Os efeitos do bullying no ambiente de trabalho

Pessoas fazendo bullying

Bullying é uma agressão, não permita que o façam com você! / Copyright: Dusan Petkovic

Há algum tempo, a questão do bullying no ambiente de trabalho vem sendo mais debatida. A observação das consequências nocivas para os profissionais que passam por essa situação tem despertado a atenção de empresas de todos os portes. 

As vítimas podem ter a sua saúde mental e, em alguns casos também a física, impactada. No artigo a seguir iremos explicar melhor o que é bullying, como ele acontece no ambiente de trabalho e quais são seus potenciais efeitos. 

O que é bullying?

Em linhas gerais, o bullying consiste em um conjunto de ações contínuas e intencionais de caráter violento. Essas agressões podem ser físicas, verbais ou virtuais e têm como objetivo ofender, desmoralizar e/ou isolar um indivíduo.  

A palavra bullying se origina do termo em inglês “bully” que, por sua vez, refere-se aos valentões. Aquelas pessoas que se comportam de forma tirânica, que se aproveitam de sua força física ou do seu poder em determinado contexto social para intimidar os outros. 

A palavra “bully” também pode ser utilizada na forma de verbo para expressar ações, como maltratar, ameaçar, intimidar ou assustar alguém. A palavra bullying foi adotada para descrever a intimidação constante na década de 1980 em decorrência dos estudos de Dan Olweus, professor da Universidade da Noruega

E o que bullying no ambiente de trabalho?

Por muito tempo, a palavra bullying foi associada apenas ao ambiente escolar. No entanto, percebe-se que essa intimidação constante acontece com bastante frequência também no ambiente de trabalho. No contexto profissional, o bullying se caracteriza por ações contínuas que tem o intuito de subjugar, inferiorizar e/ou isolar alguém. 

Pode se manifestar na forma de piadas, fofocas, ameaças ou até pela exclusão de um colaborador. De acordo com a Lei nº 13.185, existem oito tipos de bullying:

1. Verbal

Por meio de xingamentos, insultos e apelidos pejorativos.

2. Moral

Acontece através de calúnias, difamação e espalhamento de boatos. 

3. Sexual

Caracteriza-se pelo assédio, indução ou pelo abuso do outro. 

4. Social

Manifesta-se pelo ato de ignorar, excluir e isolar uma pessoa propositalmente. 

5. Psicológica

Diz respeito a perseguir, intimidar, amedrontar, chantagear, manipular ou dominar outra pessoa. 

6. Física

Agredir fisicamente os outros com socos, chutes etc. 

7. Material

Praticar furtos, roubos ou destruir objetos que pertencem a alguém.

8. Virtual

Depreciar outra pessoa através de meios digitais, seja pelo envio de mensagens intrusivas, adulteração de fotos e dados pessoais ou pelo envio de conteúdos inadequados. 

Lembrando que considera-se bullying quando as ações de intimidação são recorrentes. Então, atos isolados não são considerados bullying. Quando alguém diz ou faz algo que te desagrada, pontue que não gostou. Caso se repita mais vezes, aí se pode entender como realmente um caso de intimidação. 

Quais os efeitos do bullying no ambiente de trabalho? 

A prática de bullying no ambiente de trabalho impacta consideravelmente o clima organizacional. A intimidação de um ou mais colaboradores leva ao estremecimento e rompimento de relações de confiança essenciais para os bons resultados da equipe. Em alguns casos, pode levar ao surgimento de sentimentos como medo e impotência até em quem não é vítima da intimidação. 

Para que fique mais claro, imagine que o gerente de marketing de uma empresa tem preconceito contra a religião de um de seus subordinados. Adotando uma postura antiética, ele começa a praticar bullying com esse profissional em uma reunião do setor. Ele faz uma piada que ridiculariza a religião dessa pessoa diante de todos.

O comportamento de intimidação piora ao longo das semanas seguintes. O chefe retira do profissional tarefas relevantes e que ele vinha realizando com competência. Tudo isso apenas porque não aprova a crença religiosa dele. Diante dos colegas, o gerente faz comentários pejorativos sobre o profissional. Até uma pessoa com excelente autoestima se abala ao receber ataques constantes sem nenhuma motivação. 

Essas ações, além de impactarem profundamente o agredido, geram incertezas nos demais. Os outros subordinados podem começar a ter medo de se tornarem o próximo alvo, de serem demitidos ou sofrerem punições. Essa sensação de impotência faz com que o profissional que está sofrendo bullying fique cada vez mais isolado. A seguir falaremos com mais detalhes sobre os efeitos do bullying na empresa. 

1. Queda da produtividade

Como mencionamos acima, não é apenas a pessoa alvo da intimidação que se afeta pelo bullying no ambiente de trabalho. Toda a equipe sente o clima tenso e inseguro que se cria e acaba perdendo o foco nas suas atividades. Uma consequência direta é a queda de produtividade. Os profissionais deveriam focar apenas em concluir suas atividades e não em se defender de ofensas.

2. Aumento do absenteísmo e turnover

Para os profissionais inseridos em um ambiente em que o bullying é normalizado, há apenas um desejo: não estar mais nesse lugar. A taxa de ausências (absenteísmo) aumenta consideravelmente. Os colaboradores inclusive tendem a ficar mais doentes devido a exposição a esse ambiente mentalmente tóxico. 

A taxa de turnover (rotatividade) também cresce, pois os profissionais, assim que têm uma oportunidade, tendem a trocar de empresa. Quando se observa que há grande rotatividade em um determinado setor, é válido investigar o que está acontecendo. 

3. Quadros de ansiedade e depressão

Ser vítima de bullying ou estar em uma equipe em que há esse tipo de situação pode agravar quadros de ansiedade e depressão. Aqueles que sofrem as constantes intimidações tendem a se manter alerta o tempo todo. Com o passar do tempo, a saúde mental desse indivíduo fica bastante prejudicada.

4. Conflitos constantes

O ambiente em que o bullying acontece se torna muito mais suscetível a desentendimentos, inclusive entre pessoas que não têm nada a ver com a intimidação. Cria-se uma atmosfera em que os colaboradores passam a normalizar discussões de forma acalorada com os colegas. 

5. Processos judiciais

Como citamos ao longo do artigo, há uma lei contra a prática de bullying. Uma vez que um profissional compreenda que está sofrendo esse tipo de intimidação, pode dar início a uma ação judicial. Para a empresa pode ser negativo se ver envolvida em um contexto desses. O ideal é que os gestores se mantenham atentos a possíveis casos de bullying, eliminando esse comportamento logo no início.

Bullying impacta a criatividade, a produtividade e o clima organizacional! Aproveite para deixar seu comentário sobre o assunto abaixo.

José Roberto Marques

Sobre o autor: José Roberto Marques é referência em Desenvolvimento Humano. Dedicou mais de 30 anos a fim de um propósito, o de fazer com que o ser humano seja capaz de atingir o seu Potencial Infinito! Para isso ele fundou o IBC, Instituto que é reconhecido internacionalmente. Professor convidado pela Universidade de Ohio e Palestrante da Brazil Conference, na Universidade de Harvard, JRM é responsável pela formação de mais de 50 mil Coaches através do PSC - Professional And Self Coaching, cujo os métodos são comprovados cientificamente através de estudo publicado pela UERJ . Além disso, é autor de mais de 50 livros publicados.



*Esse conteúdo não é fonte para veículos jornalísticos ou matérias para imprensa, para utilização ou referência por favor entre em contato conosco.

Deixe seu Comentário

IBC - Instituto Brasileiro de Coaching: Av. Prof. Venerando Freitas Borges, 561 - Setor Jaó - Goiânia/ GO - CEP: 74.673-010
CNPJ: 31.328.744/0001-63

This will close in 0 seconds