História do Marketing: conheça a origem e sua evolução

pessoa usando um notebook e ícones de marketing do lado

Veja uma linha do tempo mostrando a evolução do marketing em cada fase da história.

Se disséssemos que o marketing é tão antigo quanto a história da civilização, você acreditaria? Obviamente, há milhares de anos essa atividade não era nomeada assim e seus processos eram bem diferentes. No entanto, desde que se iniciaram as primeiras relações comerciais, o homem compreendeu que a persuasão era uma grande aliada para concretizar seus negócios. 

Por volta dos anos 1940, foram publicados os primeiros artigos de base para esse conceito. Porém, não há uma data definida para a origem do marketing como conceito. Continue lendo para entender mais sobre o conceito, sua origem e a sua evolução ao longo da história. 

O que é marketing?

Em linhas gerais, marketing pode ser definido como a capacidade de explorar, criar e entregar valor que satisfaçam as necessidades do mercado. Esse método objetiva despertar o interesse dos consumidores para produtos ou serviços que resolvam as suas demandas. A ideia central é chamar a atenção do cliente, criando valor para estabelecer relacionamentos lucrativos para as duas partes.

Vivemos rodeados pelo marketing, basta prestar um pouco de atenção que você perceberá inúmeros estímulos dessa natureza. O marketing pode ser extremamente vasto e se desenvolver muito além do ato de vender produtos ou serviços. Refere-se a tudo o que diz respeito a planejamento, pesquisa de mercado e posicionamento.

Qual é a origem do marketing?

Em 1450, Gutenberg inventou a prensa tipográfica, uma invenção que transformou a comunicação humana. Tornou-se possível produzir textos em massa e, assim, distribuí-los para mais pessoas. Antes disso, era necessário que todos os textos fossem escritos à mão. 

A prensa permitiu que os primeiros anúncios impressos fossem criados. Nesse período, esses anúncios eram a forma mais elaborada de marketing. A concorrência era restrita e as mercadorias eram comercializadas em grandes volumes e com baixo custo. Nesse contexto, os consumidores se tornaram meros receptores em massa de propaganda. 

Tudo o que era produzido após a Revolução Industrial, era vendido. A demanda era bastante superior à oferta. Não havia preocupação das empresas em relação à qualidade do que era comercializado e nem com as exigências dos clientes. 

Marketing: o impulso dado pelas guerras

Após a Segunda Guerra Mundial (1939-1945), cresceu consideravelmente a concorrência. Os mesmos produtos que antes eram comercializados em larga escala passaram a ser estocados. As empresas mudaram seu foco da produção em massa para as vendas. O marketing ganhou maior relevância exatamente para aumentar o alcance dessas companhias. 

Vender era fundamental a qualquer custo. Os principais aliados nessa missão eram os jornais, revistas, outdoors, rádio e televisão (a partir da década de 1940). Na década de 1950, o Brasil vivia um momento de grande crescimento econômico e desenvolvimento industrial. 

Conheça a evolução do Marketing

A seguir apresentaremos uma linha do tempo mostrando a evolução do marketing em cada fase da história. Iniciaremos essa linha na década de 1950 por ter sido esse o momento em que o Brasil teve uma participação mais ativa nesse segmento. 

Década de 1950

O marketing no Brasil teve início na década de 1950. Esse momento histórico foi marcado pelo processo de industrialização e mudanças tecnológicas profundas durante o governo de Juscelino Kubistchek. A televisão chegou ao país promovendo uma verdadeira revolução. Até esse momento, os jornais, rádios e revistas dominavam. 

O foco do marketing era vender, boa parte dos brasileiros vivia no campo. Nos anos 1950, iniciaram os primeiros estudos a respeito de marketing nas universidades brasileiras. 

Década de 1960

Os departamentos de marketing começaram a se tornar mais sofisticados e com atenção para as estratégias de produção. Dentre as preocupações mais relevantes desse setor estavam o que produzir, onde vender, como definir valor e como anunciar. Nesse período, grandes multinacionais como Gessy-Lever, Nestlé, Anakol e Gillette organizaram suas áreas comerciais em função do marketing e não mais das vendas. 

Nos anos 1960, surgiram grandes estudiosos do marketing que elaboraram conceitos relevantes para a área até hoje. Philip Kotler, considerado um dos maiores nomes da área, lançou a primeira edição do livro “Administração de Marketing” nessa década. No Brasil, a população urbana se tornou maior do que a rural nessa década. Surgiu, então, um novo tipo de consumidor. 

Década de 1970

O cliente se tornou mais exigente na década de 1970 e o marketing se consolidou ainda mais. O Brasil vivia o chamado “milagre econômico” e os consumidores mudaram sua mentalidade.

Havia mais atenção para itens como preço e qualidade dos produtos. O marketing deixou de ser uma opção e passou a ser essencial para a sobrevivência. Nessa década surgiram definições de público-alvo e segmentação de mercado. 

Década de 1980

A década de 1980 foi marcada por disputas bastante acirradas entre as marcas. A atenção do consumidor passou a ser disputada em uma espécie de “guerra”. A maior concorrência e a exigência mais elevada dos clientes estabeleceu um padrão alto de metas de vendas para as companhias. 

A era da informação levou ao nascimento do Marketing 2.0. Nessa década surgiram os chamados “gurus do marketing” que levaram os conhecimentos para as massas e empresas de diferentes portes. O Brasil passava por um momento difícil com inflação elevada, congelamento de salários e recessão. 

Década de 1990

Nessa década teve início a popularização da internet e o início de um mundo globalizado. Foram criadas ferramentas como redes sociais, buscadores, blogs e e-mail.

O marketing digital deu seus primeiros passos nesse período com as técnicas de SEO e investimento em produção de conteúdo para web. A sociedade passa a se preocupar mais com o meio ambiente. Nasceu, então, um mercado com foco em valores, o chamado marketing 3.0.

Anos 2000

O novo século trouxe uma série de transformações. Os consumidores não compravam somente por necessidade e nem davam tanta importância para os preços. As redes sociais ganharam muita força, levando ao surgimento de novas estratégias. Os usuários passaram a poder anunciar nas plataformas de redes sociais.

Anos 2010

A jornada do consumidor ganhou grande importância para as marcas, levando ao surgimento do marketing 4.0. Clientes satisfeitos ajudam e muito a divulgar a marca. As redes sociais e o acesso a ferramentas de busca se tornaram ainda mais fortes. 

Logo, os consumidores passaram a poder comparar preços e qualidade entre as marcas. Quando a empresa não se preocupa com sua presença na web tem grandes chances de perder clientes. 

Essa é a história do marketing e sua evolução! Aproveite para comentar abaixo e compartilhar o conteúdo para levar o conhecimento adiante!

José Roberto Marques

Sobre o autor: José Roberto Marques é referência em Desenvolvimento Humano. Dedicou mais de 30 anos a fim de um propósito, o de fazer com que o ser humano seja capaz de atingir o seu Potencial Infinito! Para isso ele fundou o IBC, Instituto que é reconhecido internacionalmente. Professor convidado pela Universidade de Ohio e Palestrante da Brazil Conference, na Universidade de Harvard, JRM é responsável pela formação de mais de 50 mil Coaches através do PSC - Professional And Self Coaching, cujo os métodos são comprovados cientificamente através de estudo publicado pela UERJ . Além disso, é autor de mais de 50 livros publicados.



*Esse conteúdo não é fonte para veículos jornalísticos ou matérias para imprensa, para utilização ou referência por favor entre em contato conosco.

Deixe seu Comentário

IBC - Instituto Brasileiro de Coaching: Av. Prof. Venerando Freitas Borges, 561 - Setor Jaó - Goiânia/ GO - CEP: 74.673-010
CNPJ: 31.328.744/0001-63

This will close in 0 seconds