Qual é a relação entre Produtividade e Autoestima?

colegas de trabalho felizes.

Saiba como melhorar a autoestima dos colaboradores.

Para ter bons resultados no trabalho é fundamental ter boa saúde emocional. O controle das emoções permite ter uma visão mais clara e uma execução de maior qualidade nas mais variadas atividades. No tocante à produtividade, destacamos a relevância de ter uma boa autoestima. Afinal, a forma como a pessoa se vê é determinante para um desempenho diferenciado.

A boa autoestima ajuda a desenvolver melhor os potenciais técnicos e pessoais. Já uma autoestima baixa pode afetar consideravelmente o desempenho do profissional, reduzindo a sua produtividade. Continue lendo para saber mais sobre a relação entre produtividade e autoestima. Entenda como estimular a conquista de melhores resultados. 

O que é Autoestima?

Segundo a Psicologia, autoestima consiste na sensação de valor que um indivíduo tem de si mesmo. Na área da Administração, ela aparece como um elemento relevante dentro da hierarquia das necessidades de Abraham Maslow. É definida como uma das necessidades básicas do ser humano. 

A definição do dicionário apresenta a autoestima como a valorização que uma pessoa dá a si mesma de forma a dar mais confiança aos seus pensamentos e atos. Ter autoestima elevada contribui para que a pessoa acredite na sua própria capacidade e, dessa forma, produza resultados melhores no âmbito pessoal e profissional. 

Uma boa autoestima ainda contribui para ter uma saúde mais equilibrada e desenvolver relacionamentos mais positivos. Uma das consequências é o reconhecimento das qualidades que se tem. Dessa forma, o indivíduo se sente apto para realizar suas atividades em qualquer lugar. 

Baixa autoestima: quais são os sintomas?

A baixa autoestima pode ter sintomas variados de acordo com o indivíduo e o momento que ele está vivendo. Dentre os fatores estão a intensidade, a história pessoal do profissional e as percepções dele em relação à vida. Contudo, alguns sintomas se mostram relativamente comuns, confira abaixo:

– Necessidade de aprovação constante e reconhecimento de terceiros;

– Sensação de pânico ao imaginar que suas entregas podem ser reprovadas;

– Falta de aceitação dos próprios erros;

– Terceirização da culpa das suas responsabilidades;

– Falta de confiança no seu potencial e capacidade de evolução;

– Falta de atenção às atividades;

– Procrastinação diante de situações difíceis;

– Pessimismo;

Perfeccionismo;

– Comparação com outras pessoas;

– Dificuldade para lidar com críticas;

– Competitividade extrema;

– Não reconhecimento das próprias conquistas. 

Como a baixa autoestima impacta o trabalho?

A baixa autoestima tem grande impacto na vida profissional das pessoas. A produtividade e a capacidade de resolução de demandas podem ser bem prejudicadas. Além disso, em casos mais graves a pessoa pode desenvolver outros problemas, como ansiedade e depressão. Os sintomas de uma autoestima baixa não devem ser ignorados. 

Também é comum que o indivíduo se isole na sua zona de conforto para evitar situações desagradáveis. O profissional acredita tanto que é incapaz que prefere não realizar nenhuma atividade mais desafiadora, assim não terá problemas para enfrentar. Com o passar do tempo, esse comportamento leva a um círculo vicioso. 

Como a autoestima afeta a produtividade no trabalho? 

Ter a autoestima baixa impacta consideravelmente na rotina do profissional. Um indivíduo nessa situação passa a acreditar que não é capaz de resolver suas demandas. Assim, gradativamente vai aumentando a frustração e a procrastinação, o que reduz o bom desempenho. 

Empresas que não se preocupam em promover a qualidade de vida para seus colaboradores podem ter sérias dificuldades. Quando os profissionais se sentem desmotivados podem apresentar alguns sinais como: 

– Incapacidade de dar opiniões;

– Isolamento social;

– Constante pessimismo;

– Medo de assumir novas responsabilidades;

– Tendência à procrastinação;

– Estagnação;

– Dificuldade de reconhecer os próprios erros.

Ao longo do tempo esse comportamento leva à perda da comunicação e reduz a rede de contato. Oportunidades profissionais vão sendo perdidas. Sendo assim, é imprescindível identificar a existência de relação entre autoestima e produtividade para evitar a perda de performance. 

Como é possível melhorar a autoestima dos colaboradores?

Pode ser bastante desafiador manter a equipe com a sensação de estar plenamente satisfeita. É importante repensar o modelo de gestão, direcionando parte dos investimentos para a qualidade de vida dos colaboradores. A seguir listamos algumas dicas de como é possível criar um ambiente favorável ao desenvolvimento de uma autoestima elevada nos colaboradores. 

1. Investimento em ginástica laboral

A ginástica laboral é um tipo de trabalho corporal realizado para a promoção do lazer, recuperação e manutenção da qualidade de vida dos profissionais. Essa prática ajuda a deixar o ambiente mais leve e ainda reduz os riscos de acidente de trabalho. 

2. Investimento em feedbacks 

A cultura do feedback é essencial para que os profissionais possam aperfeiçoar suas habilidades e se sintam valorizados. O ideal é ter cuidado para que a conversa seja individual, sem comprometer a autoestima do colaborador.

O objetivo é encorajar, dar mais confiança e especialmente oferecer soluções. Quando for necessário fazer uma crítica construtiva para um funcionário a melhor abordagem é a discreta e individual. 

3. Investimento no bem-estar dos profissionais

A criação de um ambiente de trabalho saudável é fundamental para que os profissionais tenham sua autoestima elevada e assim aumentem sua produtividade. Para que o ambiente seja positivo é preciso investir em ações que levem à satisfação dos membros da equipe. 

Uma forma de melhorar o clima organizacional é investir em um espaço adequado para as atividades profissionais e dentro dos padrões ergonômicos. Está cada vez mais comum as companhias investirem em salas de descompressão. Esses espaços são voltados para o descanso dos colaboradores. 

4. Investimento na aproximação da equipe

É crucial incentivar a construção de relacionamentos fortes entre os membros da equipe. Um time bem motivado tem menos chances de se estressar e ter baixa autoestima. Quando há integração é mais fácil realizar uma troca saudável sobre os desafios de cada departamento. 

5. Investimento na celebração de resultados

O grupo precisa ter seu bom desempenho reconhecido quando conquistas são obtidas. Até mesmo as menores conquistas devem ser celebradas e recompensadas. Ao fazer isso o líder contribui para que a autoestima da equipe seja bastante potencializada. 

As empresas devem se atentar para a relação entre autoestima e produtividade para alcançar bons resultados!

José Roberto Marques

Sobre o autor: José Roberto Marques é referência em Desenvolvimento Humano. Dedicou mais de 30 anos a fim de um propósito, o de fazer com que o ser humano seja capaz de atingir o seu Potencial Infinito! Para isso ele fundou o IBC, Instituto que é reconhecido internacionalmente. Professor convidado pela Universidade de Ohio e Palestrante da Brazil Conference, na Universidade de Harvard, JRM é responsável pela formação de mais de 50 mil Coaches através do PSC - Professional And Self Coaching, cujo os métodos são comprovados cientificamente através de estudo publicado pela UERJ . Além disso, é autor de mais de 50 livros publicados.



*Esse conteúdo não é fonte para veículos jornalísticos ou matérias para imprensa, para utilização ou referência por favor entre em contato conosco.

Deixe seu Comentário

IBC - Instituto Brasileiro de Coaching: Av. Prof. Venerando Freitas Borges, 561 - Setor Jaó - Goiânia/ GO - CEP: 74.673-010
CNPJ: 31.328.744/0001-63

This will close in 0 seconds