Como avaliar um profissional em dinâmicas de grupo?

Dinâmica de grupo Dicas para te ajudar a avaliar um profissional em uma Dinâmica de Grupo.

O uso de dinâmicas de grupo é uma opção de ferramenta que traz mais segurança e bons resultados para as empresas. O seu uso na tomada de decisões torna possível analisar as competências comportamentais de cada um. Para os recrutadores é uma excelente oportunidade de conhecer mais profundamente os perfis que estão disponíveis. 

É muito comum os jovens participarem dessas dinâmicas sem entender o seu objetivo. Porém, para uma organização que se encontra em um processo de seleção de um grande número de pessoas, a dinâmica de grupo facilita e muito. Permite filtrar tantos candidatos e avaliar um mix de comportamentos.

Mas, afinal, o que vem a ser uma dinâmica de grupo? E como avaliar um profissional durante esse tipo de atividade? Para saber mais sobre esse assunto, continue a leitura! 

Dinâmica em grupo e as avaliações 

A dinâmica de grupo está relacionada ao movimento e à vida, é a interligação entre os participantes desse grupo. Durante um processo de seleção é muito comum a utilização das dinâmicas de grupo para apresentação dos candidatos e identificação de comportamentos em uma determinada situação. 

Permite que os candidatos se sintam mais à vontade, “quebrando o gelo” e levando à maior espontaneidade individual. Mais importante do que realizar uma dinâmica de grupo é conhecer as reais necessidades de uma organização e ter um objetivo claro para sua utilização.

O objetivo de uma dinâmica é avaliar se o perfil comportamental dos candidatos está compatível com o da vaga em questão. Para isso, é necessário identificar as características que se quer avaliar.

No entanto, a dinâmica de grupo não traz benefícios somente para a empresa, ela também traz uma oportunidade para o candidato apresentar suas principais características, vivenciar uma nova experiência. Isso sem falar no que essas situações podem agregar em sua vivência profissional. 

É preciso entender que, durante uma dinâmica de grupo, as pessoas deixam transparecer suas características pessoais, o que facilita e muito descobrir quem é empreendedor, metódico, ágil ou criativo. Ajuda, também, a identificar as dificuldades em liderança, flexibilidade, trabalho em equipe e comunicação.

Em alguns casos, os candidatos cometem alguns deslizes na hora da dinâmica. Abaixo temos alguns exemplos do que precisamos nos atentar ao participar de uma dinâmica de grupo.

Como avaliar um profissional em dinâmicas de grupo

Confira a seguir dicas do que deve ser observado com mais atenção durante a realização das dinâmicas de grupo. Falaremos mais a respeito do que deve despertar a atenção do recrutador no momento em que estiver diante dos candidatos a uma vaga. 

1. Conhecimento de informações sobre a empresa e a vaga

Antes de ir para a entrevista, o candidato deve buscar informações a respeito da empresa que o entrevistará. Através da internet é possível conhecer o negócio e entender como ele está posicionado no mercado. Na entrevista, é interessante que o recrutador faça sondagens para tentar entender se o candidato fez pelo menos uma breve pesquisa. 

Durante a realização da dinâmica de grupo, é importante que o recrutador inclua alguns momentos em que o conhecimento sobre a empresa e a vaga seja importante. O interesse do candidato na oportunidade de trabalho diz muito sobre o seu potencial de ser bem-sucedido. 

2. Conhecimento de português e dificuldade em expressar ideias verbalmente

O recrutador deve se atentar para a forma como o candidato se expressa, se ele usa gírias ou expressões idiomáticas. Dinâmicas que demandam explicação verbal por parte do candidato permitem que ele seja devidamente avaliado nesse âmbito comunicacional.

A forma como o profissional fala a respeito do seu ponto de vista demonstra não somente o seu conhecimento linguístico, mas também a sua segurança. É interessante, ainda, que as dinâmicas permitam conhecer melhor os hábitos de leitura do candidato. Ler é imprescindível para ter um vocabulário mais amplo e para abrir a visão para novos horizontes. 

3. Humildade para falar a respeito das próprias qualidades

É importante destacar suas qualidades em uma entrevista. Porém, se o candidato se apresenta de forma arrogante, pode não ser uma boa aquisição para os quadros da companhia. A humildade para apresentar as qualidades e para interagir com os outros candidatos é fundamental para demonstrar que se está diante de uma pessoa com facilidade de relação interpessoal.

As dinâmicas de grupo possibilitam que o avaliador entenda quais são os candidatos mais promissores em relação às soft skills. Contratar pessoas que conseguem ter uma relação saudável com os colegas e não se colocam em um pedestal é importante para alcançar bons resultados. 

4. Participação das atividades, interação e exposição da opinião

O recrutador deve ficar especialmente atento aos candidatos que enrolam para não participar efetivamente das dinâmicas de grupo. Alguns profissionais são mais tímidos, no entanto, há também quem evite participar com mais entusiasmo para camuflar que não tem nenhuma característica relevante. 

O ideal é que os candidatos participem das atividades, interajam e exponham a sua opinião com respeito aos demais. A forma como os profissionais se colocam nessa situação de avaliação ajudará a entender como eles se colocarão em situações cotidianas de trabalho. Profissionais que têm grande conhecimento técnico, mas que não sabem se colocar em determinadas situações, podem não ter êxito. 

5. Controle do nervosismo

Inteligência emocional é determinante para ser um bom profissional. Então, o recrutador deve prestar atenção especialmente à forma como o candidato controla o seu nervosismo. Se ele fica muito nervoso durante a entrevista ou a dinâmica, provavelmente também ficará em situações que demandem rapidez para resolver problemas. 

Por isso, é importante que os avaliadores busquem desenvolver dinâmicas em que todos os candidatos precisem se expor. Mecânicas de sorteio podem desfavorecer que todos participem das mesmas situações propostas. Entender como o candidato se porta quando está sob pressão é essencial para compreender se ele conseguirá ou não manter seu nervosismo sob controle. 

6. Observe a roupa 

A roupa escolhida pelo candidato também deve ser avaliada. É importante destacar que nesse tópico o que importa é a adequação da roupa ao ambiente e ao cargo. O avaliador deve considerar se a forma como o candidato está vestido estaria adequada se ele fosse começar a trabalhar imediatamente. 

Geralmente, os candidatos escolhem as roupas que consideram mais adequadas para a entrevista e a dinâmica de grupo. Sendo assim, será que o que foi considerado como o mais adequado está alinhado com o entendimento da companhia? Essa questão pode se tornar bastante problemática com o passar do tempo.

7. Interação com os outros candidatos

Observar a forma como o candidato se porta com seus concorrentes antes e durante a dinâmica é interessante para compreender como é o seu relacionamento interpessoal. Ser educado e humilde com aqueles que estão disputando a mesma vaga demonstra que o profissional tem estabilidade emocional e compreende que está em um ambiente profissional.

Novamente ressaltamos o quanto é importante contar com profissionais que tenham boas habilidades interpessoais. Essa dinâmica gerada entre os colaboradores faz toda a diferença no final das contas. Sendo assim, os recrutadores devem usar essas observações como tópico para desempate pela vaga. 

Candidatos: o que considerar? 

Você está se preparando para passar por uma avaliação em dinâmica de grupo? Se sim, provavelmente já tem uma boa ideia do que os recrutadores observam pela leitura do artigo até aqui. O ideal é que o candidato se mantenha constantemente em preparação, ou seja, que cultive o seu hábito de leitura e de potencialização da sua qualificação. 

Ao chegar ao local da dinâmica, procure relaxar com técnicas de respiração e foco nos seus objetivos. Tenha em mente que você se dedicou para ser bem avaliado e que as atividades certamente serão menos desafiadoras do que imagina. Para quem é tímido, indicamos trabalhar essa característica para reduzir o seu possível impacto no resultado do processo seletivo. 

Mas, não é preciso desespero caso você seja reprovado em uma dinâmica de grupo, isso não quer dizer que você seja um mau profissional. Isso só mostra que não tem os comportamentos de acordo com o que a organização está buscando, o que não te impede de ser perfeito para outra empresa. É importante que as pessoas entendam que cada avaliação diz respeito a uma situação e não sobre elas de forma geral. 

E você, o que pensa sobre o tema? Use o espaço abaixo para nos contar a sua experiência e a sua opinião sobre o assunto. Se este conteúdo te ajudou de forma positiva e você acredita que ajudará outras pessoas, compartilhe em suas redes sociais!

José Roberto Marques

Sobre o autor: José Roberto Marques é referência em Desenvolvimento Humano. Dedicou mais de 30 anos a fim de um propósito, o de fazer com que o ser humano seja capaz de atingir o seu Potencial Infinito! Para isso ele fundou o IBC, Instituto que é reconhecido internacionalmente. Professor convidado pela Universidade de Ohio e Palestrante da Brazil Conference, na Universidade de Harvard, JRM é responsável pela formação de mais de 50 mil Coaches através do PSC - Professional And Self Coaching, cujo os métodos são comprovados cientificamente através de estudo publicado pela UERJ . Além disso, é autor de mais de 50 livros publicados.



*Esse conteúdo não é fonte para veículos jornalísticos ou matérias para imprensa, para utilização ou referência por favor entre em contato conosco.

Deixe seu Comentário

IBC - Instituto Brasileiro de Coaching: Av. Prof. Venerando Freitas Borges, 561 - Setor Jaó - Goiânia/ GO - CEP: 74.673-010
CNPJ: 31.328.744/0001-63