Quais são os impactos do sentimento de desvalorização?

Homem fechando o rosto com as mãos

Veja os principais impactos que o sentimento de desvalorização pode ter na vida de uma pessoa.

Pode ser desafiador falar sobre os próprios sentimentos e emoções, especialmente para outras pessoas. Expor para outros a forma como nos vemos em determinadas situações nos coloca em uma posição de vulnerabilidade. Todo mundo tem sentimentos negativos dentro de si. Em alguns indivíduos, um dos principais sentimentos dessa gama menos favorável é o de desvalorização.

Esse sentimento se configura em uma das feridas emocionais mais profundas e antigas que acompanham o ser humano. Curiosamente, exatamente por ser um companheiro de longa data, o sentimento de desvalorização não é tão fácil de identificar. Os seus impactos, por sua vez, são ainda mais obscuros. Continue lendo para entender melhor o tema. 

Preencha AGORA o formulário para descobrir!

O que é o sentimento de desvalorização?

Desvalorização entende-se como a perda ou não reconhecimento do valor de algo ou alguém. O sentimento de desvalorização, ou seja, de não enxergar ou atribuir valor a si mesmo, pode se manifestar em diferentes âmbitos. Por isso, algumas pessoas acreditam que se valorizam, porém, estão seguindo por esse tortuoso caminho em alguma esfera.

Reflita, você reconhece verdadeiramente o seu esforço em diferentes âmbitos, como social, familiar, profissional, entre outros? Valorizar-se não significa somente enfatizar as qualidades e habilidades em relação ao outro ou à rotina. O indivíduo que se valoriza aprende a cuidar bem de si mesmo e entende que é essencial manter a sua qualidade de vida.

Uma pessoa que se valoriza compreende que precisa e merece um tempo para descansar, para se respeitar e dar atenção a questões íntimas. Aquele que se valoriza entende que essa qualidade de vida almejada só depende de si mesmo. Não há a terceirização da sua felicidade. Isso significa que compreende que outras pessoas não são responsáveis pelo seu contentamento. 

Por que não colocamos em prática a valorização?

Você pode ter pensado que valorizar-se é algo relativamente simples e que está ao alcance de todos. Realmente, é uma atitude que todo mundo pode adotar em sua vida, no entanto, nem todos conseguem incluir em suas rotinas essa visão carinhosa de si.

Algumas pessoas desenvolvem desde cedo a ferida da desvalorização a partir da repetição de comportamentos de adultos que são referências ao longo do crescimento.

Ao longo da vida, podemos desenvolver uma série de sentimentos e inseguranças que levam a uma forte desvalorização. Fazem parte desse conjunto o sentimento de ser incapaz de realizar algo ou o sentimento de inferioridade.

A baixa autoestima e a falta de amor também podem estar no cerne dessa questão. Crescer acreditando que tais sentimentos são “normais” é o que leva tantas pessoas a se desvalorizarem.

Sentimento de desvalorização: quais são os impactos? 

O sentimento de desvalorização que acompanha tantas pessoas ao longo de suas vidas pode ter consequências bastante duras. Ter essa visão tão dura de si mesmo pode fazer com que seja criada uma forma de ser, estar, sentir e agir baseada na desvalorização. Cria-se a expectativa de que os outros lhe atribuam valor, ou seja, o indivíduo só acredita que tem valor quando ouve de alguém “você é valioso”.

Essa expectativa pode não se realizar ou não ser o suficiente. Em dado momento, a pessoa que não se valoriza pode começar a questionar o motivo do outro lhe dar valor. Terceirizar o reconhecimento do próprio valor pode gerar uma série de inseguranças que impedem a pessoa de avançar rumo à concretização de suas metas. 

Essa constante expectativa de que o outro lhe atribua valor cria uma profunda sensação de insatisfação. Ainda que o indivíduo que se desvaloriza encontre alguém que lhe diga o quanto ele vale, não há a completa satisfação do seu vazio interior. O problema está na ferida emocional que não fecha. Amar a si mesmo de forma incondicional e reconhecer seu valor é o primeiro passo para uma vida mais plena. 

Busca por uma perfeição impossível

Viver com o sentimento de desvalorização faz com que a pessoa busque o tempo todo ser melhor diante dos olhos daquele a quem pede amor. É criada uma imagem de perfeição a ser perseguida que não tem como ser satisfeita.

Quanto mais tempo se vive nessa dependência do amor de terceiros, mais o indivíduo se distancia da única verdade possível. Somente a própria pessoa poderá se amar da forma que necessita. 

Nenhum outro indivíduo pode atribuir a você o valor que tem, pois ninguém sabe o que é viver a sua vida com as suas dificuldades e ganhos. A sua vida é uma experiência única a qual somente você tem total acesso. Então, se não cuidar de si mesmo, mais ninguém poderá fazer isso em seu lugar. 

Outros impactos que o sentimento de desvalorização pode ter

Anteriormente falamos a respeito dos principais impactos que o sentimento de desvalorização pode ter na vida de uma pessoa. Confira abaixo outros desses impactos que podem ser facilmente observados.

Descuido com a aparência

Pessoas que não reconhecem seu valor tendem a ter autoestima baixa e isso pode levar a um desleixo com a própria aparência. Entre esses descuidos pode estar a falta de cuidado com as roupas e até mesmo com questões básicas da aparência, como manter o cabelo cortado, por exemplo.

Uma forma de iniciar o processo de desconstrução do sentimento de desvalorização é voltar a ter esses autocuidados. Tire um tempo da sua rotina para cuidar da sua aparência. Enquanto cuida do externo, reflita sobre o valor do interno.

Dificuldade de concluir tarefas

A desvalorização pode desencadear mecanismos de autossabotagem. O indivíduo que não se vê como capaz de realizar as tarefas a que se propõe pode começar a simplesmente evitar a sua conclusão. Se algo parece ser difícil, pode parecer mais simples procrastinar. Saiba que deixar para depois nunca é uma boa solução, então institua para si mesmo que irá concluir tudo o que começar.

Falta de clareza para se comunicar

Aquele que não reconhece o próprio valor tende a ter dificuldade para se comunicar efetivamente. Isso porque a pessoa dificilmente consegue encadear os seus pensamentos no sentido de transmiti-los. O indivíduo acredita que não tem nada a oferecer, então, não foca em comunicar os pontos mais importantes.

Evitar o prolongamento do sentimento de desvalorização é fundamental para fugir desses impactos!

O artigo é bom, né?

No IBC é assim, não custa nada evoluir e alcançar resultados extraordinários. Se você quer seguir por esse caminho de evolução é só baixar o nosso e-book gratuito,
Tudo sobre Coaching. Preencha o formulário abaixo com seus dados para ler.
José Roberto Marques

Sobre o autor: José Roberto Marques é referência em Desenvolvimento Humano. Dedicou mais de 30 anos a fim de um propósito, o de fazer com que o ser humano seja capaz de atingir o seu Potencial Infinito! Para isso ele fundou o IBC, Instituto que é reconhecido internacionalmente. Professor convidado pela Universidade de Ohio e Palestrante da Brazil Conference, na Universidade de Harvard, JRM é responsável pela formação de mais de 50 mil Coaches através do PSC - Professional And Self Coaching, cujo os métodos são comprovados cientificamente através de estudo publicado pela UERJ . Além disso, é autor de mais de 50 livros publicados.



*Esse conteúdo não é fonte para veículos jornalísticos ou matérias para imprensa, para utilização ou referência por favor entre em contato conosco.

Deixe seu Comentário

IBC - Instituto Brasileiro de Coaching: Av. Prof. Venerando Freitas Borges, 561 - Setor Jaó - Goiânia/ GO - CEP: 74.673-010
CNPJ: 31.328.744/0001-63