Você se contrataria para trabalhar em uma empresa?

Entrevista de emprego

Confira algumas dicas de como identificar os seus pontos positivos.

Como você responderia a pergunta do título? Antes de dizer um sonoro “SIM”, é importante fazer algumas considerações. Será que você está realmente qualificado para assumir o cargo intencionado? Tem boa relação interpessoal com seus colegas? Tem se mantido atualizado? 

Com tantos questionamentos, você já deve estar confuso se responderia realmente sim, não é mesmo? É importante dizer que não estamos duvidando do seu preparo para assumir qualquer desafio. No entanto, é determinante pensar com a razão e não com a emoção para responder a esse questionamento.

No artigo a seguir te convidamos a fazer essa reflexão com a possibilidade de uma ampla autocrítica.

O básico não é diferencial

Antes de qualquer coisa, é essencial definirmos o que são diferenciais que levam um profissional a ser contratado e o que é básico. Ser honesto, ter conhecimento da área em que se pretende atuar e ser responsável é obrigatório. Atuar com ética e não mentir no currículo também entram nessa caixinha de obrigatoriedades e não de diferenciais.

Imagine que você está em uma seleção de emprego com candidatos que também oferecem o básico. Por que o recrutador deveria escolher você e não outro candidato? Qual seria o motivo que faria a empresa em questão dar preferência para você? Identificar os seus diferenciais é crucial para construir a sua narrativa de contratação.

Por que você merece ser contratado?

Para que você possa responder “SIM”, a pergunta do título precisa saber apontar os seus próprios diferenciais. Confira a seguir dicas de como identificar os seus pontos positivos, tornando-se apto a se apresentar de forma mais segura para os entrevistadores.

1. Qualificação contínua

Você é um profissional que se mantém na busca por novos conhecimentos e experiências? A qualificação contínua é a base para se manter como alguém interessante para o mercado. Para se destacar em uma seletiva é necessário ter um bom arcabouço de conhecimento e atualização.

Então, para poder dizer que se contrataria, reflita se você está realmente empenhado em melhorar seu currículo. Quantos cursos e palestras assistiu nos últimos dois anos? Dependendo dessa resposta, saiba que talvez fosse melhor não se contratar.

Dica

Para se tornar alguém com mais potencial de ser contratado é interessante buscar oportunidades de qualificação. Vale dizer que muitas instituições oferecem cursos e palestras gratuitamente ou quase gratuitamente. Então, em muitos casos basta ter vontade.

2. Boa comunicação

De que adianta ter um currículo repleto de qualificações se você não consegue se “vender” para os recrutadores? Seja sincero, com a sua forma de se comunicar você se contrataria? Se sente que tem dificuldade com oratória, vale a pena assistir conteúdos voltados para essa habilidade.

Novamente ressaltamos que há opções gratuitas para quem não tem como pagar um curso. Você pode “treinar” com seus amigos, tentar estabelecer conversas com mais carga comunicativa para ver se consegue atingir seus objetivos. Saber se expressar e transmitir o que está pensando para os demais é fundamental para ser um profissional de destaque no mercado.

Dica

Preste atenção se as pessoas à sua volta costumam entender o que você está tentando dizer para elas. Se constantemente as pessoas te questionam a respeito do sentido do que diz, pode ser que haja um problema de comunicação. E lembre-se de que esse quesito pode ser aperfeiçoado com boa vontade. 

3. Postura profissional

Se você fosse pudesse se observar do ponto de vista do entrevistador, que impressão teria de si mesmo? A forma como você se senta e se posiciona durante a entrevista pode passar diferentes mensagens. Há casos em que os recrutadores dispensam candidatos com bons currículos simplesmente porque não identificaram uma postura profissional.

Quando se está diante de um recrutador, é indispensável manter contato visual e se manter sentado com a coluna reta. São detalhes que parecem pequenos, mas que fazem toda a diferença. Estar diante de alguém que se acomoda de qualquer maneira na cadeira e não faz questão de manter um olhar firme, gera desconfiança.

Dica

Durante as entrevistas de emprego é importante cuidar da forma como você se senta e da postura corporal. Manter os braços cruzados, por exemplo, transmite a ideia de que você não queria estar onde está.

Não olhar diretamente para os olhos do entrevistador pode fazê-lo pensar que você está inseguro. Com um pouco de atenção é possível a pessoa que está te entrevistando que você tem grande potencial para assumir a vaga.

4. Relacionamento interpessoal

Essa capacidade geralmente é avaliada nas dinâmicas de grupo, então se o processo seletivo tem dinâmica é porque trabalhar em equipe é importante. Conhecendo a forma como se relaciona com os colegas, você se contrataria? Você consegue manter uma relação harmoniosa com as pessoas com quem trabalha? 

É importante dizer que não se trata de ser amigo de todo mundo e sim de conseguir conviver tranquilamente. Quando o profissional não consegue manter uma relação no mínimo respeitosa com os colegas, acaba prejudicando o clima organizacional. O simples fato de não conseguir se dar bem com os colegas atrapalha consideravelmente a produtividade.

Dica

Para aqueles que têm dificuldade de estabelecer relações devido à timidez, fica a dica de dar pequenos passos. Puxe uma conversa com um colega hoje, ajude outro amanhã e quem sabe em breve você estará nos happy hour. Novamente ressaltamos que não necessariamente precisa ter uma amizade, mas uma relação pautada no respeito.

5. Autocrítica

Você é um profissional com boa capacidade de autocrítica? Refletir constantemente a respeito do que pode ser melhorado é determinante para alcançar o sucesso na carreira. Ser crítico a si mesmo é essencial para entender como melhorar e ser alguém com uma entrega mais positiva. 

Geralmente, nas entrevistas os recrutadores pedem que o profissional aponte um defeito seu. Responder algo como “perfeccionismo” já cria uma impressão negativa, pois trata-se de um recurso de autopromoção. Então, será que você iria bem na sua própria entrevista? A resposta que você daria seria o suficiente para a contratação? 

Dica

No momento de apontar um defeito, é válido falar sobre alguma dificuldade real, evidenciando que está trabalhando para melhorá-la. Defeitos todo mundo tem, o diferencial é como lidar com eles!

Depois de fazer essa reflexão, compartilhe o conteúdo com os seus amigos para incentivá-los a se desenvolverem também!

José Roberto Marques

Sobre o autor: José Roberto Marques é referência em Desenvolvimento Humano. Dedicou mais de 30 anos a fim de um propósito, o de fazer com que o ser humano seja capaz de atingir o seu Potencial Infinito! Para isso ele fundou o IBC, Instituto que é reconhecido internacionalmente. Professor convidado pela Universidade de Ohio e Palestrante da Brazil Conference, na Universidade de Harvard, JRM é responsável pela formação de mais de 50 mil Coaches através do PSC - Professional And Self Coaching, cujo os métodos são comprovados cientificamente através de estudo publicado pela UERJ . Além disso, é autor de mais de 50 livros publicados.



*Esse conteúdo não é fonte para veículos jornalísticos ou matérias para imprensa, para utilização ou referência por favor entre em contato conosco.

Deixe seu Comentário

IBC - Instituto Brasileiro de Coaching: Av. Prof. Venerando Freitas Borges, 561 - Setor Jaó - Goiânia/ GO - CEP: 74.673-010
CNPJ: 31.328.744/0001-63

This will close in 0 seconds