de existir.

Além disso, a pandemia potencializou o sentimento de impotência das pessoas, pois houve a compreensão de que não podemos controlar o que acontece no mundo. Quando nos dedicamos a tarefas domésticas ou a uma atividade profissional, temos a impressão de que estamos no controle. Essa é uma forma de explicar o excesso de trabalho com que vivemos atualmente. 

Efeitos da produtividade tóxica na vida de um colaborador

Em um primeiro momento, pode parecer positivo ser produtivo constantemente. Quem é produtivo em tempo integral está sendo constantemente útil e solucionando problemas, certo? Porém, a produtividade tóxica pode ter efeitos bastante prejudiciais na vida dos colaboradores. A seguir falaremos um pouco mais sobre esses efeitos. 

1. Sobrecarga

O cérebro humano não é preparado para receber estímulos indefinidamente. É determinante ter períodos de descanso após períodos de grande produtividade. Se esse intervalo não é respeitado, há o risco de sobrecarga. As consequências disso podem ser bem sérias, levando a quadros de depressão ou burnout. 

A conclusão é a de que quando nos mantemos trabalhando sob essas condições não estamos sendo produtivos. Nesses casos, estamos somente reagindo ao estresse e buscando sobreviver à rotina diária. 

2. Queda de qualidade do trabalho

Manter-se constantemente com o corpo e o cérebro em alerta tem um preço, a sobrecarga, como citamos acima. Um indivíduo sobrecarregado dificilmente conseguirá entregar um trabalho bem feito.

Aí está a grande armadilha da produtividade tóxica, estar constantemente ocupado nos faz pensar que estamos sendo produtivos. Contudo, a qualidade do que fazemos vai caindo drasticamente.

3. Cobrança

Ao identificar que o trabalho que está sendo entregue não tem a qualidade esperada, o indivíduo se coloca em estado de cobrança. Resultados abaixo do esperado podem fazer com que o profissional queira se dedicar ainda mais às suas atividades. Não se percebe que a questão é reduzir e não potencializar o ritmo.

4. Problemas de saúde

Evidentemente, uma pessoa que está trabalhando no seu limite físico e mental tem grandes chances de desenvolver uma série de doenças. Como já citamos, o profissional que se encontra em um sistema de produtividade tóxica pode desenvolver quadros de depressão e burnout. 

Além disso, a extrema dedicação ao trabalho pode fazer com que o indivíduo negligencie sua saúde física. Nos próximos anos, é bem provável que veremos um aumento considerável de doenças relacionadas ao estresse e esgotamento. 

Sinais da produtividade tóxica

Chegando a este ponto do artigo, com certeza você já percebeu que a produtividade tóxica pode ser bastante prejudicial. Mas, como saber se você está vivendo essa situação? Confira a seguir alguns dos principais sinais de que você está em um ritmo de produtividade que prejudica sua saúde física e mental.

– Sentimento excessivo de culpa no que se relaciona ao trabalho; 

– A ideia constante de que deveria estar fazendo algo produtivo; 

– Troca de atividades de lazer por atividades de trabalho; 

– O tempo todo você está no smartphone e computador resolvendo situações de trabalho; 

– Você se sente exausto com grande frequência;

– O dia de trabalho quase sempre se estende; 

– Quase todos os finais de semana você trabalha.

Como evitar a produtividade tóxica?

Para evitar que a produtividade tóxica seja parte da sua vida, é importante dar um intervalo para a sua mente quando concluir uma tarefa complexa. Lembre-se de que a sua mente precisa descansar. Inclua em sua rotina dizer “não” para as prioridades alheias, as suas devem ser colocadas na frente. 

Tenha em mente que seu chefe sempre vai querer que você entregue o máximo de tarefas no menor espaço de tempo. Adicione na sua rotina pausas para atividades de lazer, como assistir uma série, ler, cozinhar, conversar com amigos, entre outras. 

Inclua atividades físicas na sua rotina, escolha de acordo com seus gostos e possibilidades. Dê atenção para a qualidade do seu sono, tente manter um horário para dormir e um horário para acordar. Lembre-se que a quantidade de horas deve ser o suficiente para que você se sinta descansado quando acordar. Estabeleça um horário limite para responder mensagens de trabalho. 

Cuidar da sua saúde física e mental é decisivo para ter bons resultados! Aproveite para comentar abaixo e compartilhar o conteúdo em suas redes sociais!

José Roberto Marques

Sobre o autor: José Roberto Marques é referência em Desenvolvimento Humano. Dedicou mais de 30 anos a fim de um propósito, o de fazer com que o ser humano seja capaz de atingir o seu Potencial Infinito! Para isso ele fundou o IBC, Instituto que é reconhecido internacionalmente. Professor convidado pela Universidade de Ohio e Palestrante da Brazil Conference, na Universidade de Harvard, JRM é responsável pela formação de mais de 50 mil Coaches através do PSC - Professional And Self Coaching, cujo os métodos são comprovados cientificamente através de estudo publicado pela UERJ . Além disso, é autor de mais de 50 livros publicados.



*Esse conteúdo não é fonte para veículos jornalísticos ou matérias para imprensa, para utilização ou referência por favor entre em contato conosco.

Deixe seu Comentário

IBC - Instituto Brasileiro de Coaching: Av. Prof. Venerando Freitas Borges, 561 - Setor Jaó - Goiânia/ GO - CEP: 74.673-010
CNPJ: 31.328.744/0001-63

This will close in 0 seconds