Como funciona a reciprocidade nos relacionamentos?

Casal abraçando e rindo

Saiba como funciona a reciprocidade nos relacionamentos.

Quase todo mundo já sentiu, pelo menos uma vez na vida, que estava vivendo uma relação sem reciprocidade. Seja uma amizade, uma relação familiar ou mesmo amorosa, quando há a sensação de que se dá mais do que se recebe, surge um grande incômodo. Mas, como funciona a reciprocidade em relacionamentos? 

Para entender se o sentimento é legítimo e como trabalhar com ele de forma saudável, é essencial compreender o que significa ser recíproco. A reciprocidade é a base para construir relações sólidas e honestas na vida. Contudo, é preciso compreender que se trata muito mais do que apenas retribuir aquilo que se recebe. Continue lendo para ter uma visão mais ampla do tema. 

Afinal, o que é reciprocidade?

A reciprocidade pode ser definida como uma troca realizada entre duas ou mais pessoas. Ser recíproco nas suas relações é determinante para viver de forma equilibrada. A felicidade e a tranquilidade dependem de trocas saudáveis em diferentes relações. 

Basicamente, a reciprocidade funciona como uma balança em que os dois lados são considerados. Assim, todas as partes recebem o que é justo, não havendo prejuízo para nenhuma delas. 

Como funciona a reciprocidade em relacionamentos? 

Qualquer relacionamento depende da reciprocidade para ser bom para todos os envolvidos. Isso vale para relações familiares, amorosas, profissionais e de amizade. Aquele que é recíproco garante uma relação justa, saudável e positiva para todos. 

Para que fique mais claro, imagine um relacionamento amoroso em que uma das partes ama muito e a outra não corresponde. Essa dinâmica não funciona porque não há reciprocidade, então, alguém dá mais do que recebe. Ser recíproco se baseia no respeito mútuo, afeto e consideração pelo outro. Ações reais precisam reforçar essa consideração para deixar a outra parte segura. 

A partir do exemplo fica mais fácil entender o que é a reciprocidade no amor. Trata-se de ouvir o outro e ser ouvido por ele. Compreender e ser compreendido é crucial para que se estabeleça uma troca positiva. Estar em uma relação recíproca é algo que edifica o amor e o transforma em algo transcendente. Quando não há reciprocidade, não tem como manter uma relação saudável e duradoura. 

Precisamos dizer que não é apenas em relações amorosas que a reciprocidade tem um papel tão importante. Em todo e qualquer tipo de relacionamento é necessário agir com respeito, demonstrando responsabilidade emocional. Somente com essa reciprocidade é que podemos alcançar o equilíbrio. 

Longevidade

Quando existe reciprocidade entre as partes envolvidas, os relacionamentos tendem a ser mais duradouros. Isso porque existe uma base sólida, honesta e justa para apoiar essas trocas. Quando agimos com respeito e consideração com o outro, a tendência é que ele nos devolva o mesmo. 

Além disso, agir com reciprocidade potencializa o nosso altruísmo. Ser altruísta consiste em ser prestativo e estar disposto a ajudar o outro abnegando de si mesmo e sem esperar nada em troca. Uma “consequência” de ser mais altruísta é atrair coisas boas para a sua vida mesmo que não haja interesse no retorno.

A pessoa faz algo bom pelo próximo sem esperar uma recompensa, mas acaba sim recebendo de volta algo positivo. Geralmente, aquele que recebe o auxílio se torna grato e, na primeira oportunidade, retribui. Além disso, o exemplo altruísta pode inspirar outras pessoas a também agirem assim criando uma verdadeira corrente do bem. 

Criar um círculo virtuoso em que as pessoas são mais altruístas e responsáveis emocionalmente é realmente algo a se almejar. A dica é começar a praticar a reciprocidade no seu dia a dia, aproveitando o que há de melhor nela. 

Mas, como saber se a recíproca é verdadeira?

Como ficou claro até esse ponto do artigo, a reciprocidade é algo essencial para ter uma vida saudável e feliz. No entanto, nem sempre conseguimos identificar com clareza se ela é ou não verdadeira. Mas, e se dissermos que é mais fácil do que parece identificar se é ou não de verdade? 

O segredo está em observar se a pessoa em questão age conforme aquilo que ela diz. As ações têm muito mais valor do que as palavras. Reciprocidade verdadeira é demonstrada através de ações e não de palavras.

Atitudes verdadeiramente recíprocas são aquelas que acontecem através de uma forma afirmativa e saudável. Quando a outra parte não mede esforços para corresponder, é sinal de que está sendo reciprocamente verdadeiro. 

Tem ainda o ponto de que ninguém consegue sustentar um personagem por muito tempo. Com certeza você já percebeu alguém que parecia ter um posicionamento, mas na prática agia de outra forma. Em algum momento, os indivíduos acabam se entregando. A dica é basicamente ficar atento às atitudes do outro para identificar se existe uma reciprocidade verdadeira. 

Obviamente, não devemos investir em relações desequilibradas em que se dá muito mais do que se recebe. Porém, também não podemos nos deixar levar pela criação de expectativas. Quando esperamos muito do outro, podemos nos decepcionar por não receber a retribuição esperada. Nem sempre as pessoas podem nos dar aquilo que esperamos delas. 

A reciprocidade, a autoestima e o autorrespeito

Podemos sair muito desgastados de relações falsas e injustas, aquelas em que se dá muito mais do que se recebe. Nesses casos, a outra parte demonstra não ter interesse em devolver o que recebe. Não há preocupação para que as coisas funcionem. Identificando uma situação assim, cabe a você refletir se vale mesmo a pena manter esses laços.

Uma relação sem reciprocidade pode se tornar bastante tóxica, algo que pode levar o seu bem-estar emocional a um risco verdadeiro. Quando os laços com pessoas que agem sem reciprocidade conosco são cortados, fortalecemos o autorrespeito. Entendemos que merecemos mais e que esse mais é estar em uma relação positiva para todas as partes. 

A reciprocidade, em linhas gerais, consiste em estar em uma relação saudável em que se dá foco para o amor-próprio. Lembre-se sempre de que não devemos procurar no outro aquilo que ele não está disposto ou não tem para nos dar ou compartilhar. Não existe “amor por dois”, “respeito por dois” e “manter uma relação por dois”. Ou a outra parte te corresponde e ajuda, ou não dá para seguir em frente.

Gostou de saber como funciona a reciprocidade nos relacionamentos? Você baseia suas relações nesse entendimento?

José Roberto Marques

Sobre o autor: José Roberto Marques é referência em Desenvolvimento Humano. Dedicou mais de 30 anos a fim de um propósito, o de fazer com que o ser humano seja capaz de atingir o seu Potencial Infinito! Para isso ele fundou o IBC, Instituto que é reconhecido internacionalmente. Professor convidado pela Universidade de Ohio e Palestrante da Brazil Conference, na Universidade de Harvard, JRM é responsável pela formação de mais de 50 mil Coaches através do PSC - Professional And Self Coaching, cujo os métodos são comprovados cientificamente através de estudo publicado pela UERJ . Além disso, é autor de mais de 50 livros publicados.



*Esse conteúdo não é fonte para veículos jornalísticos ou matérias para imprensa, para utilização ou referência por favor entre em contato conosco.

Deixe seu Comentário

IBC - Instituto Brasileiro de Coaching: Av. Prof. Venerando Freitas Borges, 561 - Setor Jaó - Goiânia/ GO - CEP: 74.673-010
CNPJ: 31.328.744/0001-63

This will close in 0 seconds