Em meio a tantas imitações – Competir ou diferenciar-se? Qual você escolhe?

Competir ou Diferenciar-se? Diferenciais são muito melhores do que competição

 

O grande desenvolvimento tecnológico pelo qual passamos nos últimos anos trouxe diversas consequências positivas, mas também levou a algumas questões problemáticas, como a facilidade de cópias. As imitações estão por toda parte, seja no âmbito comercial, sob a forma de produtos praticamente idênticos, ou até mesmo na vida profissional. E você, prefere competir ou desenvolver seus diferenciais?

Competir e Diferenciar-se: entendendo as duas atitudes

O ser humano tem por hábito se comparar com as pessoas à sua volta como se estivesse dentro de uma competição que nunca tem fim. Porém, quando se faz uma breve reflexão sobre a essência de competir, é possível perceber que em muitos casos pode não ser a melhor escolha. Uma competição tem por base manter um olho focado na sua produção própria e outro olho cravado na produção do concorrente.

Um nadador profissional, por exemplo, objetiva ser o mais rápido da piscina, de maneira que precisa cuidar da sua velocidade e da velocidade dos seus concorrentes. No entanto, esse panorama não pode ser sobreposto a contextos da vida cotidiana, haja vista que existem outros fatores relevantes que precisam ser considerados. Além disso, não existe uma linha de chegada única.

Cada pessoa tem uma história única com seus próprios valores e desafios enfrentados, de maneira que seria até injusto se todas partissem rumo à mesma linha de chegada, afinal, algumas estariam mais próximas do que outras. Além disso, a vivência individual cria sonhos e expectativas distintas. Certamente você tem objetivos diferentes de boa parte dos seus colegas de trabalho.

Comece a ter o

Destaque

que você merece!

Preencha os campos abaixo para receber o e-book.

Competição: olhos voltados para os outros

A competição faz com que o indivíduo passe boa parte do seu tempo preocupado com o que os colegas estão fazendo em vez de pensar em maneiras de se tornar mais efetivo em sua própria produção. Pessoas que passam muito tempo focadas nos outros podem acabar perdendo a sua identidade ao longo do caminho, além de, em algum momento, poderem se sentir menos capacitadas que os seus concorrentes, chegando então a uma postura arrogante e individualista.

Diferenciação: olhos voltados para si

A busca pela diferenciação desperta no indivíduo um olhar mais profundo para o seu interior, garantindo mais autoconhecimento. A pessoa passa a ter mais facilidade para identificar seus pontos fortes e os que precisa melhorar, além de saber exatamente aonde ela quer chegar. Em uma competição é muito fácil se confundir e assumir para si um objetivo alheio.

Ao dar início a uma jornada de aperfeiçoamento, a pessoa não deixa que seu foco seja desviado do que é realmente importante, ou seja, ela mesma. Afinal de contas, você pode mudar a si mesmo ou aos outros? Com essa questão bem resolvida, começa uma competição muito mais produtiva e saudável consigo mesmo para chegar à sua melhor versão.

Por que a competição não funciona na vida profissional?

A resposta para essa pergunta pode ser facilmente respondida assistindo aos jogos olímpicos, por exemplo. Algo que todos os esportes têm em comum é o fato de terem regras que visam igualar as oportunidades para todos os atletas. As lutas são divididas em categorias que consideram o peso dos atletas e as seleções de futebol são da categoria sub-20, a fim de evitar grande discrepância entre os jogadores.

Na vida real não existem essas regras que uniformizam as condições dos competidores, de maneira que sempre existirão diferenças entre as pessoas, que podem facilitar ou tornar mais tortuoso o caminho em direção a uma realização. As pessoas que trabalham em um departamento de uma mesma empresa certamente apresentam níveis de experiência (pessoal e profissional) variantes, assim como sonhos particulares.

Será que contribui em alguma coisa o estagiário do setor se comparar com o gestor da equipe em termos de realizações, quando claramente existe um oceano de histórias diferentes entre os dois? Certamente a resposta é não, pois essa atitude apenas iria gerar insatisfação e desmotivação para continuar a caminhada rumo ao seu objetivo, que talvez nem seja ser um líder de equipe como o chefe.

Ao observar o quando o gestor é bem-sucedido, o jovem estagiário pode se inspirar para buscar em si qualidades que o levem a ter um status semelhante ou chegar longe de outra maneira em sua carreira. No entanto, o seu foco deve estar sempre em si mesmo, na forma como ele pode gerar uma mudança em sua vida.

Como posso me diferenciar e não competir?

A seguir você poderá conferir sete dicas de como se diferenciar, aumentando as chances de alcançar a sua realização em vez de entrar em uma competição vazia. Pronto para começar essa mudança na sua vida?

1 – Autoavaliação

O primeiro ponto que precisa ser trabalhado para deixar de competir com os outros e focar em si próprio é realizar uma autoavaliação sincera. A ideia é que você olhe para as suas atitudes e tente determinar o quanto elas são tomadas por um instinto seu e o quanto são apenas respostas para ações de terceiros. Essa avaliação precisa ser sincera e focada na realidade.

2 – Conheça seus próprios objetivos

Como mencionei ao longo deste artigo, é muito importante conhecer os seus próprios objetivos e os desejos que impulsionam a sua carreira para deixar de seguir um caminho formatado por outras pessoas. Quando observar o nascimento do sentimento de competição em relação a um colega, pense se realmente almeja o mesmo que ele. Talvez, você só esteja se deixando levar pelo contexto, criando uma competição infrutífera por nada.

3 – Tenha um plano

Para realizar os seus objetivos, é essencial ter um bom plano, ao determinar quais são os pontos mais relevantes de realizar para você, pense em como fazer isso. Muitas pessoas se perdem exatamente no momento de definir o como, pois, ainda que tenham entendido que a competição não é necessariamente a resposta, podem acabar voltando seu foco para fazer melhor do que os colegas e não aquilo que realmente importa. Lembre-se que você pode mudar somente a si mesmo, então, se concentre em como ser sempre melhor do que era ontem.

4 – Fragmente seus objetivos em degraus

A competição estabelecida consigo mesmo precisa acontecer de uma maneira possível de ser administrada, sem gerar grandes estragos para o seu emocional. Determine quais são os seus objetivos maiores, de maneira a conseguir transformá-los em degraus para poder subir, um a um. Querer conquistar tudo de uma única vez pode fazer com que se frustre e não consiga continuar após obter o primeiro “não” pelo caminho.

5 – Aprenda a ouvir os outros

Você tem o hábito de ouvir e levar em consideração os feedbacks dados a você? Se não tem, foque em desenvolvê-lo. Nem tudo o que precisamos mudar é evidente para nós mesmos. Existem pequenas questões que nem uma autocrítica muito bem desenvolvida é capaz de enxergar. Ainda que não seja agradável o que as outras pessoas têm para te dizer, ouça e absorva o que puder te ajudar a evoluir.

6 – Descubra a admiração

Lembra do exemplo do estagiário e do gestor de equipe que citei anteriormente? Mencionei o quanto pode ser positivo que o primeiro tenha o segundo como uma inspiração, independente de querer ou não ter o mesmo futuro profissional. As pessoas que, ao invés de competir com os colegas, aprendem a observar suas características mais interessantes, buscando trazê-las para a sua própria formatação pessoal, tendem a ser mais bem-sucedidas.

É importante dizer que a admiração não precisa e nem deve se restringir a pessoas que realizam uma mesma atividade que você. Ela pode estar direcionada à capacidade de se reinventar, de ser colaborativo com os colegas ou simplesmente de manter a felicidade enquanto realiza suas tarefas.

7 – Inspire-se em exemplos

Tem alguém com quem trabalha que faz você pensar “gostaria de ser como essa pessoa em tal aspecto?”, se sim, saiba que seguir o exemplo não tem nada a ver com competir. Seguindo a lógica do tópico anterior, é bastante positivo saber olhar para o outro encontrando algo bom em que se espelhar. Faça de alguns colegas exemplos para transformar a sua rotina e se tornar alguém ainda mais assertivo.

A ideia não é fazer igual ao colega para ser melhor do que ele e sim reproduzir uma atitude que se mostre relevante para ser bem-sucedido em suas empreitadas. Quanto mais exemplos positivos você tiver para seguir, mais realizado poderá ser no seu campo profissional.

Diferenciais são muito melhores do que competição

Ao longo do artigo busquei explicar a razão pelo qual se diferenciar pode ser muito melhor do que competir. Espero ter te inspirado a começar a pensar em como criar uma versão ainda melhor de si mesmo, compreendendo que não precisa e nem deve se comparar aos outros.

Competir nesse contexto do mundo corporativo já começa errado pelo fato de que presume que as pessoas têm as mesmas condições, algo que é impraticável, já que cada indivíduo é único com sua história e sua formação. Aproveite o que você tem de ímpar para se tornar alguém mais relevante no mercado e, também, na vida pessoal.

Gostou de entender porque se diferenciar é mais interessante do que competir? Deixe seus comentários abaixo e compartilhe o artigo em suas redes sociais!

E aí, curtiu esse conteúdo?

Saiba que ele é apenas a pontinha do iceberg e você pode desenvolver suas habilidades de liderança muito mais. Baixe agora o ebook Leader Coach e aprenda como extrair o máximo resultado da sua equipe.
Preencha o formulário, é de graça.

Copyright:  788797453 – https://www.shutterstock.com/pt/g/TeroVesalainen



*Esse conteúdo não é fonte para veículos jornalísticos ou matérias para imprensa, para utilização ou referência por favor entre em contato conosco.

Deixe seu Comentário

IBC - Instituto Brasileiro de Coaching: Av. Prof. Venerando Freitas Borges, 561 - Setor Jaó - Goiânia/ GO - CEP: 74.673-010