3 Dicas do que “falar sobre mim” na entrevista dos meus sonhos

o que falar em uma entrevista de emprego

O que “falar sobre mim” em uma entrevista de emprego?

Dentre todas as etapas e perguntas de um processo seletivo para concorrer a uma vaga de trabalho, uma pergunta que é capaz de deixar qualquer candidato desnorteado é: quem é você?

Falar sobre si mesmo é uma tarefa difícil, principalmente para quem não tem conhecimento sobre si mesmo. Além disso, a timidez pode ser um fator que faça dessa pergunta algo temido por muitos candidatos.

Aposto que você está neste momento com uma pergunta apenas em mente: o que falar sobre mim em uma entrevista? Para te ajudar a encontrar a resposta com segurança e de maneira objetiva, confira algumas dicas que contribuirão positivamente com o seu sucesso no processo seletivo.

Qual o melhor caminho para a felicidade?

Preencha AGORA o formulário para descobrir!

1. Esqueça a falsa modéstia

Tem gente que acredita que ser um falso modesto fará com que o entrevistador veja o candidato como alguém simpático. Entretanto, tal tática já se tornou algo obsoleto e só reforça a falta de autoconhecimento por parte do indivíduo. Por isso, seja sincero ao falar de suas qualidades e também dos seus defeitos. Diminuir os seus feitos e as suas conquistas não demonstrará simpatia, mas sim baixa autoestima.

Não seja falso modesto na hora de falar de si mesmo. É claro que você também não precisa exagerar e cair na arrogância, o que certamente é um ponto prejudicial aos candidatos em qualquer vaga. Contudo, saiba que não há nada de mal em fazer um pouco de marketing pessoal. Lembre-se de que você está na entrevista especificamente para “vender o seu peixe”, e todos os outros candidatos estão fazendo o mesmo. Sim, é uma competição. Encare-a como tal.

2. Fale de seus defeitos e limitações

Somos todos seres de luz, mas não somos seres perfeitos. Temos defeitos e limitações, como todo ser humano tem. Durante a entrevista, não tente se passar por alguém livre de defeitos porque isso é uma prova autêntica de que você não tem sido sincero ao longo da entrevista. Aliás, há até mesmo entrevistadores que perguntam especificamente sobre os defeitos do candidato.

É claro que você não pode cair na ingenuidade de entregar um defeito que certamente lhe tirará do processo seletivo. Um psicólogo, por exemplo, nunca pode dizer que é impaciente, ou um vendedor revelar que é extremamente tímido.

Além disso, ao falar das suas limitações, é importante comentar também o que você tem feito para superá-las. Além de revelar sinceridade e honestidade, isso mostrará que você se conhece e que busca ser uma pessoa melhor a cada dia. Essa procura por uma evolução constante será muito bem-vista ao longo do processo seletivo.

3. Seja criativo

Este é um momento para falar de alguém muito importante e especial: você! Por que então não fazer dessa pergunta uma oportunidade para falar de um jeito criativo sobre você mesmo? Uma frase motivacional, a opinião de amigos e até mesmo um pequeno roteiro do filme que a sua vida poderia ser são algumas das maneiras criativas para falar sobre si mesmo.

Diversificar esses formatos de resposta mostra que você, além de conhecer bem quem você é, ainda é uma pessoa segura, criativa e ousada; ou seja, possui características que são valorizadas em praticamente qualquer empresa, independentemente de seu porte ou área de atuação.

Vale ressaltar ainda que é importante que você se conheça para falar de si mesmo com mais propriedade e segurança. O coaching possui técnicas e ferramentas que promovem o autoconhecimento. Uma pessoa que não conhece a si mesma jamais conseguirá responder a essa pergunta com desenvoltura e sinceridade — traços muito procurados pelos recrutadores.

4. Comente sobre seu estilo de vida

Quando um recrutador faz a clássica pergunta “o que você pode me dizer sobre você?”, ele quer te conhecer melhor, não apenas em sua vida profissional, mas também em sua vida pessoal. Ele não está interessado em detalhes muito íntimos, mas quer conhecer o seu estilo de vida, em linhas gerais, para saber se o seu jeito de ser é compatível com a cultura da empresa.

Por isso, esse é o momento de falar sobre sua personalidade, sua família, seus passatempos preferidos nas horas livres, sua bagagem cultural, suas experiências diversas, suas viagens, seus trabalhos voluntários, suas paixões, enfim, tudo aquilo que mostra nas entrelinhas quem você é.

Nesse momento, seja verdadeiro. Não queira parecer alguém que você não é. Entrevistadores geralmente observam sua linguagem corporal, seu tom de voz, e até mesmo aquele brilho no olhar que revela quem está sendo genuíno.

5. Relate seus objetivos e sonhos

Ao falar sobre você mesmo, é importante falar sobre seus objetivos e sonhos. Isso mostra a sua ambição, a sua determinação e a sua força de vontade. Além disso, o recrutador poderá perceber novamente se você está alinhado às expectativas da empresa.

Por exemplo: se você estiver participando de um processo seletivo cuja empresa oferece um excelente plano de carreira em longo prazo, não faz sentido dizer que seu maior sonho é morar no exterior daqui a 2 anos (a não ser que a empresa tenha uma unidade em outro país, e você esteja interessado em trabalhar nela).

Por isso, tome cuidado para que seus objetivos e sonhos (pessoais ou profissionais) não te distanciem daquilo que a empresa tem a te oferecer.

6. Conte experiências profissionais que não estão no currículo

O currículo é um documento que relata resumidamente a sua escolaridade e a sua experiência profissional prévia. Se você foi convocado para uma entrevista, isso quer dizer que o recrutador já analisou essas informações e viu nelas algo de interessante.

Na entrevista, não é interessante repetir tudo o que já está no seu currículo. Por isso, encare-a como uma oportunidade de levar mais detalhes sobre essas experiências. Fale sobre momentos em que você foi importante para as empresas onde trabalhou anteriormente, cite projetos em que você fez a diferença e relate situações complicadas em que as suas características o ajudaram a encontrar a solução.

7. Mostre como você pode ajudar a empresa, e vice-versa

Aproveitando o item anterior, os seus relatos pessoais sobre experiências prévias oferecerão ao recrutador uma noção realista sobre como você pode ser útil para a empresa. Por “útil”, entende-se não apenas o seu conjunto de conhecimentos técnicos referentes à vaga, mas também o alinhamento entre a sua personalidade e a cultura organizacional.

Além disso, também é importante que você mostre que pode crescer junto com a empresa. Demonstre que você deseja progredir, especializar-se em determinada função, adquirir novos conhecimentos, diversificar suas experiências. Mostre que você conhece bem a empresa (sua história, sua reputação, sua cultura) e que ela pode ter muito valor ao progresso de sua carreira. Deixe claro que essa relação pode ser benéfica para os dois lados.

Que as dicas acima te ajudem a encontrar e conquistar oportunidades de trabalho maravilhosas!

E você, tem alguma dica que pode compartilhar conosco? O que você pensa a respeito? Use o espaço abaixo para nos contar sobre as suas experiências individuais que deram certo e a sua opinião sobre o assunto. Assim, você poderá ajudar outras pessoas (e quem sabe ser ajudado!) por meio do compartilhamento de vivências pessoais.

Por fim, se este artigo foi útil para você, não se esqueça de compartilhá-lo com seus amigos, colegas e familiares, por meio de suas redes sociais.

Copyright:658067944 – https://www.shutterstock.com/pt/g/fizkes

José Roberto Marques

Sobre o autor: José Roberto Marques é referência em Desenvolvimento Humano. Dedicou mais de 30 anos a fim de um propósito, o de fazer com que o ser humano seja capaz de atingir o seu Potencial Infinito! Para isso ele fundou o IBC, Instituto que é reconhecido internacionalmente. Professor convidado pela Universidade de Ohio e Palestrante da Brazil Conference, na Universidade de Harvard, JRM é responsável pela formação de mais de 50 mil Coaches através do PSC - Professional And Self Coaching, cujo os métodos são comprovados cientificamente através de estudo publicado pela UERJ . Além disso, é autor de mais de 50 livros publicados.



*Esse conteúdo não é fonte para veículos jornalísticos ou matérias para imprensa, para utilização ou referência por favor entre em contato conosco.

Deixe seu Comentário

IBC - Instituto Brasileiro de Coaching: Av. Prof. Venerando Freitas Borges, 561 - Setor Jaó - Goiânia/ GO - CEP: 74.673-010
CNPJ: 31.328.744/0001-63

This will close in 0 seconds