Tudo sobre precificação de produtos e serviços

Cifrão de madeira.

Conheça os 5 passos necessários para precificação de produtos e serviços.

Saber como fazer a precificação de produtos e serviços corretamente é essencial para manter a sua empresa competitiva no mercado. O estabelecimento de preços está relacionado com a compreensão de qual o valor gera maior competitividade, lucros e atratividade para o empreendimento.

Trabalhar com um preço errado pode comprometer o futuro da companhia. Dessa forma, é crucial que a precificação faça parte do plano de lançamento de produtos e serviços. O empreendedor deve ter em mente que o preço tem peso estratégico para qualquer tipo de empresa. 

Os preços podem ser ajustados para a maximização das vendas e retorno imediato, assim como para ampliar o alcance da marca no mercado. Também pode ser uma forma de reagir às estratégias estabelecidas pela concorrência. 

No artigo a seguir iremos te explicar tudo o que você precisa saber a respeito da precificação de produtos e serviços, acompanhe!

Precificação de produtos e serviços: conheça os 5 passos necessários

Precificar um produto ou serviço parece muito difícil para você? Primeiramente, se deve saber que o produto não pode ter um preço tão elevado ao ponto de fazer o consumidor desistir da compra. 

Contudo, precisa ser um valor alto o bastante para gerar lucro. Deve equilibrar as despesas do empreendimento, ficar na média dos preços do mercado, gerar lucro e ser interessante para os consumidores. Veja os cinco passos de como chegar a esse equilíbrio fazendo uma boa precificação. 

1. Faça o cálculo do custo por unidade

A primeira pergunta que deve ser respondida é: quanto é gasto para produzir ou comprar cada unidade do produto? No caso dos serviços a pergunta é: quanto é gasto para que o serviço possa ser realizado? Esse dado funcionará como a base para todos os passos a seguir. 

Para conseguir responder essa questão é necessário saber qual é o custo da matéria-prima. Também é preciso conhecer o tempo dedicado para produzir uma unidade de cada produto. Observe, ainda, qual é o custo da distribuição, mão de obra envolvida, entre outros fatores.

Para os serviços é necessário calcular o tempo médio empregado para cada atividade. O preço deve cobrir os minutos ou horas trabalhadas, assim como todo o custo e ainda gerar uma porcentagem de lucro. 

2. Faça a contabilização das despesas

Nesse segundo passo é determinante visualizar as despesas da companhia com a definição de gastos fixos e variáveis. Abaixo explicaremos melhor:

Custos variáveis

Nessa categoria estão os custos esporádicos que dependem do volume de vendas. Podemos citar como exemplo os gastos com emissão de boletos. 

Custos fixos

Aqueles que devem ser pagos independentemente do valor de faturamento. Um exemplo é a folha de pagamento. 

As duas despesas precisam ser pagas com as vendas, porém, existem algumas maneiras de fazer isso. 

Diluição de custos fixos no mix de produtos

Nesta metodologia você atribui porcentagens de contribuição distintas para cada tipo de custo. Isso permite que seja feito o cálculo de uma estimativa de quantos produtos devem ser vendidos para o pagamento da operação da companhia. O que sobrar será o lucro líquido. 

Estimativa de preço que resulte numa margem de contribuição

Nesse método, ao retirar o valor das despesas fixas e variáveis, o que sobrar será o lucro líquido. 

É importante ressaltar que em qualquer um desses cálculos é necessário incluir os valores dos impostos. 

3. Respeite a margem

Depois de todo o trabalho para definir uma margem para a sobrevivência da sua empresa, é essencial respeitá-la. Por exemplo, se você definiu que deseja um ganho de 20% sobre o custo de cada produto/serviço, mantenha-se alinhado com esse plano quando for precificar.

Salvos os casos em que a estratégia precise ser alterada. Quando um item gera prejuízo não tem porque mantê-lo no estoque. Saber comprar bem é importante, mas é ainda melhor saber vender bem. 

4. Compreenda e se aprofunde no markup e na margem de lucro

Talvez você nunca tenha ouvido falar sobre markup. Se este é o seu caso, saiba que não está sozinho, muitos empreendedores confundem esse termo com a margem de lucro. 

Margem de lucro

É a porcentagem que retorna para o caixa quando todos os custos são pagos. O cálculo é feito através da subtração dos custos do preço final do produto. 

Markup

Trata-se do percentual aplicado aos produtos, isto é, o lucro que se espera. 

Entendendo o significado desses termos se torna mais simples a precificação de produtos e serviços. 

5. Faça estudo de mercado

Na hora de precificar, muitos empreendedores recorrem às tabelas de preço. Contudo, também é essencial fazer uma pesquisa minuciosa dos principais agentes do mercado antes da precificação.

Entenda quanto eles vendem, qual é o preço e para quem vendem. O estudo de mercado funciona como uma radiografia do que precisa ser considerado antes de entrar em um determinado mercado.

A partir desses dados você poderá fazer uma análise criteriosa para entender se a sua margem está muito acima, muito abaixo ou na média do mercado. Com uma margem elevada você pode acabar ficando com estoque parado, o que representa prejuízo.

O ideal é considerar uma redução na taxa. Porém, se estiver com a margem apertada, então talvez o produto ou serviço não seja o mais adequado para a venda. Porém, mesmo nesse cenário você deve manter a calma, pois existem formas de ganhar competitividade. Uma opção é reduzir a margem de um produto X e aumentar a de um produto Y para compensar. Os dois itens podem ser oferecidos juntos. 

Conclusão

O princípio básico da lucratividade consiste em gastar menos do que se ganha. Quando se gasta o mesmo, se tem somente a compensação. Gastar a mais significa trabalhar com prejuízo. Dessa forma, o preço, assim como a margem de lucro e contribuição, devem ser formados através da observação dos custos de produção ou repasse.

Basicamente, isso significa que todos os custos fixos, variáveis e despesas devem estar presentes no valor final do insumo. Em outras palavras: Custo + Lucro + Despesas variáveis = Preço de venda. A definição do preço final deve ser feita pela mensuração de tudo o que foi gasto para que o produto seja produzido ou o serviço entregue. 

Precificar não é uma tarefa difícil, basta seguir esses passos. Aproveite para compartilhar este conteúdo em suas redes sociais para passar o conhecimento adiante!

José Roberto Marques

Sobre o autor: José Roberto Marques é referência em Desenvolvimento Humano. Dedicou mais de 30 anos a fim de um propósito, o de fazer com que o ser humano seja capaz de atingir o seu Potencial Infinito! Para isso ele fundou o IBC, Instituto que é reconhecido internacionalmente. Professor convidado pela Universidade de Ohio e Palestrante da Brazil Conference, na Universidade de Harvard, JRM é responsável pela formação de mais de 50 mil Coaches através do PSC - Professional And Self Coaching, cujo os métodos são comprovados cientificamente através de estudo publicado pela UERJ . Além disso, é autor de mais de 50 livros publicados.



*Esse conteúdo não é fonte para veículos jornalísticos ou matérias para imprensa, para utilização ou referência por favor entre em contato conosco.

Deixe seu Comentário

IBC - Instituto Brasileiro de Coaching: Av. Prof. Venerando Freitas Borges, 561 - Setor Jaó - Goiânia/ GO - CEP: 74.673-010
CNPJ: 31.328.744/0001-63