Dinheiro traz felicidade?

Copyright: ArtFamily Será que dinheiro pode trazer felicidade?

Muitas pessoas acreditam que felicidade está diretamente ligada às questões financeiras. É verdade que o dinheiro pode gerar estabilidade, oferecer segurança, comprar bens de consumo e experiências, e esses sim podem trazem momentos de prazer. É importante ter em mente que ser feliz é um estado de espírito, não uma constante.

Mas então, dinheiro traz ou não felicidade? De acordo com o dicionário felicidade pode ser definida como:

– Estado de quem é feliz;
– Ventura (fortuna, sorte);
– Bem estar, contentamento;
– Bom resultado, bom êxito;

É natural do ser humano a busca incessante por essa palavra chamada “felicidade”. Alguns apenas esquecem que é algo impalpável ou adquirível. Muitos nem sabem responder se são ou não felizes. Uma das crenças mais empregadas e ouvidas atualmente é que felicidade é ter dinheiro ou sucesso. Será que essa premissa está correta?

A Busca pela felicidade

Estudos realizados pela Universidade da Columbia Britânica em Vancouver, no Canadá, em conjunto com a Escola de Negócios de Harvard, em Boston, nos Estados Unidos, relatam que o dinheiro pode até não comprar o amor, mas ajuda sim a comprar a felicidade.

Existe uma condicionante para este fato, é preciso que você gaste esse dinheiro com outras pessoas. As pesquisas apontam que pessoas que gastam seu dinheiro com presentes para outros e fazem doações frequentes são mais felizes que os demais.
Dentre todos os entrevistados, os que gastavam com os outros se avaliavam mais felizes do que os que gastavam com si mesmos.

Além disso, um segundo estudo publicado no ano de 2012, realizado por pesquisadores britânicos revela a hipótese de que pessoas mais felizes e positivas tendem a atrair mais dinheiro que as outras. Ou seja, estar mais feliz, ajudando o próximo, muito provavelmente irá atrair mais riquezas para você.

Gaste seu dinheiro

Uma teoria recente sobre como o dinheiro pode trazer felicidade diz que para alcançá-la é preciso gastá-lo, sem claro, ficar no vermelho. Quem gasta com experiências é mais feliz do que aqueles que gastam com coisas. Essa foi uma conclusão que a Universidade de São Francisco teve após pesquisa realizada pelo psicólogo Ryan Howell.

Em se tratando de qual tipo de gasto deve-se ter, é onde algumas pessoas têm maior dificuldade de saber o que escolher, já que é difícil valorar as experiências, como viagens ou a prática de esportes radicais e acabam por tomar a decisão errada: compram objetos. O que acaba trazendo menos felicidade.

Para entender melhor, gastar uma boa quantidade de dinheiro em roupas por exemplo é muito menos prazeroso do que gastar essa mesma quantidade com uma viagem classificada como de primeira linha, mas grande parte da população tem dificuldade de mensurar o que se ganha com uma viagem e acaba por encher o guarda-roupas pois, acreditam que essa opção é mais palpável e de mais valor – afirma a pesquisa.

Talvez isso explique algumas compras sem sentido que ficam se avolumando em muitos cômodos por aí. E também porque o mercado de luxo se engaja tanto com esportes e outras atividades “de experiência”.

E você, acha que dinheiro traz ou não felicidade? Comente aqui sua opinião sobre o assunto e compartilhe esse artigo com seus amigos nas suas redes sociais.

O artigo é bom, né?

No IBC é assim, não custa nada evoluir e alcançar resultados extraordinários. Se você quer seguir por esse caminho de evolução é só baixar o nosso e-book gratuito,
Tudo sobre Coaching. Preencha o formulário abaixo com seus dados para ler.
Deixe seu Comentário

IBC - Instituto Brasileiro de Coaching: Av. Prof. Venerando Freitas Borges, 561 - Setor Jaó - Goiânia/ GO - CEP: 74.673-010