Conheça o poder da empatia

Poder da Empatia É preciso que haja sintonia e sentimento para se colocar no lugar do outro.

Você já parou para pensar no quanto ainda existem pessoas que não compreendem o real significado da palavra empatia? No quanto temos pensado, enquanto sociedade, apenas nos nossos próprios interesses, sem nos preocuparmos com o que as pessoas ao nosso redor vêm enfrentando?

É necessário fazer reflexões como essas e muitas outras na nossa vida, pois somente por meio de pensamentos assim e do desenvolvimento da capacidade de nos colocarmos no lugar do outro é que conseguiremos construir um mundo cada vez melhor para se viver.

Por isso, acompanhe-nos nesta leitura para compreender, de forma mais aprofundada, o verdadeiro poder da empatia e como você pode desenvolvê-la, a fim de viver cada vez mais em harmonia com aqueles que o cercam. Continue em frente e saiba mais!

O que é a empatia?

Essa palavrinha mágica e poderosa, de origem grega, significa ter a habilidade de entender a necessidade do outro. É sentir o que uma pessoa está sentindo, colocar-se no lugar dela e ver o mundo pela sua perspectiva. É ter a sensibilidade de ouvir alguém na essência e entender os seus desconfortos e as suas alegrias. É ver as suas vitórias e se alegrar, ver as suas tristezas e se convalescer.

De modo geral, a empatia é a capacidade que uma pessoa tem de vivenciar a dor e a alegria de outra, mesmo que a ligação entre elas não seja algo extraordinário, surreal ou de outra vida. Basta apenas que se tenha o coração aberto para entender que cada ser humano é único e passa por situações distintas, que acabam por moldá-lo.

Assim, não é necessária uma relação entre os envolvidos, ou seja, pode-se ver a empatia agindo em torno de pessoas desconhecidas, mas que estejam vivenciando algo em um mesmo espaço e tempo. Até mesmo assistindo a uma reportagem pela televisão, podemos vivenciar esse sentimento. Não se trata literalmente de sentir a dor do outro, mas de fazer esse exercício altruísta de tentar compreender as situações pela ótica de quem as vive.

De que forma a empatia nos torna melhores?

É importante ressaltar que não podemos simplesmente ver os problemas e as alegrias de alguém com os nossos olhos, como se fossem nossos, com a nossa vivência, com a nossa história de vida, com a nossa bagagem emocional, achando que absorvemos o que o outro está passando.

Cada um passa por uma série de acontecimentos que forma a sua personalidade e a sua vida, de modo que não podemos achar que alguém tem um problema pequeno ou uma felicidade exacerbada porque não vemos assim. Cabe a nós tentar entender como o outro pensa, sente e age, ou ao menos como nós pensaríamos, sentiríamos e agiríamos se estivéssemos no lugar dele. Esse é o exercício da empatia, que, acima de tudo, nos leva a deixar os julgamentos de lado!

Todo mundo tem empatia?

De forma clara e direta, não!

Empatia é um sentimento, é uma qualidade do ser humano. Todavia, não são todas as pessoas que conseguem desenvolver essa habilidade. Não são todos os que nascem com empatia arraigada no seu ser. Alguns possuem grande dificuldade de desenvolvê-la.

Desenvolver a empatia demanda inteligência emocional e psicológica, sendo ela já existente ou a ser desenvolvida. Nem todos têm uma grande inteligência emocional para lidar com situações em que a empatia se faz necessária, mas é algo a ser desenvolvido.

Se você parar e pensar, vai ver que para ter empatia, é preciso, minimamente, saber ouvir e simpatizar com as dificuldades do outro. Portanto, aquelas pessoas que apresentam traços de psicopatia na sua personalidade não conseguem ou não têm a habilidade de desenvolver a empatia em qualquer forma.

Mas vale lembrar que existem casos de pessoas que não apresentam psicopatia e, ainda assim, não conseguem desenvolver o sentimento de empatia por outras pessoas. São, normalmente, pessoas com um grau elevado de egocentrismo e que somente veem as suas habilidades pessoais ao passar por problemas ou ao lidar com situações adversas.

Para esse tipo de pessoa que não consegue sentir empatia por outras, ainda existe a possibilidade de desenvolver esse sentimento. Assim, ela pode melhorar a capacidade de se colocar no lugar do outro, de entender as dificuldades que ele está enfrentando e de ajudá-lo a entender que isso tudo são oportunidades de melhoria e de evolução que a vida acaba oferecendo. Por ser um caso mais complexo, pode demandar mais tempo para que a empatia possa ser desenvolvida, mas não é algo impossível.

Mas como desenvolver a empatia?

Como foi mencionado no parágrafo acima, é sabido que é possível desenvolver o sentimento de empatia por outra pessoa. Contudo, pode ser que isso leve tempo e exija um esforço maior daquele que está em busca desse desenvolvimento.

É importante ter em mente que o que vale nesse processo é a busca e o interesse pela evolução pessoal, pois, de certa forma, sentir empatia por outra pessoa é um sinal de que você está crescendo. Isso ocorre porque, ao enxergamos as necessidades e os sentimentos dos outros, abrimos a nossa mente e o nosso coração para o mundo à nossa volta. Assim, caminhamos em direção a um desenvolvimento maior e mais completo.

Com o tempo e com algumas técnicas, a empatia consegue ser desenvolvida e fixada no interior de uma pessoa. Veja algumas dessas técnicas que podem ser trabalhadas desde já:

  • Esteja disposto a ouvir na essência o que aflige a outra pessoa. Quando ouvimos o outro, damos abertura para que ele nos mostre o seu mundo e a sua realidade, oferecendo um lugar seguro para o outro.
  • Tente deixar de lado os preconceitos e julgamentos. Ouvir o que o outro tem a dizer, sem uma carga prévia de padrões de “certo” e “errado”, nos faz entender melhor o que ele vive e por que age como age.
  • Não faça comparações com outros casos. Cada pessoa tem uma carga emocional própria. Quando comparamos, diminuímos a situação do outro.
  • Passe a conversar com pessoas diferentes. Ao conversarmos com diversas pessoas observamos e compreendemos diversos pontos de vista e variadas vivências, expandindo os nossos horizontes.
  • Estabeleça um laço de confiança com as pessoas e seja sincero e gentil. A gentileza é capaz de grandes maravilhas nas vidas dos seres humanos.

Qual é o poder da empatia nas nossas vidas?

Sentir empatia por uma pessoa ou por um fato que esteja acontecendo com alguém pode fazer bem, tanto para a pessoa quanto para quem tem a capacidade de expressar esse sentimento extraordinário.

O poder que a empatia tem dentro do ser humano é enorme. Se você sente que consegue ter empatia por alguém, passe a prestar mais atenção no que vem acontecendo a sua volta. Caso você não sinta, ou tenha dificuldade nesse ponto, comece com pequenos exercícios e gestos, como os que acabamos de citar, pois isso mudará o seu ponto de vista acerca das pessoas ao redor.

Pequenas transformações acontecem ao longo do tempo, sendo que as pessoas passarão a procurar você com mais frequência para desabafar ou contar algo que tenha ocorrido. Elas confiarão e respeitarão a sua opinião cada vez mais, e você passará a ser a primeira opção para aqueles que precisam se sentir mais acolhidos.

Para a pessoa que sente empatia por outra, isso pode ser algo transformador. Muitas vezes, sentir que está sendo útil para outra pessoa pode ser o que faltava para se sentir verdadeiramente vivo. Perceba que os benefícios existem tanto para quem busca por colo quanto para quem oferece o ombro. Viva o lado bom da humanidade!

E aí, querida pessoa: conseguiu saber se você sente empatia pelas pessoas? Use o espaço abaixo para deixar o seu comentário. Conte-nos as suas experiências. Além disso, se você achou o artigo interessante e quer mostrá-lo a um amigo que tem todas as características de uma pessoa empática, compartilhe-o nas suas redes sociais!

José Roberto Marques

Sobre o autor: José Roberto Marques é referência em Desenvolvimento Humano. Dedicou mais de 30 anos a fim de um propósito, o de fazer com que o ser humano seja capaz de atingir o seu Potencial Infinito! Para isso ele fundou o IBC, Instituto que é reconhecido internacionalmente. Professor convidado pela Universidade de Ohio e Palestrante da Brazil Conference, na Universidade de Harvard, JRM é responsável pela formação de mais de 50 mil Coaches através do PSC - Professional And Self Coaching, cujo os métodos são comprovados cientificamente através de estudo publicado pela UERJ . Além disso, é autor de mais de 50 livros publicados.



*Esse conteúdo não é fonte para veículos jornalísticos ou matérias para imprensa, para utilização ou referência por favor entre em contato conosco.

Deixe seu Comentário

IBC - Instituto Brasileiro de Coaching: Av. Prof. Venerando Freitas Borges, 561 - Setor Jaó - Goiânia/ GO - CEP: 74.673-010