Inteligência Emocional: Use a seu favor!

mulher pensando - inteligência emocional

O controle das emoções é muito importante para a vida pessoal e profissional de cada indivíduo

Crédito Imagem: DepositPhotos | maurus

No trabalho, assim como nas relações que mantemos em nossa vida privada e social, saber reconhecer e lidar com as emoções e seus (in) ou consequentes comportamentos é um processo contínuo e diferencial. Nesse sentido, ao falarmos em Inteligência Emocional, a evidenciamos como um ponto forte a ser trabalhado, e para muitos especialistas ela é mais importante do que o Quociente de Inteligência, o chamado (QI).

Você quer aprender a desenvolver sua inteligência emocional? Clique aqui e descubra através de 21 passos que preparei especialmente para você.

O que é Inteligência Emocional

A Inteligência Emocional (AI) é uma característica mensurável que diferencia o nível de performance, de uma pessoa e um trabalho ou papel, tanto na empresa, quanto na família e sociedade.

Os psicólogos americanos Peter Salovey e John Mayer, com suas pesquisas nesse campo da psicologia, ajudaram no desenvolvimento dessa teoria e a definiram como: a capacidade de perceber e exprimir a emoção; assimilá-la ao pensamento; compreender e raciocinar com ela, e saber regulá-la em si próprio e nos outros. Mas foi, o também psicólogo e jornalista americano, Daniel Goleman, na época redator de Ciências do conceituado jornal americano The New York Times, ao lançar o livro “Inteligência Emocional”, em 1995, o primeiro a chamar atenção na mídia para o termo que até então era desconhecido pelo grande público.

5 áreas da Inteligência Emocional

Segundo Goleman, este tipo de inteligência é a capacidade de identificar os nossos próprios sentimentos e os dos outros, de nos motivarmos, e de gerir bem as emoções dentro de nós e nos nossos relacionamentos. Nesse sentido, a Inteligência Emocional abrange cinco áreas específicas, que dizem respeito ao: Autoconhecimento Emocional, que é a capacidade de reconhecer um sentimento quando ele ocorre; a Habilidade de lidar com seus próprios sentimentos, adequando-os a cada situação; Automotivação, que consiste em motivar-se e dirigir as emoções a serviço de um objetivo, mantendo-se focado neste; Reconhecimento das emoções de outras pessoas; e finalmente, nas Habilidades nos relacionamentos interpessoais.

O poder das emoções

Sempre lidamos com sentimentos distintos em relação aos acontecimentos, e no ambiente corporativo, as respostas a eles são exigidas de forma imediata. De que forma você lida com a autoridade de seu superior? Como recebe ordens e as processa? Como lida com um feedback negativo? Quem é você emocionalmente no trabalho e que tipo de relacionamento interpessoal você mantém com seus colegas?

Se você trava diariamente uma batalha interior com suas emoções, se sofre com reações incompatíveis com o ambiente, sua profissão e vida, como um todo, por certo não deve estar usando seus sentimentos a seu favor. E pior, se suas atitudes fazem de você um profissional limitado, é hora de rever suas posições e começar a trabalhar sua inteligência Emocional.

Aprimore sua Inteligência Emocional

Existem pessoas que se sobressaem neste campo, e no ambiente de trabalho, exploram a IE com maestria. Estas são hábeis em controlar sentimentos ruins, não os demonstrando; capazes de fazer uma avaliação correta do cenário; são confiantes e focadas nos objetivos, a exemplo de uma promoção; têm consciência de suas capacidades e habilidades e as usam ao seu favor; se adaptam facilmente ao ambiente e as necessidades; são organizadas e comunicativas e também, sabem conduzir relacionamentos de forma empática e harmônica com os colegas e superiores, se destacando entre os demais.

Faça uma autoavaliação

Catalisar os sentimentos em atitudes positivas, fazer uma auto-observação para identificar limitações e trabalhar de modo a minimizá-las sucessivamente são prerrogativas para o uso inteligente das emoções. E o gerenciamento delas cabe a você. Somos responsáveis por tudo que nos ocorre, se optamos por trabalhar as emoções transformando-as em atitudes maduras, seguramente oportunizaremos um melhor desempenho, seja na vida profissional ou pessoal. Tudo depende do enfoque, e de como externamos nossos sentimentos, que são raios-X de quem somos, e de como nos habituamos a responder a cada situação.

Colabore com sua carreira, aperfeiçoe suas emoções, invista na sua Inteligência Emocional e potencialize ainda mais o seu sucesso profissional e pessoal. Gostou do post? Compartilhe esse post com os seus amigos nas redes sociais!

O artigo é bom, né?

No IBC é assim, não custa nada evoluir e alcançar resultados extraordinários. Se você quer seguir por esse caminho de evolução é só baixar o nosso e-book gratuito,
Tudo sobre Coaching. Preencha o formulário abaixo com seus dados para ler.
Deixe seu Comentário

IBC - Instituto Brasileiro de Coaching: Av. Prof. Venerando Freitas Borges, 561 - Setor Jaó - Goiânia/ GO - CEP: 74.673-010