Riscos dos ciberataques para pequenos negócios

Hacker encapuzado usando seu computador com informações diferentes

Veja algumas dicas de como evitar ataques cibernéticos em pequenas empresas.

O número de crimes virtuais cresceu exponencialmente após a pandemia do novo coronavírus. O fato de mais pessoas usarem a internet para resolver questões básicas do dia a dia acendeu o alerta dos cibercriminosos. Para se ter uma ideia, em 2021, foram 27 milhões de dados vazados e mais de 88,5 bilhões de tentativas desse tipo de ataque. 

Os riscos cibernéticos já são considerados como a principal preocupação dos empreendedores brasileiros. O investimento em segurança é imprescindível para evitar ameaças e crimes cibernéticos. Embora seja mais comum relacionar os riscos de ciberataques a grandes companhias, é possível que as pequenas empresas também sejam impactadas. 

Para os pequenos empreendimentos esse tipo de ataque pode significar até mesmo o fechamento da empresa. Os empreendedores que estão à frente de micro e pequenos negócios devem colocar em prática uma série de ações para evitar esse tipo de golpe. Continue lendo para entender mais esses riscos para pequenos empreendimentos e como evitá-los.

Por que os ataques cibernéticos aumentaram?

Durante a pandemia de Covid-19, foi necessário adotar o sistema de trabalho remoto e esse foi o principal motivo para o aumento dos ataques cibernéticos. Os sistemas se tornaram mais vulneráveis devido ao fato de que muitos profissionais deixaram de trabalhar internamente nas organizações. 

A vulnerabilidade de roteadores e computadores domésticos representou a porta de entrada para a aplicação de uma série de golpes pela internet. Tornou-se essencial, então, que empresas de todos os portes adotassem medidas mais rigorosas de segurança digital. 

Quais são os riscos de ciberataques para pequenos negócios?

Companhias de todos os portes estão suscetíveis a incidentes de segurança digital. Para toda e qualquer empresa esse tipo de acontecimento representa prejuízos financeiros e arranhões em sua imagem corporativa. Isso significa que micro e pequenos negócios também podem ser afetados por esse tipo de crime.

Ataques cibernéticos comprometem o setor financeiro, os dados e os equipamentos da organização. Quando um hacker acessa a rede pode causar danos ou roubar informações como os dados bancários, dados de cartões de crédito, listas de clientes, designs dos produtos, planejamento da companhia, entre outros. Em suma, os riscos dos ciberataques se estendem muito além do ambiente corporativo. 

Grandes empresas têm mais facilidade para contornar os prejuízos gerados por esse tipo de ataque. Contudo, para os pequenos empreendimentos um ataque de grandes proporções pode acarretar no encerramento das atividades.

Esse ataque pode gerar prejuízos bastante elevados como roubo de informações bancárias, suspensão das vendas (especialmente para os e-commerces), custos altos de TI para eliminar as ameaças, entre outros. 

Dicas de como evitar ataques cibernéticos em pequenas empresas

De maneira geral, os ataques cibernéticos acontecem de surpresa devido à falta de preparo dos empreendimentos. Contudo, algumas medidas simples podem ajudar a evitar o roubo de dados. Confira abaixo algumas dessas ações cruciais para a proteção do seu negócio: 

– Não clique em links de e-mails cujos remetentes são desconhecidos. Tenha o cuidado de observar com atenção os endereços dos remetentes, pois alguns cibertaques ocorrem simulando emails de empresas que realmente existem como bancos, por exemplo. Não abra anexos de remetentes que você não conhece. 

– Não envie nomes de usuários, senhas, dados financeiros ou quaisquer outras informações relevantes por email ou por ligação telefônica. 

– Crie senhas fortes e evite usar a mesma senha em diferentes contas. 

– Faça a autenticação de dois fatores quando isso for possível. 

– Instale e escaneie os sistemas usando um software antivírus de sua confiança. 

– Faça sempre o backup dos dados do empreendimento. 

– Use sempre redes Wi-Fi seguras, evitando o uso de redes públicas. 

– Migre para a nuvem.

– Tenha um provedor de serviços de segurança.

Investimento em segurança

Os ciberataques cresceram consideravelmente e investir em segurança é essencial. Micro e pequenos negócios devem investir em softwares atualizados para a identificação de atividades suspeitas. Também é válido investir em serviços especializados de empresas para a detecção de vulnerabilidades nos sistemas. Inclusive essa pode ser a solução mais rápida e em conta. 

As empresas de pequeno porte devem também ter um planejamento para saber como agir no caso de um ataque cibernético. Os colaboradores devem saber como agir e ter uma sequência de passos para realizar reduzindo assim os danos. A internet facilitou muito as nossas vidas, porém, também abriu a possibilidade para novos tipos de golpes. 

Golpes cibernéticos: conheça os mais utilizados 

A seguir você poderá conhecer com mais detalhes os cinco tipos de ciberataques mais usados nos últimos tempos. 

1. Ransomware

Trata-se de um malware com a capacidade de bloquear o computador e criptografar dados e arquivos. Os hackers assumem o controle do computador e exigem resgate, quase sempre em criptomoedas. Eles oferecem um código de descriptografação do sistema infectado. Nos últimos anos, os ataques de Ransomware tem aumentado consideravelmente. 

2. Golpes com QR Code

Nesse tipo de golpe os hackers alteram os códigos verdadeiros de QR Code, modificando, assim, o link que será acessado. O usuário é então direcionado para uma página falsa que encaminha o pagamento para a conta do golpista. Além disso, os QR Codes falsos podem ser usados para a instalação de aplicativos com malware que infectam smartphones e roubam dados. 

3. Phishing

Os cibercriminosos que adotam esse tipo de ataque criam armadilhas na forma de e-mails, mensagens de WhatsApp, entre outros. Basicamente, os usuários são direcionados a sites maliciosos. Uma estratégia bastante usada para o roubo de dados como logins e senhas. 

4. Web skimmers

Nesse ataque, o invasor introduz um código malicioso em um site com o objetivo de roubar informações de cartões de crédito. Geralmente, os alvos são lojas virtuais, em especial devido ao aumento do volume de compras online durante a pandemia. 

5. Infostealer

Trata-se de um vírus que rouba informações da vítima para a solicitação de recompensa financeira para o hacker. Os dados roubados (como dados bancários, fotos, documentos entre outros) são enviados para um servidor remoto. O invasor consegue então ter acesso a esses dados e realizar ações fraudulentas. 

Os ciberataques são riscos reais para empreendimentos de todos os portes, tomar medidas é essencial!

José Roberto Marques

Sobre o autor: José Roberto Marques é referência em Desenvolvimento Humano. Dedicou mais de 30 anos a fim de um propósito, o de fazer com que o ser humano seja capaz de atingir o seu Potencial Infinito! Para isso ele fundou o IBC, Instituto que é reconhecido internacionalmente. Professor convidado pela Universidade de Ohio e Palestrante da Brazil Conference, na Universidade de Harvard, JRM é responsável pela formação de mais de 50 mil Coaches através do PSC - Professional And Self Coaching, cujo os métodos são comprovados cientificamente através de estudo publicado pela UERJ . Além disso, é autor de mais de 50 livros publicados.



*Esse conteúdo não é fonte para veículos jornalísticos ou matérias para imprensa, para utilização ou referência por favor entre em contato conosco.

Deixe seu Comentário

IBC - Instituto Brasileiro de Coaching: Av. Prof. Venerando Freitas Borges, 561 - Setor Jaó - Goiânia/ GO - CEP: 74.673-010
CNPJ: 31.328.744/0001-63